Chuvas de Verão (filme)

filme de 1978 dirigido por Carlos Diegues

Chuvas de Verão é um filme brasileiro de 1977, um drama dirigido por Cacá Diegues. A cena de amor entre os personagens de Jofre Soares e Miriam Pires foi considerada revolucionária por mostrar o nu, o amor e o sexo na terceira idade. A atriz inclusive relutou em aceitar a personagem pela dificuldade de expor o seu corpo numa idade mais avançada.[carece de fontes?] Em novembro de 2015 o filme entrou na lista feita pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos.[1]

Chuvas de Verão
Pôster oficial do filme.
 Brasil
1977 •  cor •  96 min 
Direção Cacá Diegues
Roteiro Cacá Diegues
Elenco Jofre Soares
Miriam Pires
Género drama
Companhia(s) produtora(s) Alter Filmes Ltda.
Terra Filmes Ltda.
Distribuição Embrafilme
Idioma português

SinopseEditar

Os jornais do Rio de Janeiro trazem manchetes sobre a perseguição policial ao bandido Lacraia e ao sequestrador desconhecido de uma pequena menina, enquanto o funcionário público Afonso inicia a sua aposentadoria. Com setenta anos e morador do subúrbio carioca, Afonso só pensa em ficar de pijamas o dia todo. Enquanto os amigos e familiares faziam uma festa para ele pela sua aposentadoria, Afonso descobre que Lacraia é namorado de sua empregada Lurdinha e que ela o escondeu num quarto da casa dele. Ele não gosta disso mas passa a evitar que os vizinhos e principalmente o amigo e esperto malandro Juraci descubram sobre o casal e o entregue à polícia. Também se envolve com os problemas da filha e dos amigos e começa uma relação de amizade, amor e respeito com a vizinha Isaura.

ElencoEditar

Trilha sonoraEditar

Waldir Azevedo, Erasmo Carlos, Roberto Carlos, Jararaca, Herivelto Martins (autor da canção "Caminhemos", interpretada por Francisco Alves [2]) e Paulinho da Viola participam da trilha sonora do filme.

Principais prêmiosEditar

Festival de Brasília 1978 (Brasil)

  • Recebeu o Troféu Candango nas categorias de melhor montagem, melhor atriz coadjuvante (Miriam Pires), melhor cenografia e melhor ator coadjuvante (Paulo César Pereio).

Federação dos Cine Clubes do Rio de Janeiro (Brasil)

  • Prêmio São Saruê de melhor filme.

Troféu APCA 1979 (Associação Paulista de Críticos de Arte, Brasil)

  • Gracinda Freire recebeu o troféu na categoria de melhor atriz coadjuvante[carece de fontes?]

Referências

  1. André Dib (27 de novembro de 2015). «Abraccine organiza ranking dos 100 melhores filmes brasileiros». Abraccine. abraccine.org. Consultado em 26 de outubro de 2016 
  2. a b Filmografia Cinemateca Acessado em 30-08-14

Ligações externasEditar