Centro Universitário FEI

Centro Universitário da FEI


A FEI (Fundação Educacional Inaciana "Padre Sabóia de Medeiros) é uma instituição de ensino superior católica jesuíta, de caráter comunitário, ou seja, sem fins lucrativos. Foi uma das faculdades fundadoras da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) em 1946.

FEI
Centro Universitário FEI
FEI
Fundação 1941 (83 anos)[1]
Tipo de instituição Confessional - católica
Localização São Bernardo do Campo, São Paulo
Reitor(a) Gustavo Donato
Vice-reitor(a) Dário Henrique Allipradini e Flavio Tonidandel
Presidente Padre Theodoro Paulo Severino Peters, S.J.
Docentes ~350
Total de estudantes ~8250
Campi São Bernardo do Campo, São Paulo
Página oficial www.fei.edu.br

Em 2024, a Folha de S.Paulo afirmou que a FEI era referência em pós-graduação em Administração.[2]


Sua missão principal proporcionar conhecimento aos seus alunos por todos os meios necessários, visando à construção de uma sociedade desenvolvida, humana e justa.

Ao tornar-se um centro universitário em 2002, passou a integrar, sob uma única reitoria, as seguintes escolas e institutos, antes administrativamente independentes:

  • Faculdade de Engenharia Industrial - FEI (fundada em 1946)
  • Fundação de Ciências Aplicadas - FCA
  • Escola Superior de Administração de Negócios de São Paulo - ESAN/SP (fundada em 1941)
  • Escola Superior de Administração de Negócios de São Bernardo do Campo - ESAN/SBC (fundada em 1965)
  • Faculdade de Informática - FCI (fundada em 1999)
  • Instituto de Pesquisas e Estudos Industriais - IPEI (fundado em 1975)
  • Instituto de Especialização em Ciências Administrativas e Tecnológicas - IECAT (fundado em 1982)


Fundada em 1945, em uma época em que o país passava por uma forte tendência a industrialização, com o nome de Fundação de Ciências Aplicadas (FCA), foi uma das instituições de ensino pioneiras no país em sua área de atuação.[3]


Em 28 de janeiro de 1961, o então Presidente da República Juscelino Kubitschek de Oliveira assinou o decreto que tornou a ESAN a primeira Escola Superior de Administração de Empresas do país a ser reconhecida e oficializada pelos poderes públicos.


Em 2018, lançou o primeiro curso de Engenharia de Robôs do país e hoje é considerado o maior Polo Educacional de Robótica Inteligente da América Latina.


Possui em sua grade os cursos nas áreas de Administração, Ciência da Computação, Engenharia Civil, Engenharia de Automação e Controle, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Engenharia de Produção, Engenharia Química e Engenharia de Robôs.


Seus campi são localizados no estado de São Paulo. O maior deles está na cidade de São Bernardo do Campo, bairro Assunção, possuindo 243 mil metros quadrados (o equivalente a 32 campos de futebol). Possui fácil acesso, pelas Rodovias Anchieta e Imigrantes. Este campus possui 18 prédios, onde estão instalados laboratórios, centros especializados, salas de aula com equipamento multimídia, salas de estudo, biblioteca, livraria, papelaria, capela, praça de alimentação, restaurante, conjunto poliesportivo com ginásio de esportes, quadras, campo de futebol, campo de futebol society, pista de atletismo, academia, piscina, além de uma ampla área de estacionamento para alunos, professores e colaboradores.

Se destaca por sua amplitude e exuberante área verde, suas árvores, bosque, jardins, gramados e até mesmo uma mina de água potável harmonizam-se com as construções modernas e tradicionais, proporcionando aos estudantes, professores e funcionários um ambiente perfeito para o desenvolvimento de suas atividades.


O outro campus está localizado na cidade de São Paulo, no bairro da Liberdade, a antiga Escola Superior de Administração de Negócios (ESAN), possuindo 8.600 mil metros quadrados. Suas instalações modernas e funcionais destacam-se pelo conforto nos locais de estudo, pesquisa e trabalho. Localizado em uma das principais regiões de São Paulo, oferece ao estudante inúmeras opções de transporte, restaurantes, estacionamentos, teatros, parques, etc.

Com 6 andares, o prédio do campus é uma perfeita obra de engenharia, projetado por arquitetos renomados, sua construção possui um estilo moderno e inovador. Construído em concreto aparente demonstra imponência no seu hall de entrada com pé direito de 12 metros de altura. É composto por salas de aula, todas com pontos de rede para acesso à internet, auditórios, biblioteca com sala de leitura, laboratórios de informática, espaço para feiras e exposições, lanchonete, mezanino, posto bancário, quadra poliesportiva e capela com o objetivo de proporcionar ao aluno uma perfeita aprendizagem.

