Cheniangue

cidade da China
Cheniangue
West Pagoda (Xi Ta) Street.jpg
Geografia
País
Província
Capital de
Liaoningue
Fengtian (d)
Jin Posterior (en)
Área
12 859,89 km2
Altitude
55 m
Coordenadas
Location of Shenyang Prefecture within Liaoning (China).png
Demografia
População
9 070 093 hab. ()
Densidade
705,3 hab./km2 ()
Gentílico
Shenyangais
Shenyangaise
Chenianguês
沈阳人
Funcionamento
Estatuto
subdivisão provincial
cidade grande
cidade com mais de 1 milhão de habitantes (d)
prefeitura com nível de cidade
Assembleia deliberante
Geminações
História
Evento chave
Identificadores
Código postal
110000
Prefixo telefônico
024
Website

Cheniangue (Shenyang; chinês simplificado: pinyin: Shěnyáng; pronúncia mandarim: [ʂən˧˩jɑŋ˧˥]), ou Mukden (Mukden1.png em manchu), é a capital e maior cidade da província de Liaoningue no nordeste da China. Atualmente possui o estatuto de administração sub-provincial. Anteriormente foi conhecida como Shengjing (盛京) ou Fu Fengtian (奉 天府). Cheniangue foi usado pela primeira vez pelo povo Manchu como sua capital no século XVII e é hoje a maior cidade do nordeste chinês.

Junto com suas cidades vizinhas, Cheniangue é um importante centro industrial na China, e serve como o centro de transportes e comércio do nordeste chinês, particularmente com o Japão, Rússia e Coreia. Grande centro da indústria pesada desde a década de 1930, a cidade tem diversificado seu parque industrial com uma boa rede de transportes, recursos naturais abundantes, e uma força de trabalho qualificada. Os subsídios ao investimento são concedidos a empresas multinacionais (MNCs) que montam escritórios ou suas sedes em Cheniangue.

A região da cidade sub-provincial inclui a área metropolitana de Cheniangue, a cidade-distrital de Xinmin, e outros três municípios. A grande Cheniangue foi considerada recentemente como uma das 13 megacidades emergentes ou megalópoles na China, em um relatório de julho de 2012 pela Economist Intelligence Unit. O relatório destaca as tendências demográficas e de renda que estão moldando o desenvolvimento dessas cidades.

EtimologiaEditar

O nome da cidade, Cheniangue, literalmente significa "a cidade ao norte do Rio Shen", e é derivado do antigo nome do Rio Hun que corta o lado sul da cidade, que anteriormente era chamado de rio Shen.[1]

HistóriaEditar

Achados arqueológicos mostram que havia assentamentos humanos em Cheniangue há cerca de 7200 anos.[2] A cidade de Cheniangue foi criada por Qin Kai, um general Yan no período dos Reinos Combatentes, cerca de 300 aC. na época sendo nomeada como "Cidade Hou" (候城). Tornou-se conhecida como a Prefeitura de Shen (瀋州) na Dinastia Jin e Circuito de Shenyang (瀋陽路) na Dinastia Yuan. Durante a Dinastia Ming, tornou-se Shenyang Zhongwei (瀋陽中衛).

Em 1625, o líder Manchu Nurhaci mudou a capital da Manchúria-Mongol para Cheniangue, na época conhecida Simiyan Hoton ᠰᡳᠮᡳᠶᠠᠨ ᡥ᠋ᠣᡨ᠋ᠣᠨ. Em 1634 o nome foi oficialmente alterado para Shengjing (盛京) em chinês, ou em Mukden ( ) em manchu.[3] O nome deriva da palavra manchu mukdembi (ᠮᡠᡴ᠋ᡩᡝ᠋ᠮᠪ᠊ᡳ᠋), que significa "a subir", refletindo seu nome chinês, que significa "a capital em ascensão". Uma grande cidade precisava de um edifício principal e em 1626 sob as ordens Nurhaci o Palácio Imperial surgiu como centro simbólico de Cheniangue. Ele contou com mais de 300 quartos decorados e 20 jardins como um símbolo de poder, grandeza e ostentação.

Após a queda da dinastia Ming em 1644, os manchus caem sob domínio chinês e a capital é transferida para Beijing. No entanto, Cheniangue manteve considerável importância como a capital anterior e o lar espiritual da dinastia Qing. Tesouros da casa real foram mantidos em seus palácios, e os túmulos dos governantes Qing estão entre os monumentos mais famosos da China.[4] Em 1657, a prefeitura de Fengtian (奉天府, em pinyin: Fèngtiān fǔ; em manchu: Abkai imiyangga fu ᠠᠪᡴᠠᡳ ᡳᠮᡳᠶᠠᠨ᠋ᡤᡤᠠ᠋ ᡶ᠋ᡠ ou Fungtyian ᡶ᠋ᡠᠨ᠋ᡤᡨ᠋ᠶᡳᠠᠨ; que significa "obedecendo ao céu") foi criada na área de Cheniangue, e o nome Fengtian foi usado às vezes como sinônimo de Cheniangue/Mukden. Em 1914, a cidade retornou ao seu antigo nome, Cheniangue. Cheniangue continuou a ser conhecida também como Mukden (Moukden às vezes).

