Chocolate com Pimenta

Chocolate com Pimenta
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Comédia romântica
Duração 50 minutos
Criador(es) Walcyr Carrasco
País de origem Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Jorge Fernando
Câmera multicâmera
Roteirista(s) Thelma Guedes
Elenco
Tema de abertura "Chocolate com Pimenta", Deborah Blando
Localização Estúdios Globo (Rio de Janeiro) (filmagem)
Ventura (cenário)
Exibição
Emissora de televisão original Rede Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 8 de setembro de 2003 – 7 de maio de 2004
N.º de episódios 209

Chocolate com Pimenta é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo no horário das 18 horas, de 8 de setembro de 2003 a 7 de maio de 2004, em 209 capítulos,[2] substituindo Agora É que São Elas e sendo substituída por Cabocla. Foi a 63ª "novela das seis" exibida pela emissora. Escrita por Walcyr Carrasco, com colaboração de Thelma Guedes, teve direção de Jorge Fernando, Fabrício Mamberti e Fred Mayrink, direção geral de Fabrício Mamberti e direção de núcleo de Jorge Fernando. Foi livremente inspirada na obra A Viúva Alegre, de Franz Lehár.[2][3]

Contou com as participações de Mariana Ximenes, Murilo Benício, Elizabeth Savalla, Priscila Fantin, Drica Moraes, Marcello Novaes, Caco Ciocler e Tarcísio Filho.[1]

ProduçãoEditar

 
As primeiras cenas da novela foram gravadas em Canela, no Rio Grande do Sul.

Walcyr Carrasco citou como inspiração para escrever a novela a opereta A Viúva Alegre, escrita pelo músico austríaco Franz Lehár em 1905, que narra a história de um conde que tenta seduzir uma rica e jovem viúva, e também na peça de teatro A Visita da Velha Senhora, escrita pelo suíço Friedrich Dürrenmatt em 1956, contando a história de uma rica mulher que retorna a sua cidade natal para se vingar do homem que o magoou, embora ela seja a esperança de todos de reestruturar o local.[1][4][5] Antes da estreia a trama recebeu classificação 12 anos pelo Ministério da Justiça, o que impedia sua exibição antes das 20h.[6] Após alguns cortes e readequações, a novela foi reclassificada como livre, podendo estrear no horário.[7]

As primeiras gravações da novela começaram na Argentina, em junho de 2003, mostrando a história de Ana Francisca e Ludovico fora do país, utilizando como cenário alguns pontos como Teatro Colón, o centro de Buenos Aires e o Parque Rosedal.[8] Mariana Ximenes, Murilo Benício, Priscila Fantin, Samara Felippo, Nívea Stelmann, Laura Cardoso viajaram para Canela, na região serrana do Rio Grande do Sul, para gravarem as cenas da primeira fase, sendo que os pontos turísticos do Parque Estadual do Caracol foram utilizados sobrepostos para as cenas aéreas externas da novela.[9] A maior parte do elenco viajou também para São Francisco de Paula, também no Rio Grande do Sul, onde foi gravada a cena inicial do desfile municipal em comemoração ao aniversário da cidade, utilizando como locação a Ponte de Ferro do Passo do Inferno, no Parque da Cachoeira.[10] Para divulgar a novela, a emissora firmou uma parceria com 23 restaurantes do Rio de Janeiro e 12 de São Paulo para lançar sobremesas à base de chocolate e pimenta criadas especialmente por confeiteiros para a trama, permanecendo nos cardápios por alguns meses.[11]

Escolha do elencoEditar

 
Mariana Ximenes como Ana Francisca em dois momentos da história: a ingênua garota tida como feia na primeira fase (esquerda) e seu retorno como uma bela e sensual mulher em busca de vingança na segunda fase (direita).