O estudante do campus São Paulo também pode utilizar toda a estrutura do Campus São Bernardo do Campo, biblioteca, complexo poliesportivo, piscina, academia, etc. O campus São Paulo é formado por dois blocos, interligados por rampas.


A FEI, ao longo de sua existência, já formou através de seus cursos mais de 60 mil profissionais.[4] Atualmente a sua biblioteca conta com um acervo de 27 mil títulos em 52 mil exemplares entre publicações, jornais, multimeios, DVD, vídeos, CD Roms, Trabalhos de Conclusão de Curso, etc.[5]


A AGFEI (Agência de Inovação da FEI) também é localizada no campus de São Bernardo do Campo. Sua missão é desenvolver projetos de inovação e de empreendedorismo, gerir as políticas de proteção à PI e apoiar os grupos de pesquisa. Também faz parte da missão da AGFEI desenvolver atividades de disseminação da cultura inovadora, buscando sempre organizar e fortalecer as interações entre a FEI, o setor produtivo, órgãos do governo e demais instituições comprometidas com a inovação tecnológica, para a transformação de pessoas, o desenvolvimento de lideranças, a prosperidade e o bem comum.

Visão geral editar

 
Antiga estrutura
 
FEI - Fundação Educacional Inaciana

A antiga Faculdade de Engenharia Industrial e a Escola Superior de Administração de Negócios - ESAN, nasceram da intuição e da coragem do Pe. Roberto Sabóia de Medeiros, S.J. (1905-1955) um jesuíta visionário que, no início da década de 40, ao antever o crescimento econômico e a necessidade de engenheiros e gestores que a Indústria e o País necessitariam fundou as duas instituições.


A primeira das instituições criadas por Pe. Roberto Sabóia de Medeiros foi a antiga Escola Superior de Administração de Negócios de São Paulo - ESAN/SP. Por não existir nenhuma Faculdade desse tipo no Brasil, Pe. Sabóia usou como modelo a "Graduate School of Business Administration" da Universidade de Harvard. Com isso, a ESAN/SP marcou o início formal dos estudos específicos de Administração no Brasil, em 1941.


Em 1945, é criada, pelo Pe. Roberto Sabóia de Medeiros, S.J., a Fundação de Ciências Aplicadas - atualmente denominada Fundação Educacional Inaciana "Pe. Sabóia de Medeiros” (FEI) - que tinha como objetivo manter a Faculdade de Engenharia Industrial - inaugurada no ano seguinte. A FEI é uma Instituição vinculada estatutariamente à Companhia de Jesus, responsável por sua orientação, sempre à luz dos princípios cristãos da defesa da Fé, da promoção da Justiça, da dignidade humana e dos valores éticos.


O Decreto Presidência nº. 20.942, de 9/04/1946 autorizou o funcionamento da Faculdade de Engenharia Industrial, que teve suas atividades iniciadas em 20 de maio de 1946, com 50 vagas na modalidade Engenharia Química, em São Paulo.


Em 1951, A FEI dá início ao Curso de Engenharia Mecânica. Em 20 de janeiro deste mesmo ano, foi realizada a sessão solene da Congregação para a Colação de Grau da primeira turma da Faculdade de Engenharia Industrial.


Em 28 de janeiro de 1961, o então Presidente da República Juscelino Kubitschek de Oliveira assinou o decreto que tornou a ESAN a primeira Escola Superior de Administração de Empresas do país a ser reconhecida e oficializada pelos poderes públicos. O mesmo decreto reconheceu a validade dos diplomas dos alunos formados a partir de 1941.


Com o constante crescimento, as instalações da Instituição foram transferidas para São Bernardo do Campo, em 1963, em um terreno de 8.457m², onde começaram a funcionar o curso de Engenharia de Operação, nas modalidades Máquinas Operatrizes e Ferramentas, Refrigeração de Ar-condicionado, Eletrotécnica, Eletrônica, Eletrotécnica, Química, Metalurgia, Têxtil e Produção. No mesmo ano a FEI inaugurou o primeiro curso de Engenharia Mecânica com ênfase em Automobilística do País.


Já com o campus de São Bernardo do Campo funcionando é instalada no ABC, em 1965, a Escola Superior de Administração de Negócios - ESAN/SBC, para suprir as necessidades geradas pela industrialização, que continuava a se expandir naquela região.


