Abrir menu principal
Chung Hing Sam Lam
重庆森林
Chungking Express (PRT)
Amores Expressos (BRA)
 Hong Kong
1994 •  cor •  98 min 
Direção Wong Kar-wai
Roteiro Wong Kar-wai
Elenco Brigitte Lin
Takeshi Kaneshiro
Tony Leung
Valerie Chow
Faye Wong
Género Drama
Cinematografia Christopher Doyle
Lau Wai-Keung (Andrew Lau)
Edição William Chang
Kai Kit-wai
Kwong Chi-Leung
Companhia(s) produtora(s) Jet Tone Production
Lançamento 14-7-1994[1]
Idioma cantonês
mandarim
Página no IMDb (em inglês)

Chung Hing Sam Lam (重庆森林 ou Chóngqìng Sēnlín em mandarim; Amores Expressos BRA ou Chungking Express PRT) é um filme honconguês, dirigido e escrito por Wong Kar-Wai e lançado em 1994.

Seu título original em chinês é uma metáfora a Hong Kong como uma selva de concreto, retratando o paradoxo de, mesmo se vivendo na densamente povoada metrópole, a maioria de seus habitantes é solitário e vive em seu próprio mundo interior. O filme é dividido em dois episódios, cada um deles tendo policiais como personagens centrais - identificados por códigos de corporação (223 e 663)[2] - e ambos sofrendo por terem sido abandonados pela mulher que amavam.[3][4]

Estrelado por Brigitte Lin, Takeshi Kaneshiro, Tony Leung, Valerie Chow e Faye Wong, é aclamado como um dos melhores filmes do cineasta chinês. Wong Kar-Wai costuma dizer que sem "Cinzas do Passado" jamais haveria "Amores Expressos", já que este foi realizado durante o intervalo das filmagens do primeiro.[5][6] Kar-wai continuou escrevendo e desenvolveu uma terceira história, no entanto e depois de filmar os dois primeiros, ele percebeu que o filme estava ficando muito longo e deixou o terceiro segmento para um filme totalmente diferente, "Anjos Caidos".[7]

Sua estreia ocorreu em meados de 1994, enquanto que chegou ao Brasil em 19 de janeiro de 1996.[3]

Índice

ProduçãoEditar

O filme nasceu do acaso e do trauma causado pela produção cara e demorada de "Cinzas do Passado", épico wuxua que Wong Kar-Wai realizava desde 1992 e que não chegava ao fim.[8]

Em 1994, quando se completava dois anos desde o início de "Cinzas", houve um intervalo de sua pós-produção. Exausto pelos desafios imposto pelo filme, Wong Kar-Wai começou a esboçar o roteiro para um novo longa-metragem, que seria feito em parte para cumprir obrigações contratuais. Originalmente foi concebido como três histórias separadas na Hong Kong contemporâneas, "Amores Expressos" foi filmado de forma bastante improvisada, já que o cineasta escrevia as cenas apenas na véspera ou pouco antes das filmagens. Como uma dessas histórias prolongou-se demais, esta acabou sendo deixada exclusivamente para um próximo filme, "Anjos Caídos", e Wong Kar-Wai focou-se em duas histórias românticas distintas cada uma delas tendo um policial como protagonista.[9]

Mesmo com improvisações e regravações de última hora, "Amores Expressos" foi realizado em apenas três meses, entre filmagens e montagem, somente durante a inatividade na pós-produção de "Cinzas do Passado" e acabou sendo lançado em julho de 1994.[5][10]

Depois de lançado, o filme tornou-se um sucesso tanto entre o público local bem como a audiências internacionais, principalmente em países da Europa e nos Estados Unidos.[5][3]

SinopseEditar

  Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O filme é dividido em duas partes. A primeira estória é do policial 223, que se encontra com uma viciada traficante de heroína, por quem se apaixona e guarda na memória. A segunda, do policial 633, que foi rejeitado de um romance de cinco anos e começa a ver em uma atendente de fast food uma nova possibilidade de amor.

  Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

PremiaçãoEditar

Referências

  1. «Hong Kong film archive database: ''Chungking Express''». Ipac.hkfa.lcsd.gov.hk. Consultado em 3 de fevereiro de 2012 [ligação inativa]
  2. Cássio Starling Carlos (18 de outubro de 1995). «Nada importa em "Amores Expressos"». Folha de S.Paulo. Consultado em 20 de fevereiro de 2014 
  3. a b c Cássio Starling Carlos (19 de janeiro de 1996). «'Amores Expressos' busca poesia no tempo». Folha de S.Paulo. Consultado em 20 de fevereiro de 2014 
  4. José Geraldo Couto (2 de outubro de 1996). «O eterno e o fugaz brigam em "Amores Expressos"». Folha de S.Paulo. Consultado em 20 de fevereiro de 2014 
  5. a b c Scarlet Cheng (3 de outubro de 2008). «Wong Kar-wai's Phoenix Project, Rising at Last» (em inglês). The New York Times. Consultado em 21 de fevereiro de 2014 
  6. Luiz Carlos Merten (2 de maio de 2009). «O tempo perdido e reencontrado de Kar-wai». O Estado de S.Paulo. Consultado em 21 de fevereiro de 2014 
  7. J.D. Lafrance, 'Cinematic Pleasures: Chungking Express', Erasing Clouds 23 (2004)
  8. Laurence Van Gelder. «Ashes Of Time (1994)» (em inglês). The New York Times. Consultado em 21 de fevereiro de 2014 
  9. Janet Maslin (26 de setembro de 1994). «Chungking Express (1994)» (em inglês). The New York Times. Consultado em 21 de fevereiro de 2014 
  10. Lee Hyo-won (9 de dezembro de 2013). «Wong Kar-Wai Reminisces About Hellish Shoot for 'Ashes of Time'» (em inglês). The New York Times. Consultado em 21 de fevereiro de 2014 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar