Abrir menu principal

Cidade da Criança (São Bernardo do Campo)

Parque em São Bernardo do Campo
Cidade da Criança
Logotipo do parque.
Localização São Bernardo do Campo,
 São Paulo,  Brasil
Coordenadas 23° 41' 16.1700" S 46° 33' 26.2310" O
Endereço Rua Tasman, 301 - Jardim do Mar
Website Cidade da Criança
Proprietário Prefeitura de São Bernardo do Campo[1]
Gerente geral Aquário de São Paulo[2]
Aberto em 10 de outubro de 1968 (51 anos)
17 de janeiro de 2010 (reinauguração)
Fechado em 2005 (reforma)
Funcionamento Terça a Domingo, das 9 às 17 horas.[3]
Área 37.742m²[4]
Atrações +35[5] no total
1 montanhas-russas

A Cidade da Criança é um parque de diversões brasileiro localizado no centro da cidade de São Bernardo do Campo, na região metropolitana de São Paulo, atrás dos antigos estúdios da Companhia Cinematográfica Vera Cruz. É o primeiro parque temático do Brasil[6] e da América Latina[7], tendo sido um empreendimento bastante ousado para a época e que atraiu muitos turistas para o município. Foi aberto em 10 de outubro de 1968.[8][4][9][10]

Era dividida em três áreas temáticas, sendo uma delas totalmente voltada para a Amazônia, contendo uma réplica do Teatro Amazonas, da Ferrovia Madeira-Mamoré e diversas outras figuras características da região. Entre suas atrações mais famosas estavam uma réplica de submarino (com 2,75 milhões de litros de água que é o primeiro equipamento do tipo no Hemisfério Sul e o terceiro parque no geral com essa atração[11]), um avião, o Minhocão (montanha russa), a Casa Maluca, entre outras.[9][10]

Foi construído, nos anos 50[12], como estúdio para gravação da telenovela Redenção, da TV Excelsior. Mesmo depois do fim da telenovela, em 1968, as visitas à cidade cenográfica continuaram.[13][4][14][10] Esta também foi a primeira cidade cinematográfica brasileira.[15]

O terreno e área construídos para gravação da novela Redenção foram tombados pelo Conselho Municipal de Patrimônio Histórico e Cultural em 1990.[4][14][16]

Estúdios Vera CruzEditar

Os Estúdios Vera Cruz ficam ao lado do terreno onde fica a Cidade das Crianças; no início da novela Redenção foi feita uma cidade do interior de São Paulo naquele terreno de 37.742m² que havia sido cedido pela Prefeitura[4], com uma igreja, delegacia, fórum, prefeitura, estação de trem e algumas casas como pedia o roteiro. Este cenário ainda existe, e esta lá no parque na atual região Redenção.[15]

Após o final das gravações, o terreno voltou para as mãos da Prefeitura e, logo após, o então prefeito Aldino Pinotti realizou uma parceria público-privada para a adição de brinquedos.[6]

O FechamentoEditar

Depois do auge nos anos 70 e 80[4], o parque entrou em decadência, sofrendo com a concorrência do Playcenter e do Hopi Hari.[9][1] Em 2005 foi fechado pela prefeitura de São Bernardo do Campo por falta de segurança, e falta de manutenção dos equipamentos[9]; a prefeitura da cidade estava com um projeto de fazer do parque um local educativo. [13][9][6]. Na época do fechamento, vários brinquedos, administrados por terceiros, estavam em mau estado de conservação.[carece de fontes?]

O projeto de transformar a Cidade da Criança em parque educativo sofreu alguns problemas, pois o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo rejeitou os recursos gastos provenientes da Secretaria da Educação, tendo em vista que o espaço não foi construído a partir de um projeto pedagógico. Diante disto a prefeitura pretendia lançar uma licitação de concessão para o funcionamento e manutenção do parque.[17]

ReinauguraçãoEditar

Apesar de todos os problemas mencionados, a reabertura ao público foi marcada para o dia 17 de janeiro de 2010[9]. Nesta primeira etapa, porém, ainda permaneceram fechados o teleférico e o submarino.[17]

O parque foi muito criticado pela imprensa e por visitantes em sua reabertura.[4] Por ter ficado fechado para reformas por cinco anos, o público esperava encontrar um parque completamente novo, o que não se concretizou. No dia da reinauguração, mais de 20 mil visitantes foram surpreendidos com a ausência de atrações: apenas 18 estavam disponíveis.[18][1] No mesmo dia da inauguração, o simulador foi fechado pois o ar condicionado quebrou.[carece de fontes?]