Em 1969, Pe. Aldemar Moreira, S.J., foi nomeado presidente da FEI, cargo em que permaneceu até seu falecimento, em julho de 1997. A FEI é atualmente presidida pelo educador e sacerdote jesuíta, o Pe. Theodoro Paulo Severino Peters, S.J.


No final de 1971, a FEI desligou-se da PUC, voltando à condição de instituição isolada de ensino superior.


Em 1975 marcou o início das atividades do Instituto de Pesquisas e Estudos Industriais - IPEI, hoje denominado como AGFEI (Agência de Inovação da FEI).


Em 1978, houve a construção da simbólica Capela Santo Inácio de Loyola, em concreto aparente.


Tendo como função principal a promoção do aprimoramento profissional no campo administrativo e tecnológico, o Instituto de Especialização em Ciências Administrativas e Tecnológicas – IECAT foi criado em 1982 para organizar e ministrar cursos de pós-graduação lato-sensu e cursos de extensão. A partir do segundo semestre de 1997, o IECAT passou a contar também com instalações em São Paulo, ampliando suas atividades.


Em 1999, iniciam-se as atividades da Faculdade de Informática - FCI, como o curso de Ciência da Computação.


Dentro de uma proposta de integração e de agregação de competências, visando a excelência de seus cursos, as instituições FEI, FCI e ESAN foram transformadas no Centro Universitário da FEI, conforme aprovação do MEC, através da Portaria nº 2574, de 4 de dezembro de 2001.


Em 2005, a FEI passou a fazer parte do seleto grupo que produz ciência no Brasil, quando a CAPES aprovou o primeiro curso de Mestrado em Engenharia Elétrica. A partir da experiência adquirida com o primeiro mestrado, a Instituição lançou os stricto sensu de Engenharia Mecânica e de Administração, em 2007, e de Engenharia Química, em 2013. Para dar ainda mais oportunidades aos pesquisadores para irem além da fronteira do conhecimento, a FEI lançou o doutorado em Administração em 2011, e em Engenharia Elétrica em 2012.


Em 2012, celebrou 70 anos de história e de excelência na inovação e na formação de mais de 50 mil profissionais altamente qualificados para o setor empresarial, entre administradores, engenheiros e cientistas da computação.


Em 2015, a FEI lança sua nova marca, que expressa de forma clara o seu prestígio e sua credibilidade, impulsionando novas formas de relacionamento e de cooperação. A solução gráfica dá o devido peso para o nome FEI, a exemplo das marcas usadas por grandes instituições ao redor do mundo e agrega força, modernidade, movimento e inovação.


É lançada a Plataforma de Inovação FEI em 2016, um projeto que tem como objetivo proporcionar uma verdadeira transformação organizacional e cultural na Instituição, no sentido de atingir níveis mais elevados de qualidade em sua missão de educar, gerar e difundir conhecimento. Essa transformação é orientada segundo o novo marco referencial estabelecido em seu Plano de Desenvolvimento Institucional.

Neste ano foi realizada a 1ª edição do Congresso de Inovação - Megatendências 2050.


Em 2017, A FEI, em apoio às ações do Ministério da Educação, atuou diretamente na reformulação dos novos Projetos Pedagógicos de Curso (PPC), dos cursos de Ensino Superior de Engenharia e das novas Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de Administração no país, propondo conceitos de interdisciplinaridade e empreendedorismo para a formação de profissionais capacitados a atender às demandas do mercado atual e também do futuro.


No dia 7 de janeiro de 2020, foi instituída a nova Reitoria da FEI. Após anos de grandes conquistas e marcado por um importante legado na Instituição, o Prof. Dr. Fábio do Prado entregou a posse ao Prof. Dr. Gustavo Donato. Também na nova formação, tomaram posse os professores Dário Alliprandini, assumindo a vice-reitoria de Ensino e Pesquisa – posição ocupada anteriormente pelo Prof. Dr. Marcello Pavanello - e o Prof. Dr. Flávio Tonidandel, que assumiu a vice-reitoria de Extensão e Atividades Comunitárias, anteriormente sob comando da Profª. Drª. Rivana Marino.


Referência em gestão, inovação e tecnologia, a FEI celebrou em 2021 seus 80 anos de história. Acompanhando as megatendências mundiais, já contribui para a formação de mais de 60 mil profissionais nas áreas de Administração Ciência da Computação e Engenharia, visando sempre a construção de uma sociedade desenvolvida, humana e justa.

