Chen Shou

   

Chen Shou ( chinês tradicional: 陳壽; 233-297 [1]), nome de cortesia Chengzuo (承祚), foi um historiador, político e escritor chinês que viveu durante o período dos Três Reinos e a dinastia Jin da China. Chen Shou é mais conhecido pelo seu trabalho mais célebre, os Registos dos Três Reinos ( Sanguozhi ), que regista a história do final da dinastia Han oriental e do período dos Três Reinos. Chen Shou escreveu o Sanguozhi principalmente sob a forma de biografias de pessoas notáveis daquela época. Hoje, os Registos dos Três Reinos de Chen fazem parte do cânone das Vinte e Quatro Histórias da antiga história chinesa.

Fontes históricas sobre a vida de Chen ShouEditar

Existem duas biografias de Chen Shou. A primeira está no Livro de Jin, que foi escrito por Fang Xuanling e outros no século sétimo durante a dinastia Tang . A segunda está nas Crônicas de Huayang, que foi escrito por Chang Qu no século IV durante a dinastia Jin Oriental .

VidaEditar

Começou a sua carreira como oficial no estado de Shu durante a era dos Três Reinos, mas foi despromovido e enviado para fora da capital por se recusar a bajular Huang Hao, um influente eunuco da corte em Shu. Após a queda de Shu em 263, a carreira de Chen Shou entrou num período de estagnação antes de Zhang Hua o recomendar para servir no governo Jin. Ele ocupou principalmente cargos de escriba e secretário sob o governo Jin antes de morrer de doença em 297. Teve mais de 200 escritos - cerca de 30 dos quais ele co-escreveu com parentes seus - atribuídos a ele.[2]

SanguozhiEditar

 
Um fragmento da biografia de Bu Zhi, dos Registos dos Três Reinos, parte dos manuscritos de Dunhuang
 
Texto do Wei Zhi (魏志, Registos de Wei ), que documenta a história de Cao Wei, escrito por volta de 297

Algures durante o terceiro século, após 280[3], Chen Shou escreveu sua magnum opus: o Sanguozhi de 65 volumes ( Registros dos Três Reinos ), que regista a história do final da dinastia Han Oriental e o período dos Três Reinos. O texto foi dividido em três secções - Livro de Wei (魏书), Livro de Shu (蜀书) e Livro de Wu (吴 书) - e foi composto principalmente de biografias de pessoas notáveis dessas épocas.

Chen Shou foi aclamado por seus contemporâneos pelo seu trabalho e foi elogiado como um excelente historiador. Na mesma época, outro historiador, Xiahou Zhan (夏侯 湛), escrevia o Livro de Wei (魏書; Wei Shu ), que regista a história de Wei na era dos Três Reinos. Ele destruiu o seu trabalho depois de ler o Sanguozhi de Chen Shou. Zhang Hua ficou tão profundamente impressionado com o Sanguozhi que disse a Chen Shou: "Devíamos confiar a si a responsabilidade de escrever o Livro de Jin ". Chen Shou foi altamente considerado depois de escrever o Sanguozhi .[4]

ControvérsiasEditar

Apesar de suas realizações, Chen Shou enfrentou falsas acusações e outras controvérsias. O Jin Shu mencionou duas controvérsias em torno de Chen Shou e a sua escrita do Sanguozhi . Os seus críticos usaram-nas para o menosprezar.[5]

Extorsão de grãoEditar

A primeira foi sobre Chen Shou tentar extorquir 1.000 hu [nota 1] de grão dos filhos de Ding Yi (丁 儀) e seu irmão mais novo Ding Yi (丁 廙) [nota 2] - dois oficiais de Wei durante o período dos Três Reinos. Ele prometeu-lhes que escreveria biografias para seus pais nos Sanguozhi se lhe dessem o grão, mas eles recusaram, por isso ele não escreveu as biografias. No entanto, o Jin Shu prefaciou a história com o termo huoyun (或 云), que significa "rumores".[6]

