Centroavante

Um centroavante (português brasileiro) ou ponta de lança (português europeu), é uma posição do futebol. Corresponde ao jogador que se posiciona no centro da linha de ataque. [1] É responsável por buscar oportunidades de gol para sua equipe. Também pode disputar bolas longas e "segurar a bola" para os companheiros de equipe que vem de trás, conhecido como "trabalho de pivô". Pode se movimentar de ambos os lados do campo para buscar a melhor jogada, sempre como objetivo o gol. Normalmente jogam com a camisa 9, porém alguns centroavantes tem preferência por outras camisas, como no caso mais conhecido de Romário, que eternizou a camisa 11 na Copa do Mundo de 1994.

Centroavante trombadorEditar

 
O centroavante Obina atendendo aos torcedores após um treino do Flamengo.

O chamado "centroavante trombador" é aquele que é alto e corpulento, e que vive de bolas aéreas, confrontos com zagueiros, tropicões, caneladas e bicos.[2]

Esse tipo de centroavante sobreviveu muito tempo no futebol mundial, alcançando importância e admiração.[3]

Como exemplo deste tipo de centroavante podem-se citar: Serginho Chulapa, Geraldão, Oséas, Washington, Luca Toni, Jan Koller, Mark Viduka, Nikola Žigić e Peter Crouch.[2]

Atualmente, porém, esse tipo de centroavante é muito raro, já que o futebol atual exige desse jogador habilidade e capacidade de se movimentar por toda a faixa ofensiva.[2]

Grandes centroavantes da históriaEditar

Existiram diversos centroavantes que deixaram sua marca na história do futebol mundial. Entre eles, alguns exemplos são: Puskás[4], Di Stéfano[5], Eusébio[6], Gerd Müller[7], Van Basten[8], Paolo Rossi[9], Stoichkov[10], Romário[11], Batistuta, Ronaldo[12], Shevchenko, Van Nistelrooy, Drogba, Ibrahimović, Klose, Luis Suárez e Lewandowski.

Ver tambémEditar

Referências

  Este artigo sobre futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.