Missão editar

Primando pela excelência no ensino, na pesquisa e na extensão, a FEI busca formar um profissional com as seguintes características:

  • Ser um solucionador de problemas mal estruturados que requerem criatividade e domínio do processo inovador através do uso multidisciplinar de tecnologias, com a finalidade de ser um protagonista na melhoria da condição humana pela qualidade de vida;
  • Possuir forte embasamento teórico, sem perder de vista a formação específica necessária à sua empregabilidade;
  • Ser ético, justo e com uma visão humana e social, e que perceba a importância do seu papel como agente transformador da sociedade;
  • Possuir visão holística da sociedade, sendo capaz de prever e analisar os impactos diretos e indiretos de suas ações na sociedade;
  • Preocupar-se com as questões ecológicas e ter a noção exata da importância da preservação ambiental para a garantia da qualidade de vida de todos os indivíduos e a sustentabilidade do planeta;
  • Ser capaz de construir novos conhecimentos, com habilidades e competências para desenvolver, modificar e adaptar tecnologias, e não apenas em condições de aplicá-las;
  • Possuir capacidade de adaptação, estando apto a enfrentar novos desafios e desenvolver-se em outras áreas que não aquela de sua formação (multidisciplinar e interdisciplinar);
  • Ser criativo e empreendedor nas iniciativas profissionais;
  • Ser capaz de comunicar-se com eficiência, inclusive em outros idiomas;
  • Possuir habilidades para trabalhar em grupo e interagir com diferentes pessoas e culturas, sendo capaz de respeitar e compreender essas diferenças;
  • Ter domínio das novas tecnologias de informação e comunicação, tanto para o seu desenvolvimento pessoal quanto profissional.

Cursos editar

Carreiras de Graduação

Carreiras de Mestrado editar

Carreiras de Doutorado editar

Projetos Institucionais editar

  • AeroDesign: Desenvolvimento do estudante no ramo de Engenharia Aeronáutica, por meio de projeto e construção de aeronaves cargueiras rádio-controladas.
  • FEI Baja: Competição entre universidades em que alunos projetam e constroem veículos tipo baja[6]. É a única equipe brasileira a possuir 4 títulos internacionais de Baja.
  • Fórmula FEI: Competição entre universidades em que alunos projetam e constroem veículos tipo fórmula. Seu nível de desenvolvimento está classificado entre os melhores do mundo.
  • Maratona de Programação: Desafio entre equipes de alunos de grandes universidades para resolver problemas computacionais de vários níveis[7]
  • Robô FEI: Criação de times de futebol de robôs, o projeto contribui para o avanço científico e tecnológico dos alunos.
  • Junior FEI: Empresa Junior há mais de 10 anos no mercado, do ramo de consultoria e desenvolvimento de projetos nas áreas de: Engenharia, Ciencia da Computacao e Administracao. A empresa é formada somente por alunos do Centro Universitario da FEI.
  • Concreto FEI: O projeto, fundado em 1997, inicialmente visava apenas participar da competição APO (IBRACON). Porém, com o grande apoio e investimento da FEI na área de engenharia civil a equipe se tornou uma das maiores equipes do Brasil. A Equipe Concreto FEI foi por muitas vezes campeã de competições nacionais e internacionais, publica artigos científicos, desenvolve soluções de concreto inovadoras e continua buscando, até os dias atuais, novas áreas de atuação.
  • AIChE FEI: Capítulo Estudantil filiado ao Instituto Americano de Engenheiros Químicos (AIChE), foi fundado em 2019 e desde então acumula títulos nacionais em todas as categorias das competições oficiais do AIChE. 

Localização editar

Campus Liberdade Campus São Bernardo do Campo
Rua Tamandaré, 688 Avenida Humberto de Alencar Castelo Branco, 3972
Bairro Liberdade Bairro Assunção
São Paulo São Bernardo do Campo - SP

Ver também editar

Notas e referências editar

  1. Portal da FEI, Pg. A FEI - História
  2. «FEI São Paulo é referência em pós-graduação em Administração». Estúdio Folha. 31 de janeiro de 2024. Consultado em 1 de fevereiro de 2024. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2024 
  3. Livro: FEI - 50 Anos, Uma cronologia, ano 1996, páginas de 7 à 12.
  4. Portal da FEI, Pg. Conheça a FEI, História
  5. Portal da FEI, Pg. Serviços, Biblioteca
  6. «equipe-fei-baja». equipe-fei-baja. Consultado em 6 de fevereiro de 2018 
  7. «Maratona FEI» 

Ligações externas editar