O escritor da dinastia Qing, Pan Mei (潘 眉), refutou o relato de Jin Shu sobre Chen Shou tentar extorquir dos Ding e designou-o " mal informado". Ele refutou a afirmação de que os irmãos Ding eram autoridades muito famosas em Wei, salientando que eles não haviam ocupado cargos importantes nem feito qualquer conquista significativa. Pan também sentiu que um historiador estava claramente justificado se decidisse não escrever biografias sobre os irmãos Ding, porque, na sua opinião, os Ding haviam cometido pecados graves - instigando rivalidade entre irmãos e causando instabilidade no clã imperial Wei [nota 3] - o que os tornava indignos de ter biografias em registos históricos. Pan observou ainda que havia também outras pessoas notáveis em Wei (por exemplo, Chen Lin, Wu Zhi e Yang Xiu ) que não tinham biografias no Sanguozhi, portanto, ser notável não significava que uma pessoa deveria ter uma biografia escrita para ele. Suas observações finais sobre este assunto foram que Jin Shu fez uma reclamação maliciosa (sobre Chen Shou). [7]

ViésEditar

A segunda sugeriu que Chen Shou guardava rancores pessoais contra o chanceler de Shu Zhuge Liang e o seu filho Zhuge Zhan, e por isso, escreveu comentários negativos sobre eles no Sanguozhi . O pai de Chen Shou [nota 4] era um conselheiro militar do general Shu Ma Su . Quando Ma Su foi executado por Zhuge Liang após o seu fracasso na Batalha de Jieting em 228, o pai de Chen Shou foi implicado e condenado a kun (髡), uma punição que envolve rapar a cabeça da pessoa. Zhuge Zhan havia também menosprezado Chen Shou. Quando Chen Shou escreveu as biografias de Zhuge Liang e Zhuge Zhan no Sanguozhi, ele as comentou da seguinte maneira: Liderança militar não era o forte de Zhuge Liang e faltava-lhe o engenho de um líder militar brilhante; Zhuge Zhan destacava-se apenas nas artes literárias e tinha uma reputação exagerada. [8]

O escritor da dinastia Qing, Zhao Yi, refutou a alegação de Jin Shu de que Chen Shou tinha preconceito contra Zhuge Liang nos Sanguozhi, e observou que a alegação era "uma declaração mal informada". Ele comentou que a liderança militar não precisava necessariamente de ser considerada o forte de Zhuge Liang, uma vez que Zhuge também realizou notáveis proezas em outros campos. Zhao também apontou duas provas que contradizem a afirmação de Jin Shu : Chen Shou fez comentários altamente positivos sobre a habilidade de Zhuge Liang como político na Colecção Zhuge Liang e no seu comentário pessoal no final da biografia de Zhuge no Sanguozhi . As observações finais de Zhao Yi sobre esta questão foram que Chen Shou identificou claramente os pontos fortes e fracos de Zhuge Liang na sua avaliação de Zhuge Liang no Sanguozhi . [9]

Outros trabalhosEditar

De acordo com Jin Shu, Chen Shou reuniu e compilou os escritos de Zhuge Liang durante o início da sua carreira sob a dinastia Jin. O texto compilado foi denominado Shu Xiang Zhuge Liang Ji (蜀相 諸葛亮 集; Colecção do Chanceler de Shu Zhuge Liang ). [10] O Huayang Guozhi mencionou que, mais tarde, Zhang Hua propôs ao imperador Wu deixar Chen Shou rever o texto original. Nessa altura, Chen Shou havia reunido mais informações sobre as obras de Zhuge Liang e reescreveu o texto, que se tornou o Zhuge Liang Gushi de 24 volumes (諸葛亮 故事; Histórias de Zhuge Liang ). [11]

Desde o fim da era Jianwu (25–56 dC) na dinastia Han oriental, escritores como Zheng Boyi (鄭伯邑), Zhao Yanxin (趙彥信), Chen Shenbo (陳申伯), Zhu Yuanling (祝 元 靈) e Wang Wenbiao (王文 表) tinham co-escrito o Bashu Qijiu Zhuan (巴蜀 耆舊 傳; Biografias de pessoas famosas de Bashu ). Chen Shou sentiu que o Bashu Qijiu Zhuan não era abrangente o suficiente, por isso expandiu-o para o Yibu Qijiu Zhuan de 10 volumes (益 部 耆舊 傳; Biografias de pessoas famosas da província de Yi ). [nota 5] [12] O seu trabalho foi apresentado pelo oficial Wen Li (文 立) ao imperador Wu, que o elogiou. [13]