Mariana Ximenes foi reservada para a novela ainda em 2002 especialmente a pedido do autor, que já havia trabalhado com ela em Fascinação e A Padroeira.[12] Thiago Fragoso havia sido cotado para interpretar Danilo após a grande repercussão de seu par com Mariana em A Casa das Sete Mulheres, porém o ator acabou sendo escalado antes para a novela anterior do horário, Agora É que São Elas.[13] Priscila Fantin, Marcello Novaes, Elizabeth Savalla, Drica Moraes, Lília Cabral, Nívea Stelmann e Samara Felippo foram os primeiros nomes escalados para a novela.[14] Gabriel Azevedo e Bruno Pereira, que trabalhavam juntos no seriado Bambuluá, tiveram que passar pelos testes com outros 30 atores adolescentes antes de serem aprovados.[15] Acreditando que o romance de Danilo e Ana Francisca precisava de um quarto pilar para ser estremecido, o autor criou o personagem de Caco Ciocler, que entrou na história no capítulo 93 em 24 de dezembro de 2003.[16]

Em dezembro de 2003 Lília Cabral precisou se afastar das gravações por problemas de saúde, tendo seu sumiço explicado pela personagem Bárbara ter fugido com o circo, sendo que esta retornou no capítulo de 11 de fevereiro de 2004.[17] A atriz não precisou raspar a cabeça para aparecer careca. Na verdade, quem ficou responsável pela careca da atriz foi a equipe de caracterização da Globo. A atriz usava uma careca de látex, que cobria da testa até a nuca, com furos para as orelhas. A careca era fixada na cabeça por meio de adesivos, e levava uma maquiagem especial para látex na parte de cima.[18] Patrícia França entrou na reta final, a partir de 8 de março de 2004, para interpretar a advogada de Jezebel.[19] A dupla Zezé de Camargo & Luciano fez uma participação rápida na trama.[20]

Cenografia e figurinosEditar

 
A arquitetura da cidade cenográfica de Ventura foi inspirada em Gramado, no Rio Grande do Sul.

Gramado foi utilizada como referência para a criação da arquitetura da cidade cenográfica de Ventura.[21] Os chocolates e os doces que apareciam nas cenas, apesar de parecerem verídicos, eram cenográficos.[22][23] Os cenografistas José Cláudio Ferreira dos Santos e Eliane Heringer foram responsáveis por desenvolver a cidade cenográfica nos Estúdios Globo, livremente inspiradas nas cidades sulistas colonizadas por holandeses e suíços.[2] A cidade cenográfica contou com 6 mil m², distribuída entre as fachadas das casas, do hotel, uma praça central e um rio cenográfico que percorria toda a cidade, que estava um nível acima.[2] A cidade cenográfica foi reciclada da mesma utilizada em O Beijo do Vampiro, que também tinha um lago e casarões ao estilo europeu.[24] O hotel da personagem Margot foi inspirada no hotel Palácio Quitandinha, construido em 1944 em Petrópolis, no Rio de Janeiro, inspirado na arquitetura francesa da década de 1920, enquanto a igreja foi inspirada na Matriz de Nova Trento, de Santa Catarina.[2]

O único cenário fora dos estúdios da emissora, que precisava ser externo, foi o sítio da família de Ana Francisca, o qual foi utilizado um sítio real localizado no bairro de Camorim, próximo da Rede Globo.[2] O figurinista Lessa de Lacerda foi responsável por pesquisar e desenvolver todas as roupas temáticas da década de 1920, onde se passava a trama, buscando referências no próprio álbum da família e contando com o auxílio do supervisor de caracterização Sérgio Azevedo, além de uma equipe de costureiras, bordadeiras e uma chapeleira para a confecção das peças.[2] Só para a personagem de Mariana Ximenes foram desenvolvidos mais de 40 vestidos pretos apenas para sua fase de luto, uma vez que a personagem não repetia roupas, inspirados nas peças da estilista Madeleine Vionnet da época, enquanto as peças de Elizabeth Savala foram referenciadas pelo estilo do estilista russo Erté, mais sofisticadas e pomposas.[2] Lilia Cabral não precisou raspar a cabeça para a fase em que sua personagem ficava careca, sendo o visual produzido através de uma máscara de látex na cabeça e maquiagem.[2]

EnredoEditar

A história começa em 1922, no Interior do Rio Grande do Sul quando o pai de Ana Francisca (Mariana Ximenes) é assassinado e ela se muda para Ventura, no interior de São Paulo, morar em um humilde sítio com sua avó Carmem (Laura Cardoso), seu tio Margarido (Osmar Prado), sua prima Márcia (Drica Moraes) – dona de um salão de beleza, que se acha muito chique para casar com qualquer homem – e seu primo órfão Timóteo (Marcello Novaes), além da agregada Dália (Carla Daniel). Para ajudar a família, ela trabalha como faxineira na Fábrica de Chocolates Bombom e se torna grande amiga de Ludovico (Ary Fontoura), dono do local e a quem ela acredita que é um simples operário devido a um contratempo. Por caridade, Ana também consegue estudar em uma Escola Normal, onde é constantemente humilhada por ser pobre e feia. Mesmo assim Danilo (Murilo Benício), o rapaz mais disputado da cidade, se apaixona perdidamente por ela, o que desperta a ira de Olga (Priscila Fantin), que o ama e se une com a tia do rapaz, Bárbara (Lília Cabral), contra a moça.

Ao tentar contar para Danilo que está grávida, Ana esbarra em Bárbara, que mente que o rapaz soube e foi embora da cidade. Já Olga arma para despejarem na rival um balde de tinta verde no dia do baile de formatura, deixando a culpa cair em Danilo. Desesperada, Ana é amparada por Ludovico, que revela sua verdadeira identidade e decide se casar com ela para dar um futuro para seu filho, lhe tratando como um pai após o casamento, levando-a embora para Buenos Aires. Sete anos se passam e, após a morte de Ludovico, uma nova Ana – refinada e coberta de joias – retorna a Ventura para se vingar dos que riram dela no passado. Ela planeja vender a fábrica de chocolates, condenando Ventura a ruína. A ardilosa Jezebel (Elizabeth Savala), irmã de Ludovico que não ficou com um centavo da herança e agora depende da caridade de Ana, decide se unir com o prefeito Vivaldo (Fúlvio Stefanini), o delegado Terêncio (Ernani Moraes) e o banqueiro Conde Klaus (Cláudio Correia e Castro) – os maiores prejudicados – para destruir Ana, contando com a ajuda do golpista Sebastian (Tarcísio Filho), sobrinho do Conde, para tentar seduzir a viúva.

Ventura ainda guarda outras histórias. Os apaixonados Celina (Samara Felippo) e Guilherme (Rodrigo Faro) são alvos da inveja da irmã da moça, Graça (Nívea Stelmann), que também gosta do rapaz e é capaz de simular que dormiu com ele para separá-los. Além disso, o pai de Celina, Reginaldo (Antônio Grassi), é contra o romance por um segredo do passado – Guilherme não sabe que é filho bastardo da dona do hotel, Margoth (Rosamaria Murtinho) – e obriga a filha a se casar com o velho Conde Klaus. Bernadete (Kayky Brito), filha adotiva de Jezebel, só descobrirá em um certo momento da história que na verdade ela é menino criado como menina por uma mentira da empregada Cândida (Yeda Dantas). Já Márcia vive um caso com o prefeito Vivaldo, que lhe dá joias falsas, embora tenha uma queda pelo primo Timóteo. Em meio a tantas histórias, Ana Francisca reencontrará Danilo e enfrentará os dilemas de confiar novamente dele após supostas mentiras do passado, sendo profundamente magoada por ele nunca assumir o próprio filho, Tonico (Guilherme Vieira), sem saber que ele não sabe a verdade. A vida dela ainda será abalada pela chegada do bondoso e misterioso Miguel (Caco Ciocler).

