Charles Abbot

Charles Abbot
Nascimento 24 de março de 1761
Londres
Morte 8 de setembro de 1817 (56 anos)
Bedford
Cidadania Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda, Reino da Grã-Bretanha
Alma mater Winchester College, New College
Ocupação botânico, entomologista, clérigo
Prêmios Membro da Sociedade Lineana

Charles Abbot (Londres, 24 de março de 1761Bedford, 8 de setembro de 1817) foi um botânico e entomólogo britânico.[1]

VidaEditar

Abbot foi educado no Winchester College e matriculado no New College, Oxford em 1779, com um mestrado em 1787.[2] Ele foi eleito membro da Linnean Society of London em 1793.

Abbot era vigário de Oakley Raynes and Goldington, em Bedfordshire. E capelão do Marquês de Tweeddale. Ele morreu em Bedford em setembro de 1817.[3]

TrabalhosEditar

Abbot é conhecido por fazer, em 1798, a primeira descoberta na Inglaterra de Papilio paniscus. Seus escritos incluem o manuscrito "Catalogus plantarum" (maio de 1795); uma lista de 956 plantas de Bedfordshire; e um livro posterior sobre o mesmo assunto, Flora Bedfordiensis (novembro de 1798). Outras obras incluem o volume de 1807 de sermões intitulados Divindade Paroquial. Ele também escreveu uma monodia sobre a morte de Horatio, Lord Nelson, em 1805.

Referências

  1. Federal Agency for Agriculture and Food
  2. Foster, Joseph (1888–1892). "Abbott, Charles (1)" . Alumni Oxonienses: the Members of the University of Oxford, 1715–1886. Oxford: Parker and Co – via Wikisource
  3. Slatter, Enid (2010) [2004]. "Abbot, Charles". Oxford Dictionary of National Biography (online ed.). Oxford University Press. doi:10.1093/ref:odnb/2. (Subscription or UK public library membership required.)
FontesEditar
  • Slatter, Enid, "Abbot, Charles", Oxford Dictionary of National Biography, (Oxford, 2004)

Ligações externasEditar


  Este artigo sobre um botânico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
 Portal de história da ciência. Os artigos sobre história da ciência, tecnologia e medicina.