Outros escritos de Chen Shou incluem: Gu Guo Zhi (古國 志; Registos dos Estados Antigos ), de 50 volumes, que recebeu grandes elogios; [12] [14] o Guansi Lun (官司 論; Dissertação sobre Burocracia ), de 7 volumes, que usou exemplos históricos para examinar reformas; Shi Yi (釋 諱; Explicando Tabus ); Guang Guo Lun (廣 國 論). [15]

Histórias da vidaEditar

Período de luto filialEditar

O Jin Shu mencionou que Chen Shou adoeceu durante o período de luto filial após a morte de seu pai. Alguns convidados que visitaram a sua casa expressaram desaprovação ao vê-lo receber remédios dos seus criados, porque se esperava que ele levasse uma vida austera durante esse período. Os seus conterrâneos criticaram-no quando souberam disso. [16]

Huayang GuozhiEditar

De acordo com o Huayang Guozhi, Chen Shou era um amigo próximo de Li Xiang (李 驤), cujo nome de cortesia era Shulong (叔 龍), da Prefeitura de Zitong (梓潼 郡). Ele foi recomendado como um xiucai (秀才) e serviu como um Cavalheiro de Escrita (尚書郎). Foi transferido para o cargo de Administrador (太守) da Prefeitura (jun) de Jianping (建平 郡), mas recusou a nomeação e alegou que estava doente porque queria permanecer em Zitong. Ele foi então nomeado Administrador da Prefeitura de Guanghan (廣漢 郡 na atual cidade de Guanghan, Sichuan ). As relações entre Chen Shou e Li Xiang se deterioraram mais tarde, e começaram a fazer acusações falsas um contra o outro. Outros funcionários escarneceram deles devido às suas brigas mesquinhas. [17]

O conselho de Qiao ZhouEditar

De acordo com Jin Shu, o mentor de Chen Shou, Qiao Zhou, costumava dizer a Chen: "Tornar-te-ás famoso pelo teu talento. No entanto, pode não ser um infortúnio se encontrares algum revés. Deves estar mais atento ao que fazes. " Fang Xuanling observou que as experiências de Chen Shou - ser despromovido e humilhado quando estava em Shu e novamente enquanto servia na dinastia Jin - se encaixam no que Qiao Zhou disse sobre ele. [18]

Ver tambémEditar

Notas

  1. Hu (斛) era uma antiga unidade chinesa de medida de peso. Dependendo da época histórica, pode ser equivalente a 5 ou 10 dou (斗). 1 dou era equivalente a 120 jin . 1 jin varia de 500g a cerca de 605g pelos padrões modernos.
  2. O nome do mais novo, Ding Yi, foi erroneamente registado como "Ding Hao" (丁暠) no "Jin Shu""
  3. Os irmãos Ding eram próximos a Cao Zhi, um dos irmãos mais novos do primeiro imperador de Wei, Cao Pi. Em meados da década de 210, Cao Pi e Cao Zhi envolveram-se numa luta pelo poder por causa da sucessão ao lugar do seu pai. A contenda acabou em 217 com a vitória de Cao Pi, que executou os Ding depois de ascender ao trono em 220.
  4. A identidade do pai de Chen Shou é desconhecida. Contudo, acredita-se que se tratava do oficial militar de Shu Chen Shi, mesmo que esta especulação não seja suportada por provas históricas.
  5. O livro chamava-se Yidu Qijiu Zhuan (益都耆舊傳; Biografias de Pessoas Famosas da Capital da Provícia de Yi) no Jin Shu.

