Abrir menu principal
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde janeiro de 2017).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde dezembro de 2014). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
O Departamento de Tradições Gaúchas do Banrisul.

Os Centros de Tradições Gaúchas (CTGs) são sociedades civis sem fins lucrativos, que buscam divulgar as tradições e o folclore da cultura gaúcha tal como foi codificada e registrada por folcloristas reconhecidos pelo movimento.

São entidades tradicionalistas que cultivam a cultura e os costumes do Estado do Rio Grande do Sul no Brasil e no mundo através de atividades associativas e recreativas, guiadas pelos mesmos princípios e normas de ação, mas espalhadas em células que podem encontrar-se em qualquer território mesmo fora do Estado.

Diferenciam-se de Departamentos de Tradições Gaúchas, porque esses últimos geralmente estão ligados a alguma instituição.

Visam à integração social dos seus participantes, os tradicionalistas, ao resgate e à preservação dos costumes dos gaúchos, através da dança, do churrasco e de esportes. Existem muitos Centros de Tradições Gaúchas no Brasil que vão de norte a sul dos pais, totalizando cerca de 3000 CTG's, isso sem contar com com as entidades estabelecidas no exterior, que somam 16 instituições.

O PRIMEIRO CTG DO BRASIL

O primeiro CTG fundado oficialmente no Brasil foi o "35 CTG", na cidade de Porto Alegre no dia 24 de abril de 1948. Teve origem a partir da primeira ronda crioula, quando Barbosa Lessa, Wilmar Santana, Glaucus Saraiva, Flávio Krebs, Ivo Sanguinetti, Fernando Machado Vieira, Cyro Dutra e Paixão Cortes, que formavam o grupo dos oito.

Disambig grey.svg Nota: "CTG" redireciona para este artigo. Se procura o exame médico, veja Cardiotocografia.

Ver tambémEditar