Abrir menu principal

Claustro da Misericórdia de Estremoz


Claustro da Misericórdia de Estremoz
ou Claustro do Convento das Maltesas
Claustro do Convento das Maltesas
Construção séc. XV, XVI e XVIII
Aberto ao público Sim
Estilos arquitetónicos Gótico, manuelino, renascimento e rococó
Património Nacional
Classificação Logotipo Anta Vilarinho PT.png Monumento Nacional
(Dec. nº 9.842, DG 137 de 20 de Junho 1924, com ZEP, DG 119 de 20 de Maio 1960)
DGPC 69807
SIPA 2758
Estado de conservação Bom
Geografia
País Portugal Portugal

O Claustro da Misericórdia de Estremoz também chamado de Claustro do Convento das Maltesas situa-se no Convento de S. João da Penitência da Ordem de Malta ou Convento das Maltesas, localizado na freguesia da Santo André, no Concelho de Estremoz, Distrito de Évora, Portugal.[1]

O claustro do convento foi classificado como Monumento Nacional em 1924.[2][3]. Encontra-se aberto ao público para visita: segunda-feira das 9h00 Às 12h30 e das 14h00 às 20h00. Terça a sexta das 9h00 às 20h00. Sábados e domingos das 10h00 às 20h00.[4]

HistóriaEditar

O Convento de São João da Penitência foi mandado construir por D. Manuel I ou pelo seu filho, o Infante D. Luis, Duque de Beja. Foi o único local de retiro dos Cavaleiros de Rodes em Portugal, integrados mais tarde na Ordem de Malta, e serviu de sede de clausura de freiras dessa Ordem a partir do século XVI.[1][4][5]

Em 1881 a irmandade da Misericórdia de Estremoz reinstalou-se no extinto convento das Maltesas.[6]

Actualmente, a utilização do espaço do Convento é partilhado pela Misericórdia de Estremoz, pela paróquia de Santo André, pelo Centro Ciência Viva de Estremoz e pelo Pólo de Estremoz da Universidade de Évora.[4]

DescriçãoEditar

Arquitectura religiosa, residencial e de saúde, estilo gótico manuelino[7]

O claustro, com fustes de mármore local e capitéis representando cabeças de religiosas, encontra-se circundado por três capelas dedicadas ao Senhor Jesus dos Passos, Nossa Senhora do Carmo e Nossa Senhora de Belém. De realçar os azulejos polícromos pombalinos da escada de acesso ao andar superior do claustro, bem como da Sala do Capítulo, de estilo rococó.[8]

GaleriaEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Claustro da Misericórdia de Estremoz

Notas

  1. a b IGESPAR, Ministério da Cultura de Portugal. «Ficha detalhada do Claustro da Misericórdia de Estremoz ou Claustro do Convento das Maltesas». Consultado em 10 de Março de 2011 
  2. Direcção Geral do Ensino Superior e das Bela Artes - Ministério da Educação Nacional. «DG, II Série, n.º 119, de 20-05-1960. Texto e planta do diploma». Consultado em 10 de Março de 2011 
  3. Decreto n.º 9 842, DG n.º 137, de 20-06-1924
  4. a b c «CLAUSTRO DO CONVENTO DAS MALTESAS. Descrição na página oficial do Município de Estremoz». Consultado em 10 de Março de 2011 
  5. PINHO, António Brandão de (2017). A Cruz da Ordem de Malta nos Brasões Autárquicos Portugueses. Lisboa: Chiado Editora. 426 páginas. Consultado em 28 de agosto de 2017 
  6. ESPANCA, Túlio (1975). Inventário Artístico de Portugal-Distrito de Évora. Lisboa: [s.n.] 
  7. SIPA - Sistema de Informação para o Património Arquitectónico (Forte de Sacavém). «Antiga Igreja e Convento das Maltesas / Antiga Igreja e Convento das Maltezas / Igreja da Misericórdia / Centro de Ciência Viva». Consultado em 10 de Março de 2011 
  8. MENDEIROS, José Filipe (2001). Património Religioso de Estremoz. pág. 53. Estremoz: Município de estremoz. ISBN 972-9700-1-5 

Referências bibliográficasEditar

  • COSTA, P. António Carvalho da, Corografia Portugueza..., 2.ª ed., tomo II, Braga, 1868 [1.ª ed. de 1712]
  • MARQUES, José Epifanio, Breve Memória a cerca da Instituição das Religiosas Maltesas em Portugal, 1899
  • CRESPO, Marques, Estremoz e o seu termo regional, Estremoz, 1950

Ver tambémEditar