Clement Attlee

político britânico, ex-primeiro-ministro do Reino Unido

Clement Richard Attlee, 1.º Conde Attlee (Putney, 3 de janeiro de 1883Londres, 8 de outubro de 1967) foi um político britânico que serviu como primeiro-ministro do Reino Unido de 1945 a 1951 e líder do Partido Trabalhista de 1935 a 1955. Foi vice-primeiro-ministro durante o governo de coalizão do tempo de guerra sob Winston Churchill, e serviu duas vezes como líder da oposição de 1935 a 1940 e de 1951 a 1955.[1][2]

Major O Muito Honorável
O Conde Attlee
KG OM CH FRS PC
Primeiro-Ministro do Reino Unido
Período 26 de julho de 1945
a 26 de outubro de 1951
Monarca Jorge VI
Antecessor(a) Winston Churchill
Sucessor(a) Sir Winston Churchill
Vice-Primeiro-Ministro do Reino Unido
Período 19 de fevereiro de 1942
a 26 de julho de 1945
Monarca Jorge VI
Sucessor(a) Herbert Morrison
Líder da Oposição
Período 26 de outubro de 1951
a 25 de novembro de 1955
Monarcas Jorge VI (1951–1952)
Isabel II (1952–1955)
Antecessor(a) Winston Churchill
Sucessor(a) Herbert Morrison
Período 25 de outubro de 1935
a 11 de maio de 1940
Monarcas Jorge V (1935–1936)
Eduardo VIII (1936)
Jorge VI (1936–1940)
Antecessor(a) George Lansbury
Sucessor(a) Hastings Lees-Smith
Secretário de Estado para os
Assuntos dos Domínios
Período 15 de fevereiro de 1942
a 24 de setembro de 1943
Monarca Jorge VI
Antecessor(a) O Visconde Cranborne
Sucessor(a) O Visconde Cranborne
Lorde do Selo Privado
Período 11 de maio de 1940
a 15 de fevereiro de 1942
Monarca Jorge VI
Antecessor(a) Sir Kingsley Wood
Sucessor(a) Sir Stafford Cripps
Dados pessoais
Nome completo Clement Richard Attlee
Nascimento 3 de janeiro de 1883
Putney, Surrey,
Reino Unido
Morte 8 de outubro de 1967 (84 anos)
Londres, Reino Unido
Progenitores Mãe: Ellen Bravery Watson
Pai: Henry Attlee
Alma mater University College, Oxford
Esposa Violet Millar (1922–1964)
Filhos 4
Partido Trabalhista
Religião Ateísmo
Profissão Advogado
Serviço militar
Serviço/ramo Exército Britânico
Anos de serviço 1914–1919
Graduação Major
Conflitos Primeira Guerra Mundial
Condecorações Estrela de 1914–15
Medalha Britânica da Guerra
Medalha da Vitória

VidaEditar

Attlee nasceu em uma família de classe média alta, filho de um advogado rico de Londres. Depois de frequentar a escola pública Haileybury College e a Universidade de Oxford, ele atuou como advogado. O trabalho voluntário que realizou no East End de Londres o expôs à pobreza e suas opiniões políticas mudaram para a esquerda depois disso. Ele ingressou no Partido Trabalhista Independente, desistiu de sua carreira jurídica e começou a lecionar na London School of Economics. Seu trabalho foi interrompido pelo serviço como oficial na Primeira Guerra Mundial. Em 1919, ele se tornou prefeito de Stepney e em 1922 foi eleito Membro do Parlamento por Limehouse. Attlee serviu no primeiro governo de minoria trabalhista liderado por Ramsay MacDonald em 1924 e, em seguida, juntou-se ao Gabinete durante a segunda minoria de MacDonald (1929-1931). Depois de manter sua cadeira na derrota esmagadora do Trabalhismo em 1931, ele se tornou o vice-líder do partido. Eleito líder do Partido Trabalhista em 1935, e a princípio defendendo o pacifismo e se opondo ao rearmamento, ele se tornou um crítico do apaziguamento de Neville Chamberlain a Hitler e Mussolini na preparação para a Segunda Guerra Mundial. Attlee levou o Partido Trabalhista para o governo de coalizão em tempo de guerra em 1940 e serviu sob Winston Churchill, inicialmente como Lord Privy Seal e depois como vice-primeiro-ministro em 1942.[nota 1]

Após o fim da Segunda Guerra Mundial na Europa, a coalizão foi dissolvida e Attlee conduziu os trabalhistas a uma vitória esmagadora nas eleições gerais de 1945, [nota 2] formando o primeiro governo de maioria trabalhista. A abordagem keynesiana de seu governo para a gestão econômica visava manter o pleno emprego, uma economia mista e um sistema muito ampliado de serviços sociais fornecidos pelo estado. Para tanto, empreendeu a nacionalização dos serviços públicos e das principais indústrias, e implementou amplas reformas sociais, incluindo a aprovação da Lei do Seguro Nacional de 1946 e Lei de Assistência Nacional, a formação do Serviço Nacional de Saúde (NHS) em 1948 e a ampliação dos subsídios públicos para a construção de casas do conselho. Seu governo também reformou a legislação sindical, as práticas de trabalho e os serviços infantis; criou o sistema de Parques Nacionais, aprovou a Lei das Cidades Novas de 1946 e estabeleceu o sistema de planejamento urbano e rural.

