Cerco de Kobanî

Batalha

O Cerco de Kobanî foi uma batalha travada entre as forças do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ou EIIL) e combatentes do curdistão sírio pela cidade de Kobanî e regiões adjacentes. A luta se iniciou em setembro de 2014 quando os militantes do EIIL investiram contra a região, iniciando uma violenta batalha contra as milícias curdas.[22]

Cerco de Kobanî
Conflito no Curdistão sírio, Guerra Civil Síria
Coalition Airstrike on ISIL position in Kobane.jpg
O centro da cidade de Kobanî sendo bombardeado por aviões da Coalizão.
Data 15 de setembro de 201415 de março de 2015
Local Kobanî, distrito de Alepo, Síria
Desfecho Vitória curda
  • Ofensiva do EIIL toma de assalto mais de 350 vilas e pequenas cidades na região de Kobanî;[1]
  • Em outubro de 2014, militantes do Estado Islâmico penetram na cidade e em novembro já controlavam 60% da região;[2]
  • Com ajuda de aviões bombardeiros ocidentais, as tropas curdas e da oposição síria retomam Kobanî em janeiro de 2015[3] e cerca de 50 vilarejos na área em fevereiro;[4]
  • Metade da cidade foi destruída durante os combates;[5]
  • O EIIL ainda controlava várias vilas ao redor de Kobanî,[6] até serem expulsos dessas regiões em abril de 2015;
Beligerantes
Flag of Syrian Kurdistan.svg Curdistão sírio
Flag of Kurdistan.svg Curdos iraquianos
Syria-flag 1932-58 1961-63.svg Exército Livre da Síria
Apoio:
No god but God.jpg Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL)
Comandantes
Flag of Rojava.svg Salih Muslim Muhammad
People's Protection Units Flag.svg Mayssa Abdo
People's Protection Units Flag.svg Mahmud Berxwedan
People's Protection Units Flag.svg Ismet Sheikh Hassan
YPJ Flag.svg Meryem Kobani
Syria-flag 1932-58 1961-63.svg Abu Laith

Estados Unidos Barack Obama
Flag of Kurdistan.svg Masoud Barzani
No god but God.jpg Abu Omar al-Shishani
No god but God.jpg Abu Ali al-Anbari
No god but God.jpg Abu Khattab al-Kurdi[7]
No god but God.jpg Sheikh Othman al-Nazeh
No god but God.jpg Sultan al-Safri al-Harbi
Forças
People's Protection Units Flag.svg YPG:
1 500 – 2 000 (novembro de 2014)[8]
Syria-flag 1932-58 1961-63.svg ELS:
300 (+200 de reforço)[9]
Flag of Kurdistan.svg Peshmerga:
160[10]
No god but God.jpg EIIL: ~ 9 000[11][12]
30 – 50 tanques[13]
Baixas
People's Protection Units Flag.svg YPG:
408 – 550 mortos[14]
Syria-flag 1932-58 1961-63.svg ELS e Jabhat al-Akrad:
21 – 70 mortos[15]


32 - 46 civis mortos[3]
+ 400 000 refugiados[16]
1 196 – 1 696 mortos (segundo a OSDH)[17]
+ 2 000 mortos[18]
(+ 1 000 nos ataques aéreos, segundo os americanos)[19][20]
3 710 mortos, 16 tanques destruídos e 2 VANTs derrubados (segundo o YPG)[21]
Aviões americanos bombardeando forças do Estado Islãmico perto de Kobanî, em outubro de 2014.

Entre setembro e outubro de 2014, o Estado Islâmico já havia tomado, através de uma série de ofensivas terrestres, boa parte de Kobanî e das regiões vizinhas,[23] criando uma onda de mais de 300 000 refugiados, a maioria correndo para a Turquia. As milícias curdas e seus aliados tentaram manter a cidade,[24] recebendo mais tarde apoio do Exército Livre da Síria (ELS), do Peshmerga iraquiano e do PKK turco.[25] Ainda em setembro, os Estados Unidos e algumas nações árabes (como a Jordânia) iniciaram uma campanha de bombardeios aéreos em apoio aos curdos contra o EIIL.[26] Os bombardeios foram ficando mais intensos até o fim do ano, antes de reduzirem de tamanho.[27]

Após quatro meses de intensos combates, a 27 de janeiro de 2015, as milícias curdas, apoiadas por tropas do Exército Livre Sírio e da Peshmerga, anunciaram que as forças do Estado Islâmico haviam sido expulsas da cidade de Kobanî. Os americanos e países árabes deram apoio inestimável aos defensores da região, dando-lhes armas, além de realizar ataques aéreos esporádicos contra os islamitas. Contudo, militantes do EIIL ainda mantinham forte presença em vários vilarejos pela região.[28][29] Nas semanas seguintes, em áreas rurais ao redor de Kobanî e em vilas periféricas, os curdos continuaram combatendo os guerrilheiros do Estado Islâmico.[30][31] Ao fim de abril, a maioria dos últimos bolsões de resistência dos combatentes do EIIL foram tomados pelos curdos.[32]

