Charles Guerreiro

futebolista brasileiro

Charles Natali Mendonça Ayres, mais conhecido como Charles Guerreiro (Belém, 22 de dezembro de 1963), é um ex-futebolista brasileiro, que atuava como volante e lateral-direito e hoje atua como treinador de futebol.

Charles Guerreiro
Informações pessoais
Nome completo Charles Natali Mendonça Ayres
Data de nasc. 22 de dezembro de 1963 (60 anos)
Local de nasc. Ourém, Pará, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,88 m
destro
Apelido Príncipe, Guerreiro
Informações profissionais
Clube atual Paranoá Esporte Clube (auxiliar técnico)
Posição treinador (ex-lateral-direito)
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1985–1987
1988–1990
1991–1995
1995
1996
1997
1997
1999
2000
2001–2002
Total
Paysandu
Guarani
Flamengo
Vasco
Fluminense
Inter de Limeira
Bragantino
Olaria
Paysandu
Remo
000 0 0(0)
000 0 0(0)
0 246 0(2)
00 16 0(1)
00 39 0(1)
000 0 0(0)
000 0 0(0)
000 0 0(0)
000 0 0(0)
000 0 0(0)
0 285 0(4)
Seleção nacional
1992–1995 Seleção Brasileira 000 4 0(0)
Times/clubes que treinou
2006
2007
2007
2008
2010
2011
2011
2012
2012
2013
2013–2014
2015
2017
2018
2019
2019
2020
2020
2020–2021
2022–
Ananindeua
Remo
Remo
Cardoso Moreira
Paysandu
São Raimundo
Independente-PA
Tuna Luso
São Raimundo
Paragominas
Remo
Paragominas
Paragominas (Interino)
Paragominas [1]
Independente-PA
Tuna Luso
Iranduba
Independente-PA
Imperatriz
Itupiranga
Última atualização: 16 de dezembro de 2021

Atualmente é Auxiliar técnico do Paranoá Esporte Clube.

Carreira

editar

Como jogador

editar

Charles iniciou a carreira no Paysandu (onde era chamado carinhosamente pela imprensa esportiva e torcedores bicolores como, "Príncipe"). Em 1987 foi contratado pela Ponte Preta e no ano seguinte rumou para o clube rival de Campinas, o Guarani Futebol Clube. Após três anos na equipe campineira, em 1991 rumou para o Flamengo, num troca-troca de jogadores, entre Flamengo e Guarani, que ainda envolviam o meia Ailton e Toninho.

Na equipe rubro-negra, viveu seus tempos de glória ao lado de jogadores como Júnior, Charles teve a oportunidade de conquistar o Campeonato Carioca de 1991 e o Campeonato Brasileiro de 1992. A fase no Flamengo foi tão especial para Charles, que este chegou a ser convocado por Carlos Alberto Parreira para ocupar a lateral direita da Seleção Brasileira, em um amistoso, contra a Inglaterra, realizado no Estádio de Wembley, diante da Rainha Elizabeth. A partida ocorreu em 13 de maio de 1992, e terminou empatada por 1 x 1, com Bebeto marcando o gol para Seleção brasileira.

No ano de 1994 Charles participou do memorável jogo de despedida de Zico no Japão em 21 de junho de 1994, com o placar de Flamengo 2 x 1 Kashima Antlers com dois gols de Sávio.

Em 1995 foi jogar no Vasco da Gama um dos grandes rivais de seu ex-clube, e no período de 1991 a 1995, segundo o Almanaque do Flamengo, de Clóvis Martins e Roberto Assaf, Charles atuou em 246 partidas pela equipe rubro-negra, tendo 123 vitórias, 67 empates e 56 derrotas, atuando como lateral direito ou volante, e nesse período marcou apenas dois gols, e a falta de pontaria em seus chutes gerou brincadeira por parte de torcedores e da imprensa carioca, pois Charles demorou quatro anos e meio para marcar seu primeiro gol com a camisa do Flamengo.

Em 8 de novembro de 1995, foi convocado por Zagallo para um amistoso contra Argentina Buenos Aires. Chegou a entrar em campo no segundo tempo, ajudando a seleção a quebrar um tabu de 19 anos de jogos sem vitória na Argentina. Foi uma verdadeira batalha campal, mas no final Brasil 1 x 0 Argentina, gol do estreante Donizete o "Pantera", na etapa inicial.

Após passar por Fluminense, Inter de Limeira, Bragantino (hoje conhecido como Red Bull Bragantino) e Cabofriense, retornou ao Paysandu em 1998, no entanto, um ano depois retornou ao futebol carioca para defender o Olaria. No ano de 2000 retornou ao Pará novamente para defender as cores do Paysandu, e em 2001 "atravessou" a Avenida Almirante Barroso para jogar no maior rival bicolor, o Clube do Remo, onde jogou até o ano de 2002, encerrando assim sua carreira como jogador.

Como treinador e experiência como Presidente

editar

Em 2006, Charles iniciou sua carreira de treinador, no comando do Ananindeua, clube modesto da cidade de mesmo nomedo Pará. Um ano depois, chegou a ser o técnico do Remo, sem muito sucesso.

No início de 2008, retornou ao Rio, quando aceitou o desafio de treinar o estreante Cardoso Moreira, no Campeonato Estadual, sendo demitido antes mesmo do término do campeonato. Dois anos depois voltou para o Pará onde se tornou técnico do Paysandu, onde disputou o Campeonato Paraense de 2010 sagrando-se campeão. No ano seguinte, esteve no São Raimundo de Santarém, e em seguida comandando o Independente de Tucuruí. Em 2013 se tornou o treinador do Paragominas, e com algum destaque, logo em seguida assumiu o Clube do Remo, confiante numa possível classificação a Série D, no entanto sem sucesso. Em seguida, encerrou a temporada no Princesa do Solimões do Amazonas. Em 2014 assumiu a Tuna Luso Brasileira, mas sem muito sucesso. Em 2015 retornou ao Paragominas com algum destaque e no ano de 2016 se tornou presidente do clube do Município Verde[2][3]. Em 2017 atuou como técnico e presidente no Paragominas e em seguida comandou o Ypiranga do Amapá e retornou ao Paragominas em 2018, onde em seguida renunciou ao cargo de presidente. Em 2019 iniciou a temporada no Independente de Tucuruí e depois comandou a Tuna Luso. Em 2020 iniciou a temporada no Iranduba do Amazonas e retornou ao Independente, mas não ficou por muito tempo, tendo em seguida rumado ao Imperatriz do Maranhão, onde ficou até 2021. Em 2022 esteve no comando técnico do Itupiranga, um novo time paraense, e após o fim do campeonato saiu do clube. Em 2023 começou a atuar como auxiliar técnico no Paranoá do Distrito Federal.

Títulos

editar

Como jogador

editar
Paysandu
Flamengo

Como técnico

editar
Paysandu
Paragominas

Referências

  1. «Charles Guerreiro assume comando técnico do Paragominas». futeboldonorte.com.br. 19 de fevereiro de 2018. Consultado em 19 de fevereiro de 2018 
  2. «Charles Guerreiro é o novo presidente do Paragominas. Time define técnico». globoesporte.globo.com/pa. 10 de dezembro de 2015. Consultado em 10 de dezembro de 2015 
  3. «Ex-jogador, Charles Guerreiro renuncia ao cargo de presidente do Paragominas». diarioonline.com.br. 20 de agosto de 2018. Consultado em 20 de agosto de 2018