 

ReferênciasEditar

CitaçõesEditar

 

  1. (元康七年,病卒,時年六十五。) Jin Shu vol. 82.
  2. (凡壽所述作二百餘篇,符、蒞、階各數十篇。二州先達及華夏文士多為作傳,大較如此。) Huayang Guozhi vol. 11.
  3. (吳平後,壽乃鳩合三國史,著魏、吳、蜀三書六十五篇,號《三國志》 ... ) Huayang Guozhi vol. 11.
  4. (撰魏吳蜀《三國志》,凡六十五篇。時人稱其善敘事,有良史之才。夏侯湛時著《魏書》,見壽所作,便壞己書而罷。張華深善之,謂壽曰:「當以《晉書》相付耳。」其為時所重如此。) Jin Shu vol. 82.
  5. (議者以此少之。) Jin Shu vol. 82.
  6. (或雲丁儀、丁暠有盛名於魏,壽謂其子曰:「可覓千斛米見與,當為尊公作佳傳。」丁不與之,竟不為立傳。) Jin Shu vol. 82.
  7. (誅丁儀丁廙
    《晉書‧陳壽傳》雲:丁廙有盛名於魏。壽謂其子曰:「可覓千斛米見與,當為尊公作佳傳。」丁不與之,竟不為立傳。按丁儀﹑丁廙,官不過右刺姦掾及黃門侍郎,外無摧鋒接刃之功,內無升堂廟勝之效,黨於陳思王,冀搖冢嗣,啟衅骨肉,事既不成,刑戮隨之,斯實魏朝罪人,不得立傳明矣。《晉史》謂索米不得不為立傳,此最無識之言。同時如徐幹、陳琳、阮瑀、應瑒、應璩、劉楨、吳質、邯鄲淳、繁欽、路粹、楊脩皆無傳,益足證《晉史》之誣。) Sanguozhi Kaozheng vol. 5.
  8. (壽父為馬謖參軍,謖為諸葛亮所誅,壽父亦坐被髡,諸葛瞻又輕壽。壽為亮立傳,謂亮將略非長,無應敵之才,言瞻惟工書,名過其實。) Jin Shu vol. 82.
  9. (陳壽論諸葛亮
    陳壽傳(晉書)「壽父為馬謖參軍,謖為諸葛亮所誅,壽父亦被髡(刑罰,剃髮也),故壽為亮傳,謂將略非所長。」此真無識之論也!
    亮之不可及處,原不必以用兵見長。
    觀壽校定諸葛集表,言「亮科教嚴明,賞罰必信,無惡不懲,無善不顯。至於吏不容奸,人懷自勵。至今梁、益之民,雖甘棠之詠召公,鄭人之歌子產,無以過也。」
    又亮傳後評曰「亮之為治也,開誠心,布公道,善無微而不賞,惡無纖而不貶。終於邦域之內,咸畏而愛之。刑政雖峻而無怨者,以其用心平而勸戒明也。」
    其頌孔明,可謂獨見其大矣!) Ershi'er Shi Zhaji vol. 6.
  10. (撰《蜀相諸葛亮集》,奏之。) Jin Shu vol. 82.
  11. (華又表令次定《諸葛亮故事》,集為二十四篇。時壽良亦集,故頗不同。復入為著作。) Huayang Guozhi vol. 11.
  12. a b (壽又撰《古國志》五十篇、《益都耆舊傳》十篇,余文章傳於世。) Jin Shu vol. 82.
  13. (益部自建武後,蜀郡鄭伯邑、太尉趙彥信,及漢中陳申伯、祝元靈,廣漢王文表,皆以博學洽聞,作《巴蜀耆舊傳》。壽以為不足經遠,乃並巴漢撰為《益部耆舊傳》十篇。散騎常侍文立表呈其《傳》,武帝善之。) Huayang Guozhi vol. 11.
  14. (... 又著《古國志》五十篇;品藻典雅。) Huayang Guozhi vol. 11.
  15. (上《官司論》七篇,依據典故,議所因革。又上《釋諱》、《廣國論》。) Huayang Guozhi vol. 11.
  16. (遭父喪,有疾,使婢丸藥,客往見之,鄉黨以為貶議。) Jin Shu vol. 82.
  17. (時梓潼李驤叔龍,亦雋逸器,知名當世。舉秀才,尚書郎。拜建平太守,以疾辭不就,意在州里。除廣漢太守。初與壽齊望,又相昵友。後與壽情好攜隙,還相誣攻。有識以是短之。) Huayang Guozhi vol. 11.
  18. (初,譙周嘗謂壽曰:「卿必以才學成名,當被損折,亦非不幸也。宜深慎之。」壽至此,再致廢辱,皆如周言。) Jin Shu vol. 82.