Em junho de 2015, o Estado Islâmico atacou a cidade novamente. Cerca de 233 civis e dezenas de combatentes de ambos os lados morreram. Após quatro dias, os curdos expulsaram os islamitas novamente do seu território.[33][34]

Referências

  1. "The IS is hundreds of meters away from Ein al-Arab”Kobane”". Página acessada em 6 de fevereiro de 2015.
  2. "ISIS enters Kobani, city's defenders see 'last chance to leave,' sources say". Página acessada em 6 de fevereiro de 2015.
  3. a b sohranas. «YPG retakes the entire city of Ayn al- Arab "Kobani" after 112 days of clashes with IS militants». Syrian Observatory For Human Rights. Consultado em 27 de janeiro de 2015 
  4. YPG advances around Kobane and takes over 50 villages. Página acessada em 6 de fevereiro de 2015.
  5. «Syria Kurds return to 'destroyed' Kobane». Consultado em 1 de fevereiro de 2015 
  6. "Kurd Militia Says ISIS Is Expelled From Kobani". Página acessada em 6 de fevereiro de 2015.
  7. «Al Huffington Post Algérie : Abou Khattab, kurde, jihadiste et chef des opérations du Daech contre Kobané». Al Huffington Post. Consultado em 9 de novembro de 2014 
  8. "Peshmerga fighters 'heavily shelling' ISIS in Kobani". Página acessada em 6 de fevereiro de 2015.
  9. "Islamic State crisis: Syria rebel forces boost Kobane defence". Página acessada em 6 de fevereiro de 2015.
  10. "Battle for Kobane Rages as Iraqi Fighters Arrive". Página acessada em 6 de fevereiro de 2015.
  11. «Slemani Times 1». Twitter. Consultado em 3 de outubro de 2014 
  12. «Slaughter Is Feared as ISIS Nears Turkish Border». New York Times. Consultado em 7 de outubro de 2014 
  13. «Fears of massacre as Isis tanks lead assault on Kurdish bastion». The Times. 4 de outubro de 2014 
  14. "Kurds Expel ISIS from Kobane as Iraqi Army Retakes Diyala". Página acessada em 6 de fevereiro de 2015.
  15. «Latin American Herald Tribune - At Least 1,607 Killed in IS Offensive on Kobani in 4 Months». Consultado em 20 de janeiro de 2015 
  16. "Kobani Fighting Sends 400,000 Refugees to Turkey". Página acessada em 5 de maio de 2015.
  17. «1400 killed in 80 days of clashes, bombardment, and suicide explosions in Ein al-Arab"Kobane"». SOHR. 7 de dezembro de 2014 
  18. «A Victory in Kobani?». The New Yorker. Consultado em 27 de janeiro de 2015 
  19. «U.S. says Kobani shows how to beat Islamic State; key city of Mosul may require new tactics». The Japan Times. Consultado em 29 de janeiro de 2015 
  20. «US SEES KOBANI AS KEY WIN, BUT MOSUL MAY REQUIRE NEW TACTICS». The Associated Press. Consultado em 27 de janeiro de 2015 
  21. «YPG shoot down two exploration drones of the ISIS - FLASH - ANF». Consultado em 1 de fevereiro de 2015 
  22. "Curdos expulsam Estado Islâmico de Kobani após batalha de quatro meses". Página acessada em 6 de fevereiro de 2015.
  23. «Turkey's Parliament Approves Military Action Against ISIS In Syria, Iraq». International Business Times. 2 de outubro de 2014 
  24. «YPG Press Office». Twitter. Consultado em 27 de janeiro de 2015 
  25. «Syrian rebels join battle to protect Kobane». Al Jazeera. 29 de outubro de 2014 
  26. "Coalition forces interrupts ISIL attacks to Kobani". Página acessada em 6 de fevereiro de 2015.
  27. "U.S.-led coalition bombs Islamic State forces in Kobani". Página acessada em 6 de fevereiro de 2015.
  28. "Syrian Kurds 'drive Islamic State out of Kobane'". Página acessada em 6 de fevereiro de 2015.
  29. "YPG retakes the entire city of Ayn al- Arab “Kobani” after 112 days of clashes with IS militants". Página acessada em 6 de fevereiro de 2015.
  30. Perry, Tom. «Syrian Kurds push back Islamic State around Kobani - monitor, Kurds». Reuters. Consultado em 2 de fevereiro de 2015 
  31. «Islamic State in Syria withdrawing from Kobani outskirts: monitor». Reuters. 2 de fevereiro de 2015. Consultado em 6 de fevereiro de 2015 
  32. "Syrian town tries to rise from ashes after ISIS defeat". Página acessada em 5 de maio de 2015.
  33. «Islamic State kills at least 145 civilians in Syria's Kobani». Reuters. 26 de junho de 2015 
  34. «SYRIA and IRAQ NEWS». Peter Clifford Online. Consultado em 1 de julho de 2015