Com a construção da Ferrovia do sul da Manchúria, Cheniangue se tornou uma fortaleza russa, que a ocupou após a Revolta dos Boxers.[5][6] Durante a Guerra Russo-Japonesa (1904-1905), Cheniangue foi o palco da Batalha de Mukden, que se desenvolveu entre 19 de fevereiro de 1905 e 10 de Março de 1905. Foi a maior batalha desde a batalha de Leipzig, em 1813. Após a vitória japonesa, a concessão de Cheniangue foi uma das principais bases para a expansão da economia japonesa no sul da Manchúria. Foi também a sede do vice-reino chinês das três províncias da Manchúria. Na década de 1920, Cheniangue foi a capital da Manchúria sob o comando do caudilho Zhang Zuolin, posteriormente assassinado em uma emboscada em Cheniangue.

No início do século XX, Cheniangue começou a se expandir para fora de suas muralhas (atual cidade velha). A estação ferroviária da Ferrovia da Manchúria do Sul e a estação ferroviária do Norte de Cheniangue permitiram a expansão urbana da cidade e a construção em suas margens de núcleos industriais, tornado Cheniangue um grande centro comercial. Várias fábricas de armamentos foram construídas nos subúrbios do norte e leste da cidade. Estas fábricas lançaram as bases para o desenvolvimento industrial de Cheniangue.

O Incidente de Mukden (18 de Setembro de 1931), que deu aos japoneses o pretexto para criar o estado de Manchukuo, ocorreu perto de Cheniangue. Durante a era Manchukuo (1932-1945) a cidade foi novamente chamada Fengtian em chinês, e de Mukden em inglês. Durante a ocupação japonesa, Cheniangue se desenvolveu como um centro de indústria pesada. Neste período o Japão explorou os recursos na Manchúria, utilizando a extensa rede ferroviária que atravessava Cheniangue.

As forças soviéticas ocuparam Cheniangue no início de agosto 1945, logo após a rendição do Japão. Os soviéticos foram substituídos pelos nacionalistas chineses. Durante a Guerra Civil Chinesa, Cheniangue permaneceu um reduto Kuomintang 1946-1948, embora os comunistas chineses controlassem a o entorno da cidade. Cheniangue foi capturada pelos comunistas em 30 de outubro de 1948, após uma série de ofensivas conhecido como a Campanha Liaoshen.

Desde a abertura econômica da China, Cheniangue tem experimentado um espetacular crescimento econômico e demográfico, tornado uma das 13 grandes metrópoles chinesas.

EconomiaEditar

Cheniangue é um importante centro industrial na China e é a cidade central da Zona Econômica de Cheniangue, uma Nova Zona Especial de Reforma. Tem se concentrado na indústria pesada, particularmente aeroespacial, máquinas-ferramentas, equipamentos pesados e defesa e, recentemente, em softwares, automotivos e eletrônicos.[7] Numerosas grandes empresas industriais têm sua sede em Cheniangue. A Brilliance Auto, uma importante fabricante chinesa de automóveis, tem a maioria de suas fábricas em Cheniangue.[8][9] A Shenyang Aircraft Corporation produz, na cidade, aviões para uso civil, bem como para a Força Aérea do Exército Popular de Libertação.[10] Além disso há plantas industriais da Neusoft, maior empresa de software na China, da Shenyang Machine Tool Group, maior fabricante de máquinas-ferramentas na China,[11] da Tyco International, da General Motors e da Michelin.

InfraestruturaEditar

A cidade dispõe do Aeroporto Internacional de Cheniangue-Taoxian e do Metrô de Cheniangue.

Cultura e lazerEditar

Dentre as construções histórico-arquiteónicas de relevo na cidade está o Palácio de Mukden. Outras construções de interesse são o Estádio Olímpico de Cheniangue e a Torre de TV e de Transmissões de Liaoningue.

As equipas de futebol Liaoning Football Club, Shenyang Dongjin Football Club e Liaoning Shenyang Urban Football Club são sediadas na cidade.

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Shenyang». Encyclopædia Britannica, Inc. 
  2. «History of Shenyang». echinacities.com. Consultado em 23 de agosto de 2012. Arquivado do original em 23 de julho de 2012 
  3. «History of Shenyang». Muztagh Travel Service 
  4. «Shenyang Travel Guide». Travel China Guide 
  5. The Century illustrated monthly magazine. Nova Iorque: The Century Co. 1904. 581 páginas. Consultado em 6 de julho de 2011 
  6. Making of America Project (1904). The Century: a popular quarterly. Nova Iorque: Scribner & Co. 581 páginas. Consultado em 6 de julho de 2011 
  7. 刘妮. 沈阳:"共和国装备部"重新"工业立市". Consultado em 4 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 14 de dezembro de 2013  Parâmetro desconhecido |url-status= ignorado (ajuda)
  8. 2012年沈阳市国民经济和社会发展统计公报. 19 de maio de 2013. Consultado em 22 de janeiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de junho de 2013  Parâmetro desconhecido |url-status= ignorado (ajuda)
  9. 宝马开启沈阳时代. The Nikkei Chinese. Consultado em 23 de março de 2014. Cópia arquivada em 23 de março de 2014  Parâmetro desconhecido |url-status= ignorado (ajuda)
  10. 沈阳飞机工业(集团)有限公司. Consultado em 9 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 15 de dezembro de 2013  Parâmetro desconhecido |url-status= ignorado (ajuda)
  11. 熊建 林丽鹂 罗艾桦 何勇 (4 de julho de 2008). 沈阳机床 攀上制高点. People's Daily. Consultado em 9 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 18 de junho de 2012  Parâmetro desconhecido |url-status= ignorado (ajuda)

Ligações externasEditar

  •   Media relacionados com Cheniangue no Wikimedia Commons
  Este artigo sobre a China é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.