Abrir menu principal
Charles Frederick Worth
Nascimento 13 de outubro de 1825
Lincolnshire
Morte 10 de março de 1895 (69 anos)
Paris
Cidadania Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda
Cônjuge Marie Vernet
Filho(s) Gaston-Lucien Worth, Jean-Philippe Worth
Ocupação designer de moda

Charles Frederick Worth (Bourne, 13 de outubro de 1825Bourne - Inglaterra, 10 de março de 1895) foi um costureiro inglês do século XIX. É considerado o "Pai da alta-costura" [1].

Índice

HistóriaEditar

Em sua juventude, Worth trabalhou como aprendiz na casa Swan & Edgar (alfaiataria masculina) em Londres.[1]

Em 1845, aos 20 anos, mudou-se para Paris, trabalhando para a empresa Lewis and Allenby. Por conta desta experiência, Worth pôde manter contato com diversos materiais têxteis e viajar para a França, o que o levou a desejar residir no país e a trabalhar com vestuário feminino [2].

Logo, em 1848, conseguiu um emprego como vendedor de tecidos na empresa Gagelin et Obigez, que operava com o comércio têxtil. Coma influência de Worth, logo a casa passou a trabalhar com alfaiataria masculina e, em seguida, moda feminina (inicialmente diurna e, logo após, de festa).[2] Neste período, implantou desfiles com modelos humanas, das quais uma delas, Marie Vernet, tornou-se mais tarde sua esposa.

Em 1855, ganhou o primeiro prêmio na Exposição de Paris, com um vestido criado para uma dama da corte[3].

Em 1858 começou a trabalhar como costureiro em sociedade com um sueco chamado Otto Bobergh, abrindo a casa Worth et Bobergh. Seu talento como estilista chamou a atenção da imperatriz Eugénia, esposa de Napoleão III, e, através dela, de toda a alta sociedade parisiense.[4]

Após a Guerra Franco-Prussiana (1870-1871), durante a qual ele transformou a própria casa em hospital militar, o sócio se retirou e ele continuou o negócio com a ajuda dos filhos, John e Gaston, ambos naturalizados franceses. Em seu apogeu, a Maison Worth chegou a empregar 1200 pessoas e ditou os padrões da moda de toda a Europa.

A Casa WorthEditar

A casa de alta-costura de mais prestígio em Paris no início do século era a Casa Worth (nessa época nas mãos do filho do fundador, Jean-Phillipe e Gaston). A Worth vestia uma elite rica, que incluía a realeza européia (como a imperatriz Eugénia da França e Isabel, imperatriz da Áustria), herdeiras estadunidenses e atrizes famosas.

Suas criações do início da década eram ostensivamente caras, e às vezes tinham uma exuberância quase vulgar, que as anunciava como modelos da Worth e as identificava quem as vestia como mulheres associadas à riqueza e poder.

Charles Worth implantou uma série de inovações no ramo da moda, como a afixação de etiquetas nas peças, para identificação da Casa Worth, a criação de coleções sazonais e a utilizações de modelos reais para demonstração de suas peças[5]. Também foi o idealizador da haute couture (alta costura).

Morte e legadoEditar

Apesar de ainda ativo na criação e negócios, em 1895 Charles Worth falece após sucessivos problemas de saúde.

Seus filhos, Gaston-Lucien (1853-1924) e Jean-Philippe (1856-1926) assumiram os negócios de seu pai após sua morte e conseguiram manter seus altos padrões. Os desenhos de Jean-Philippe, em particular, seguem a estética de seu pai, com o uso de tecidos dramáticos e guarnições luxuosas. A casa floresceu durante o mandato dos filhos e nos anos 1920[6].

A grande dinastia da moda finalmente chegou ao fim em 1952, quando o bisneto de Charles Frederick Worth, Jean-Charles (1881-1962), se aposentou dos negócios da família.

Em 2003, o nome comercial e propriedade intelectual da marca foram comprados pelo empresário Martin McCarty, com coleções lançadas em 2011, 2012 e 2013.[3]

Worth no BrasilEditar

Atualmente, os raros vestidos remanescentes da Casa Worth são protegidos em alguns acervos pertencentes a museus na Europa e Estados Unidos.

No Brasil existe um acervo com peças originais da Casa Worth, que pertenceu à financista Eufrásia Teixeira Leite. Estas peças foram preservadas como herança e mantidas em sua casa, hoje Museu Casa da Hera, situado no interior do estado do Rio de Janeiro.

Referências

  1. a b «: Charles Frederick Worth». modaecompanhia.com.br  Moda&Companhia.
  2. a b Debom, P. (Maio de 2017). «Worth, o precursor da alta-costura». Dobras (v.10, n.21). Consultado em 29 de abril de 2019 
  3. a b Sabino, Glauco (10 de agosto de 2010). «O retorno da House of Worth, a casa que inventou a alta-costura». IG. Consultado em 29 de abril de 2019 
  4. «Biografia De Charles Frederick Worth». www.portaisdamoda.com.br  PortaisdaModa.
  5. Pollini, Denise (2007). Breve História da Moda. São Paulo: Claridade. Consultado em 29 de abril de 2019 
  6. Krick, Jessa (Outubro de 2004). «Charles Frederick Worth (1825–1895) and the House of Worth». Metropolitan Museum of Art. Consultado em 29 de abril de 2019 

BibliografiaEditar

  • Valerie Mendes; Amy de La Haye (2009). A MODA DO SECULO XX 2ª ed. [S.l.]: Martins Fontes - WMF. 314 páginas. ISBN 9788578270834 

Ligações externasEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Categoria no Commons
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.