Christoph Probst

Christoph Probst
Nascimento 6 de novembro de 1919
Murnau am Staffelsee
Morte 22 de fevereiro de 1943 (23 anos)
Prisão de Stadelheim
Sepultamento Friedhof am Perlacher Forst
Cidadania Reich Alemão
Ocupação estudante, membro da resistência
Causa da morte decapitação

Christoph Probst (Murnau am Staffelsee, 6 de novembro de 1919 - 22 de fevereiro de 1943) foi um membro da resistência alemã contra o nazismo durante o período do Terceiro Reich.[1]

BiografiaEditar

Probst era filho de Hermann Probst, um especialista em sânscrito que se relacionava com artistas que depois foram considerados "decadentes" pelo nazismo, e que inclusive casou com uma judia. Desse matrimónio nasceu Christoph Probst, que se formou em escolas que não reproduziam as ideias nazistas. Depois de realizar o serviço militar, começou os seus estudos de Medicina na Universidade Ludwig Maximilian de Munique, onde contatou com Hans Scholl, Alexander Schmorell e outros estudantes que fariam parte do grupo de resistência antinazi conhecido com o nome da Rosa Branca; e, com 21 anos, casou com Herta Dohrn, com quem teve três filhos.

Probst não participou na redação de nenhum dos panfletos da Rosa Branca, mas realizou um desenho para o sétimo panfleto. Esse desenho foi topado entre as cópias do sexto panfleto que Hans Scholl e Sophie Scholl portavam para distribuir nas imediações da Universidade de Munique quando foram descobertos e presos pela Gestapo em 18 de fevereiro de 1943. Probst foi imediatamente preso também e processado pelo juiz Roland Freisler do Tribunal Popular nazi. Os três foram decapitados quatro dias mais tarde na Prisão Stadelheim

Depois da execução, outros membros da Rosa Branca foram presos e executados.

HomenagemEditar

Em sua homenagem, o complexo do Exército em Hochbrück foi rebatizado com seu nome no final de 2019.[2]

Referências

  1. «Christoph Probst». Encyclopædia Britannica Online (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2020 
  2. «Alemanha homenageará Sophie Scholl com moeda». Deutsche Welle. 12 de agosto de 2020. Consultado em 13 de agosto de 2020 

BibliografiaEditar

Inge Scholl: A Rosa Branca. Organização de Juliana P. Perez e Tinka Reichmann. Posfácio de Rainer Hudemann. São Paulo: Editora 34. 2014. (2a. edição)

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Christoph Probst