ExibiçãoEditar

Lançada em maio de 2004 no mercado externo, a novela foi vendida para diversos países, entre eles Cazaquistão, Argentina, Chile, Guatemala, Paraguai, Peru, El Salvador, Sérvia e Montenegro, Equador, Venezuela, Ucrânia, Romênia, Moldávia, Bósnia, Portugal, Uruguai, Moçambique, Nicarágua, Costa Rica, Estados Unidos, Honduras e Timor-Leste.

ReprisesEditar

Foi reapresentada no Vale a Pena Ver de Novo entre 24 de julho de 2006 e 26 de janeiro 2007, em 135 capítulos, substituindo A Viagem e sendo substituída por Era uma vez....[25]

Foi reapresentada novamente no Vale a Pena Ver de Novo entre 12 de março e 21 de setembro de 2012, em 140 capítulos, substituindo Mulheres de Areia e sendo substituída por Da Cor do Pecado.[26]

Está sendo reprisada na íntegra pelo Canal Viva desde 20 de abril de 2020, substituindo Cabocla, às 15h30 e 00h00.[27][28]

ElencoEditar

Ator Personagem[2][1]
Mariana Ximenes Ana Francisca (Aninha)
Murilo Benício Danilo
Priscila Fantin Olga
Elizabeth Savalla Jezebel
Caco Ciocler Miguel
Samara Felippo Celina
Rodrigo Faro Guilherme
Nívea Stelmann Graça
Drica Moraes Márcia
Marcello Novaes Timóteo
Lília Cabral Bárbara
Fúlvio Stefanini Vivaldo
Laura Cardoso Carmem
Osmar Prado Margarido
Denise Del Vecchio Dona Mocinha
Tarcísio Filho Sebastian
Cláudio Correia e Castro Conde Klaus von Burgo
Ernani Moraes Terêncio
Ângelo Paes Leme Soldado Peixoto
Kayky Brito Bernardete / Bernardo
Luiza Curvo Cássia
Tânia Bondezan Marieta
Rosamaria Murtinho Margot
Guilherme Piva Dr. Paulo
Maria Maya Lili
Mônica Carvalho Gigi
Rosane Gofman Roseli
Antônio Grassi Reginaldo
Ary França Epaminondas
Carla Daniel Dália
Victor Pecoraro Maurício
Juliana Alves Selma
Alexandre Barillari Beto
Sabrina Rosa Vera
Andréa Avancini Ivete
Hilda Rebello Matilde
Gabriel Azevedo Fabrício
Bruno Pereira Thiago
Ricardo Martins Quincas
Marcelo Barros Araújo
Renato Rabello Padre Eurico
Viviane Porto Inácia
Yeda Dantas Cândida
Renato Chocair Eugênio
Francisco Fortes Astolfo
Guilherme Vieira Tonico
Marcela Barrozo Estela (Estelinha)
Luiz Antônio Vitor (Joia)
Samuel Melo Vinícius (Beleza)
Sabrina de Souza Darlene
Cacá Bueno Elias
Jean Felipe Palito

Participações especiaisEditar

Ator Personagem[2][1]
Ary Fontoura Ludovico Canto e Melo
Patrícia França Drª. Sofia Mendonça
Lucinha Lins Elvira
Lauro Góes Leonardo
Jorge Fernando Palhaço Crispim
Marcos Frota Morcego Voador
Lucy Mafra Venúsia
Maria Sílvia Dona Micaela
Rosina Lobosco Pureza
Guilherme Leicam Coroinha
Daniel Barcellos Amadeu
Élida L'Astorina Paula
Sérgio Fonta Lael
Carlos Alberto Juiz Almerindo
Miriam Pires Dona Hortênsia
Roberto Bomtempo Juvenal
Sônia de Paula Dinorá
Cássia Linhares Nádia
Malu Valle Ismênia
Jardel Mello Romão
Isaac Bardavid Paulo
Gustavo Ottoni Meirinho
Marco Miranda Ladislau
Odilon Wagner Dono da fábrica de tecidos
Charles Myara Juca
Cláudia Borioni Madre superiora (no primeiro capítulo)
Mário César Camargo Maquinista
Fernanda Lobo Lulu Parmê[carece de fontes?]
Keruse Bongiolo Camélia
Zezé Di Camargo & Luciano Cascão & Cascudo
Admys Meyer Carmem (Carmenzinha)[carece de fontes?]
Sarah Maciel Bernardete (Criança)