Com o grande número de críticas, o então prefeito Luiz Marinho viabilizou um projeto de inaugurar novas atrações até o final daquele ano. O projeto, quase concluído segundo a prefeitura da cidade, iria trazer novos brinquedos ao parque até dezembro.[19]

As novas atrações são: Minhocão (mini-montanha russa), 'Splash', elevador, 'Carrossel Ferrari', carrinho de bate-bate, 'Twist', roda-gigante, entre outros.[9]

"Prefeitura mirim"Editar

Em conjunto da Prefeitura de São Bernardo do Campo, são realizadas eleições de "Prefeito Mirim" da Cidade das Crianças.[20] O projeto é feito com alunos do 4º e 5º anos do Ensino Fundamental (de escola pública ou particular[21]) e tem o objetivo de que a criança eleita participe da administração do parque.[22] O mandato é voluntário e tem a duração de um Biênio.[21]

AtribuiçõesEditar

As atribuições do prefeito mirim são:[23][21]

  • Conhecer, através do Departamento de Turismo e Eventos de São Bernardo do Campo, ações relevantes relacionadas com a Cidade da Criança;
  • Participar de reuniões trimestrais com a equipe do Departamento de Turismo e Eventos de São Bernardo do Campo e apresentar sugestões de moradores e usuários;
  • Ler e encaminhar emails de moradores e usuários do parque com proposições, sugestões e reclamações sobre o Parque Cidade da Criança, da forma mais resumida possível, ao Departamento de Turismo e Eventos;
  • Ao final do mandato apresentar relatório da experiência vivenciada como Prefeito Mirim da Cidade da Criança.
BenefíciosEditar

Os benefícios são[21]:

  • A possibilidade de convidar cinco amigos por mês para irem ao parque;
  • Um email institucional próprio;
  • A possibilidade de acompanhar o Departamento de Turismo em eventos relacionados com o parque.

IncidenteEditar

Em 24 de julho de 2019, Ilma Pereira, que estava ao lado de sua filha de seis anos[24], caiu de 1,5m de altura da montanha russa infantil "Brocumela"[25][26][27], que chega numa altura máxima de 5 metros.[28] De acordo com testemunhas, ela teria desmaiado.[25] O Corpo de Bombeiros de São Paulo e o SAMU foram acionados por as 11:10 (BRT)[27]. Ela foi encaminhada ao Hospital Mário Covas (Santo André), com entrada as 12:30 (BRT)[27] e a morte foi informada pela instituição por volta das 14:20 (BRT)[29]. De acordo com o hospital, Ilma teve politraumatismo craniano. [29][30] [28] Um laudo do Instituto Médico Legal de Santo André indica que a causa da morte foi traumatismo craniano.[31] Ilma bateu a cabeça três vezes em vigas de sustentação do brinquedo, antes de cair no chão.[27][26][25]

Em Comunicado publicado no Instagram[32] o parque prestou solidariedade para a família da vítima, que "aguarda os laudos periciais e médicos para que o incidente seja completamente esclarecido" e que em "50 anos de história, este é o primeiro incidente registrado na Cidade da Criança."[29][28][26]

A polícia investiga se o parque tinha estrutura para emergência e de acordo com o titular do 1º DP de São Bernardo do Campo, até dia 25 de julho de 2019 o parque não havia apresentado um laudo de segurança.[27] A Polícia Civil fez vistoria do brinquedo e a prefeitura de São Bernardo do Campo informou que o parque tinha o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros para funcionar[26] e o mesmo atende todas as normas de funcionamento. Porém, o parque mantém a montanha russa fora de operação até que as causas do ocorrido sejam concluídas.[25][24]

Ilma Pereira foi velada dia 26 de julho de 2019[26]. O delegado Alberto José Mesquita Alves, do 1º Distrito Policial de São Bernardo citou a necessidade de apuração eventual de homicídio culposo.[31]