Na política externa, Attlee delegou a Ernest Bevin, mas supervisionou a partição da Índia (1947), a independência da Birmânia e do Ceilão e a dissolução dos mandatos britânicos da Palestina e da Transjordânia. Ele e Bevin encorajaram os Estados Unidos a assumir um papel vigoroso na Guerra Fria; incapaz de pagar uma intervenção militar na Grécia, ele pediu a Washington que se opusesse aos comunistas, estabelecendo a Doutrina Truman. Ele apoiou o Plano Marshall para reconstruir a Europa Ocidental com dinheiro americano e, em 1949, promoveu a aliança militar da OTAN contra o bloco soviético. Depois de liderar o Partido Trabalhista a uma vitória estreita nas eleições gerais de 1950, ele enviou tropas britânicas para lutar na Guerra da Coréia.[nota 3]

Attlee havia herdado um país à beira da falência após a Segunda Guerra Mundial e atormentado por alimentos, habitação e escassez de recursos; apesar de suas reformas sociais e programa econômico, esses problemas persistiram ao longo de seu governo, ao lado de crises recorrentes de moeda e dependência da ajuda americana. Seu partido foi derrotado por pouco pelos conservadores nas eleições gerais de 1951, apesar de ter conquistado a maioria dos votos. Ele continuou como líder trabalhista, mas se aposentou após perder a eleição de 1955 e foi elevado à Câmara dos Lordes; ele morreu em 1967. Em público, ele era modesto e despretensioso, mas nos bastidores sua profundidade de conhecimento, comportamento tranquilo, objetividade e pragmatismo provaram ser decisivos. Frequentemente classificado como um dos maiores primeiros-ministros britânicos. A reputação de Attlee entre os estudiosos cresceu, graças à sua criação do moderno estado de bem-estar e ao envolvimento na construção da coalizão contra Joseph Stalin na Guerra Fria. Ele continua sendo o líder trabalhista mais antigo da história britânica.[3][4][5][6][7][8][9]

DescolonizaçãoEditar

A descolonização nunca foi um grande problema eleitoral, mas Attlee deu ao assunto muita atenção e foi o principal líder no início do processo de descolonização do Império Britânico.[10][11]

Índia e PaquistãoEditar

Attlee orquestrou a concessão da independência à Índia e ao Paquistão em 1947. Attlee em 1928–1934 foi membro da Comissão Estatutária Indiana (também conhecida como Comissão Simon). Ele se tornou o especialista do Partido Trabalhista na Índia e em 1934 estava comprometido em conceder à Índia o mesmo status de domínio independente que o Canadá, Austrália, Nova Zelândia e África do Sul haviam recebido recentemente.[12]

Birmânia e CeilãoEditar

Attlee também patrocinou a transição pacífica para a independência em 1948 da Birmânia (Mianmar) e do Ceilão (Sri Lanka).[13]

Notas

  1. Attlee trabalhou nos bastidores para lidar com muitos detalhes e trabalho organizacional no Parlamento, enquanto Churchill assumia o centro do palco com sua atenção na diplomacia, política militar e questões mais amplas.
  2. A variação nacional de 12% de votos de conservadores para trabalhista continua a ser a maior alcançada por qualquer partido nas eleições gerais britânicas.
  3. Attlee enviou tropas britânicas para lutar no Emergência Malaia (1948) e a Royal Air Force para participar do Bloqueio de Berlim, e encomendou um estudo para "uma teoria de dissuasão" (se refere a estudos e práticas sobre como ameaças ou força limitada de uma parte podem convencer outra parte a se abster de iniciar algum curso de ação) independente para o Reino Unido.

Referências

  1. Beckett, Francis (1998). Clem Attlee: A Biography. [S.l.]: Blake. ISBN 978-1860661013 
  2. Pearce, Robert (1997). Attlee. [S.l.]: Longman. ISBN 0582256909 
  3. Beech, Matt; Lee, Simon (2008). Ten Years of New Labour. [S.l.]: Palgrave Macmillan. ISBN 978-0230574434 
  4. Hill, C. P. (1970). British Economic and Social History, 1700–1964 3rd rev. ed. [S.l.]: Hodder & Stoughton Educational. ISBN 978-0713116243 
  5. Lowe, Norman (1997). Mastering Modern World History. Col: Palgrave Master Series 3rd rev. ed. [S.l.]: Palgrave Macmillan. ISBN 978-0333685235 
  6. Morgan, Kenneth O. (1984). Labour in Power, 1945–51. [S.l.]: OUP. ISBN 978-0192158659 
  7. Munro, Donald, ed. (1948). Socialism: The British Way. [S.l.]: Essential Books 
  8. Thomas-Symonds, Nicklaus (2012). Attlee: A Life in Politics. [S.l.]: I.B.Tauris. ISBN 978-1780762159 
  9. Kay, Kingsley (1946). «Development of industrial hygiene in Canada» (PDF). Montreal. Industrial Safety Survey. XXII (1): 1–11. PMID 20279825. Cópia arquivada (PDF) em 25 de outubro de 2016 
  10. David Wilsford (1995). Political Leaders of Contemporary Western Europe: A Biographical Dictionary. [S.l.]: Greenwood Publishing Group. p. 21. ISBN 9780313286230 
  11. Nicholas Owen, "Attlee governments: The end of empire 1945–51". Contemporary British History 3#4 (1990): 12–16.
  12. John Bew (2017). Clement Attlee: The Man Who Made Modern Britain. Oxford UP. pp. 186–187. ISBN 978-0-19-020340-5
  13. Paul H. Kratoska (2001). South East Asia, Colonial History: Peaceful transitions to independence (1945–1963). Taylor & Francis. ISBN 9780415247849

Links externosEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Clement Attlee
 
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Clement Attlee


Precedido por
Winston Churchill
(1º mandato)
Primeiro-ministro do Reino Unido
19451951
Sucedido por
Winston Churchill
(2º mandato)
  Este artigo sobre um político britânico é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.