MúsicaEditar

NacionalEditar

Chocolate com Pimenta Nacional
Trilha sonora
Gravação 2003
Gênero(s)
Idioma(s) Português
Formato(s) CD
Gravadora(s) Som Livre

Capa: Mariana Ximenes

Lista de faixas
N.º TítuloMúsicaPersonagem Duração
1. "Além do Arco-Íris"  Luíza PossiAninha 03:48
2. "Tristeza do Jeca"  Zezé di Camargo & LucianoTimóteo 03:44
3. "Sensação"  KLBGeral 02:34
4. "Encontro"  Fábio NestaresAna Francisca 03:47
5. "Toda Vez Que Eu Digo Adeus"  Cássia EllerOlga 04:05
6. "Voa Bicho"  Milton NascimentoMargarido 04:00
7. "Pra Lembrar de Nós"  Flávio VenturiniDanilo 03:23
8. "Tá-Hí"  Eduardo DussekMárcia 03:23
9. "Urubu Malandro"  Abraçando JacaréVivaldo 03:07
10. "Sensível Demais"  NalandaCelina e Guilherme 03:14
11. "Valsa Brasileira"  Luiz MelodiaAna Francisca e Danilo 03:38
12. "De Um Jeito Que Não Sai"  Leila PinheiroPersonagem: Graça 04:17
13. "Apanhei-te Mini Moog"  Mú CarvalhoMargot 03:17
14. "Chocolate com Pimenta"  Deborah BlandoAbertura 02:26

InternacionalEditar

Chocolate com Pimenta Internacional
Trilha sonora
Lançamento 2003
Gênero(s)
Idioma(s) Inglês
Formato(s) CD
Gravadora(s) Som Livre

Capa: Murilo Benício

Lista de faixas
N.º TítuloMúsicaPersonagem Duração
1. "I'm In The Mood For Love"  Rod StewartCássia e Bernardo 03:06
2. "Everytime We Say Goodbye"  Steve TyrellOlga e Danilo 03:31
3. "Hey There"  Bette MidlerGeral 03:30
4. "Somewhere Over The Rainbow"  Luiza PossiAninha 03:15
5. "In The Mood"  Gleen MillerLocação: Ventura 03:36
6. "Puttin' On The Ritz"  Fred AstaireSebastian 04:49
7. "Night And Day"  Ella FitzgeraldCarmem e Margarido 03:13
8. "Mack The Knife (Moritait)"  Louis ArmstrongGeral 03:22
9. "Stormy Weather (Keeps Rainin' All The Time)"  Etta JamesRomântico geral 03:15
10. "Lover"  John Williams & Boston Pops Orchestra  03:21
11. "Chocolate Waltz"  The John Windsor CompanyFábrica de Chocolates 01:53
12. "Good Old Times"  Swinging JellysCômico geral 02:09
13. "Curly Little Girl"  Charlie Robins BandCômico geral 02:03

AudiênciaEditar

O primeiro capítulo teve média de 35 pontos, número superior aos das antecessoras Agora É que São Elas e Sabor da Paixão, que marcaram na estreia 28 e 25 pontos, respectivamente.[29] Bateu recorde de audiência no dia 2 de outubro de 2003. Segundo dados consolidados, a trama alcançou neste dia 43 pontos de média, a segunda maior audiência da trama. Neste dia foram ao ar as cenas do baile, em comemoração a volta de Ana Francisca (Mariana Ximenes) a Ventura. Sua menor audiência foi de 26 pontos, alcançada em 31 de dezembro de 2003. Seu último capítulo teve média de 46 pontos na Grande São Paulo. Considerando-se os números nacionais, a trama chegou a 68 pontos.[30] Teve média geral de 35,4 pontos, tornando-se a segunda novela das 18h de maior audiência da década de 2000, sendo superada apenas por Alma Gêmea, também escrita por Walcyr Carrasco e dirigida por Jorge Fernando.[31]

