Central Hidroelétrica do Ruacaná

hidroelétrica binacional entre Angola e Namíbia

A Central Hidroelétrica do Ruacaná é uma hidroelétrica binacional no rio Cunene, na fronteira Angola-Namíbia, que serve também como açude-barragem, com suas águas destinadas à irrigação.[1]

Central Hidroelétrica do Ruacaná
Localização
Localização Angola (Cunene) e Namíbia (Omusati)
Rio rio Cunene
Coordenadas 17°23'36.53"S, 14°13'21.58"E
Dados gerais
Proprietário Estado Angolano
Operador NamPower
Período de construção 1975-1978
Data de inauguração 1978
Tipo usina hidrelétrica
Capacidade de geração 330 megawatt

A instalação Ruacaná I gera energia utilizando três turbinas de 85 megawatts cada, totalizando capacidade de 255 megawatts. Já Ruacaná II possui uma turbinas de 92 megawatts. Ambas, totalizam 347 megawatts.[2]

Embora o lago e a barragem fiquem em território angolano, seu centro de operações e geradores ficam na periferia da cidade de Ruacaná, já em terras da Namíbia.[3]

A hidroelétrica é operada pela companhia estatal namibense NamPower.[3]

HistóriaEditar

O projeto desta central hidroeléctrica surgiu de acordo entre a África do Sul e Portugal no âmbito do projecto Cunene, que previa a regulagem do fluxo do rio para irrigação e aproveitamento eléctrico.[4]

Em 1975 foi construído um reservatório para o alagamento a cerca de 200 quilómetros a oeste da cidade angolana de Ondijiva, no Cunene.[4]

Numa segunda fase, um represamento foi erguido a cerca de 40 quilómetros a montante de Ruacaná, que tornou-se a Barragem do Calueque. Calueque foi construída para regular o fluxo de água para facilitar a construção e a operação de Ruacaná.[4]

Na terceira fase de construção, um açude de distribuição a cerca de um quilômetro de Ruacaná foi construído em 1978. No mesmo ano, iniciou-se a quarta fase, que compreendeu a construção da própria usina de energia com três turbinas de 85 MW cada no lado namibiano do rio.[4]

Na quinta fase, a partir da década de 1980, foi a construção de linhas de energia de 330 kV ao longo de 670 km, abastecendo o norte da Namíbia e sul de Angola.[4]

Em 5 de abril de 2012 entrou em operação um quarta turbina, com capacidade de 92 megawatts, elevando a capacidade de geração das estações para 347 MW. O quarto gerador, uma turbina Francis, foi construído pelas empresas Alstom, Andritz Hydro e Concor.[5]

Notas

  1. C.Michael Hogan. 2012. «Kunene River». eds. P. Saundry & C. Cleveland. Encyclopedia of Earth. National Council for Science and the Environment. Washington DC. Eoearth.org 
  2. «Ruacana Hydroelectric Power Station». www.afdevinfo.com. 25 de julho de 2009. Consultado em 1 de agosto de 2009 
  3. a b NamPower (6 de maio de 2020). «Profile of Ruacana Power Station, Namibia». Windhoek: NamPower. Consultado em 6 de maio de 2020 
  4. a b c d e Ruacana Power Station. NamPower 29 de maio de 2017.
  5. Catherine Sasman (6 de abril de 2012). «Ruacana fourth turbine commissioned». The Namibian. Windhoek. Consultado em 6 de maio de 2020