Ligações externasEditar

ReferênciasEditar

  1. a b c «Clássico, parque Cidade da Criança no ABC completa 50 anos repaginado, com novas atrações e uma Fazendinha». Consultado em 29 de julho de 2019. Cópia arquivada em 24 de julho de 2017 
  2. «Modelo é ruim, diz gestor da Cidade da Criança em SBC». Consultado em 29 de julho de 2019. Cópia arquivada em 29 de julho de 2019 
  3. «Cidade da Criança/Aquário de SP». Consultado em 1 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 29 de julho de 2019 
  4. a b c d e f g «Cidade da Criança sobrevive há 48 anos, mas deixa de ser cartão de visita no ABC». Consultado em 26 de julho de 2019. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2019 
  5. «Cidade da Criança no ABC». Consultado em 1 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 13 de outubro de 2017 
  6. a b c «Sucesso nos anos 70, o parque Cidade da Criança passa por reforma». Consultado em 29 de julho de 2019. Cópia arquivada em 29 de julho de 2019 
  7. «Cidade da Criança de São Bernardo reabre com 21 novos brinquedos». Consultado em 29 de julho de 2019. Cópia arquivada em 29 de julho de 2019 
  8. Coluna Memória, do jornal Diário do Grande ABC, de 10 de outubro de 2008.
  9. a b c d e f g «Cidade da Criança: o primeiro parque temático do Brasil». Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada em 25 de setembro de 2014 
  10. a b c «Parque Cidade da Criança». Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada em 28 de julho de 2019 
  11. «Submarino da Cidade da Criança, atração símbolo do parque, é reinaugurado». Consultado em 1 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 1 de agosto de 2019 
  12. «Cidade da Criança continua a encantar gerações». Consultado em 29 de julho de 2019. Cópia arquivada em 29 de julho de 2019 
  13. a b «Cidade da Criança vai virar parque educativo». Consultado em 26 de julho de 2019. Cópia arquivada em 13 de agosto de 2018 
  14. a b «Cidade da Criança». Consultado em 26 de julho de 2019. Cópia arquivada em 26 de julho de 2019 
  15. a b «Crianças brincam em 'cidade cenográfica'». Consultado em 29 de julho de 2019. Cópia arquivada em 2 de julho de 2018 
  16. «Lei 3496/90 - Lei nº 3496 de 01 de junho de 1990». Consultado em 29 de julho de 2019. Cópia arquivada em 29 de julho de 2019 
  17. a b «Prefeitura de São Bernardo reabre Cidade da Criança ao público em 17 de janeiro». Consultado em 26 de julho de 2019. Arquivado do original em 17 de janeiro de 2010 
  18. «Cidade da Criança é reaberta em São Bernardo do Campo». Consultado em 29 de julho de 2019. Cópia arquivada em 29 de julho de 2019 
  19. «Cidade da Criança de São Bernardo reabre com 21 novos brinquedos». Consultado em 26 de julho de 2019. Cópia arquivada em 26 de julho de 2019 
  20. «Concurso Prefeito Mirim Cidade da Criança». Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada em 28 de julho de 2019 
  21. a b c d «EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA PREFEITO MIRIM DO PARQUE CIDADE DA CRIANÇA DE SÃO BERNARDO DO CAMPO (pg: 40)» (PDF). Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada (PDF) em 28 de julho de 2019 
  22. «Menina de 9 anos é eleita prefeita mirim da Cidade da Crianças». Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada em 18 de junho de 2019 
  23. «DAS ATRIBUIÇÕES DO PREFEITO MIRIM». Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada em 28 de julho de 2019 
  24. a b «Confira nota oficial sobre acidente na Cidade da Criança em São Bernardo do Campo». Consultado em 30 de julho de 2019. Cópia arquivada em 30 de julho de 2019 
  25. a b c d «Em S.Bernardo, mulher morre ao cair de brinquedo na Cidade da Criança». Consultado em 30 de julho de 2019. Cópia arquivada em 30 de julho de 2019 
  26. a b c d e «Corpo de mulher morta em acidente em parque de diversões é velado em São Bernardo do Campo». Consultado em 27 de julho de 2019. Cópia arquivada em 26 de julho de 2019 
  27. a b c d e «Polícia investiga se parque no ABC tinha estrutura para emergência». Consultado em 26 de julho de 2019. Cópia arquivada em 26 de julho de 2019 
  28. a b c «Mulher morre após cair de brinquedo na Cidade da Criança, no ABC». Consultado em 26 de julho de 2019. Cópia arquivada em 26 de julho de 2019 
  29. a b c «Mulher morre ao cair de brinquedo em parque de diversões, diz família». Consultado em 26 de julho de 2019. Cópia arquivada em 25 de julho de 2019 
  30. «Mulher morre após cair de montanha-russa infantil em São Bernardo do Campo». Consultado em 26 de julho de 2019. Cópia arquivada em 26 de julho de 2019 
  31. a b «Mulher que caiu de brinquedo na Cidade da Criança morreu de traumatismo craniano». Consultado em 8 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 8 de agosto de 2019 
  32. «Comunicado». Consultado em 26 de julho de 2019