O primeiro capítulo de sua segunda reprise, exibido no dia 12 de março de 2012, a trama de Walcyr Carrasco conseguiu a mesma audiência da antecessora, Mulheres de Areia, 15 pontos. Em seu segundo capítulo, exibido no dia 13 de março, Chocolate com Pimenta manteve a audiência de Mulheres de Areia e O Clone, bem como de seu primeiro capítulo, 15 pontos. Em seu penúltimo capítulo, exibido no dia 20 de setembro, a trama conseguiu 17 pontos. Em seu último capítulo, exibido no dia 21 de setembro, a audiência foi de 18 pontos,[32] sendo assim considerada a melhor novela das 18h.

Prêmios e indicaçõesEditar

Ano Prêmio Categoria Indicação Resultado
2003 Melhores do Ano[33] Melhor Ator Coadjuvante Marcello Novaes Indicado
Melhor Ator Mirim Kayky Brito Venceu
Melhor Atriz Mirim Marcela Barrozo Indicada
Música de Novela "Além do Arco-Íris", Luíza Possi Indicada
Prêmio Arte Qualidade Brasil Melhor Novela Indicado
Melhor Autor Walcyr Carrasco Indicado
Melhor Ator Murilo Benício Indicado
Melhor Atriz Mariana Ximenes Indicada
Elizabeth Savalla Indicada
Melhor Ator Coadjuvante Osmar Prado Indicado
Melhor Atriz Coadjuvante Drica Moraes Indicada
Laura Cardoso Indicada
Melhor Diretor Jorge Fernando Indicado
2004 Prêmio Contigo! de TV[34] Melhor Novela Indicado
Melhor Autor Walcyr Carrasco Indicado
Melhor Atriz Mariana Ximenes Indicada
Melhor Ator Murilo Benício Indicado
Melhor Atriz Coadjuvante Elizabeth Savalla Indicada
Melhor Ator Coadjuvante Osmar Prado Venceu
Melhor Ator Revelação Ary França Indicado
Melhor Atriz Infantil Marcela Barrozo Indicada
Melhor Ator Infantil Guilherme Vieira Indicado
Melhor Diretor Jorge Fernando Indicado
Melhor Maquiagem Sérgio Azevedo Indicado
Troféu Leão Lobo Melhor atriz coadjuvante Laura Cardoso Venceu

Referências

  1. a b c d e «Chocolate com Pimenta». Teledramaturgia. Consultado em 3 de agosto de 2014 
  2. a b c d e f g h i j k «Chocolate com Pimenta». Globo. Consultado em 28 de março de 2018 
  3. «Chocolate com Pimenta: Bernadete finalmente descobre ser homem». Babado IG. 10 de fevereiro de 2004. Consultado em 3 de agosto de 2014 
  4. 1905: Estreia de "A Viúva Alegre" em Viena
  5. Crítica: peça “A Visita da Velha Senhora” questiona mau uso da ideia de justiça
  6. «Governo veta novela das 18h antes das 20h». Folha de S. Paulo. 9 de agosto de 2003. Consultado em 12 de março de 2012 
  7. «Censura livre para Chocolate com Pimenta». Gazeta Digital. 17 de agosto de 2003. Consultado em 3 de agosto de 2014 
  8. «Chocolate com Pimenta: começam as gravações na Argentina». Babado IG. 26 de junho de 2003. Consultado em 5 de agosto de 2014 
  9. «Cenas da novela "Chocolate com Pimenta" são gravadas no Sul». Folha Ilustrada. 8 de julho de 2003. Consultado em 2 de dezembro de 2017 
  10. «O adereço, no passado, em festa». Luiz Andreoli. Consultado em 28 de março de 2018 
  11. «Marluce retoma atividades na TV Globo». Folha de S.Paulo. Consultado em 28 de março de 2018 
  12. «Mariana Ximenes explica sucesso de "Chocolate"». Terra. Consultado em 28 de março de 2018 
  13. «Thiago Fragoso fala da carreira e próxima novela». Terra. Consultado em 28 de março de 2018 
  14. «Elenco de Chocolate com Pimenta se reúne». Terra. Consultado em 28 de março de 2018 
  15. «Gabriel Azevedo recebe gozações por "Chocolate"». Terra. Consultado em 28 de março de 2018 
  16. «Caco Ciocler entra em "Chocolate" de balão». Terra. 12 de dezembro de 2003. Consultado em 12 de março de 2012 
  17. «Lília Cabral vai aparecer careca em Chocolate com Pimenta». Estadão. 2 de fevereiro de 2004. Consultado em 12 de março de 2012 
  18. «Lilia Cabral fica careca por causa de personagem». UOL. 2 de fevereiro de 2004. Consultado em 12 de março de 2012 
  19. «Patrícia França entra em "Chocolate com Pimenta"». Terra. 2 de março de 2004. Consultado em 22 de agosto de 2014 
  20. «Zezé Di Camargo e Luciano viram Casca e Cascudo». Terra. 29 de abril de 2004. Consultado em 22 de agosto de 2014 
  21. «"Chocolate com Pimenta" grava última cena no Sul». Estadão. 3 de maio de 2004. Consultado em 2 de dezembro de 2017 
  22. «VOCÊ SABIA?: bombons de Chocolate com Pimenta eram cenográficos». Rede Globo. 3 de agosto de 2009. Consultado em 3 de agosto de 2014. Arquivado do original em 10 de agosto de 2014 
  23. «Comidas cenográficas na TV». Luiz Andreoli. Consultado em 28 de março de 2018 
  24. «Próxima novela das sete da Globo terá vampiros modernos e humorados». Folha de S.Paulo. Consultado em 20 de março de 2018 
  25. «Globo reprisa "Chocolate com Pimenta" a partir do dia 24». Folha Online Ilustrada. 17 de julho de 2006. Consultado em 27 de julho de 2015 
  26. «Vale a Pena Ver de Novo: Chocolate com Pimenta volta dia 12 de março». Rede Globo. globo.com. 7 de fevereiro de 2012. Consultado em 12 de março de 2012 
  27. «'Chocolate com Pimenta' volta ao ar no canal Viva em abril». F5. 17 de março de 2020. Consultado em 17 de março de 2020 
  28. Costa, Fábio (21 de abril de 2020). «Impulsionado por novelas, Viva é líder da TV por assinatura em 2020». Observatório da TV. Consultado em 22 de abril de 2020 
  29. «"Chocolate com Pimenta" estréia com audiência maior que antecessora» (em Língua Portuguesa). Folha Online. 8 de setembro de 2003. Consultado em 11 de março de 2015 
  30. «Final de "Chocolate" atinge 44 pontos de audiência» (em Língua Portuguesa). Terra. 7 de maio de 2004. Consultado em 11 de março de 2015 
  31. Ricardo Feltrin (18 de setembro de 2008). «Ibope de novelas desaba na Globo; veja a queda» (em Língua Portuguesa). Universo Online. Consultado em 19 de outubro de 2011. Chocolate com Pimenta - 35,3 
  32. «"Chocolate com Pimenta" termina com alta audiência na Globo». 24 de setembro de 2012 
  33. Melhores do Ano: Confira todos os vencedores das 14 edições do prêmio
  34. Redação Terra (5 de maio de 2004). «Revista premia melhores da dramaturgia em 2003». Terra. Consultado em 30 de setembro de 2011 [ligação inativa]

Ligações externasEditar