Abrir menu principal

Clube Esportivo Dom Bosco é um clube matogrossense de futebol da cidade de Cuiabá, capital do estado de Mato Grosso. É o mais antigo do estado e o segundo mais antigo do Centro-Oeste, tendo sido fundado no dia 4 de janeiro de 1925. Suas cores são azul e branca. Seu mascote é o Leão da Colina. Manda seus jogos na Arena Pantanal (antigo Estádio Governador José Fragelli, o "Verdão") e às vezes no estádio Eurico Gaspar Dutra, o Dutrinha em Cuiabá.

Dom Bosco
CEDomBosco.png
Nome Clube Esportivo Dom Bosco
Alcunhas Leão da Colina
Torcedor/Adepto Dombosquinos
Mascote Leão
Principal rival Mixto
Fundação 4 de janeiro de 1925 (94 anos)
Estádio Arena Pantanal
Capacidade 42.968 espectadores
Localização Cuiabá, MT
Presidente Dr.Adbar da Costa Salles
Treinador Hugo Alcântara
Patrocinador Oncomed
Material (d)esportivo Hazza
Competição Mato-Grossense - 1ª Divisão
Copa FMF
Ranking nacional Aumento 117.º lugar, 480 pontos[1]
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

Dom Bosco (o time mais antigo do Mato Grosso) e Mixto (o time com a maior torcida do estado) fazem o grande derby de Cuiabá. O encontro entre eles é conhecido como "Clássico Vovô", por ser o clássico mato-grossense mais antigo. clube conta com torcedores notórios, pois o Dom Bosco possuía uma sede social que em tempos anteriores abrigavam grandes bailes e eventos sociais que atraíam as celebridades locais.

Lembrando que sempre foi um clube onde os frequentadores eram considerados da elite cuiabana. A sede social fica no Centro da capital mato-grossense. Teve sua estreia no Campeonato Matogrossense de Futebol em 1943, mas o debut não foi dos mais honrosos: foi goleado pelo Mixto por 5x1.

HistóriaEditar

O clube mais antigo do futebol de Mato Grosso é o único clube da Baixada Cuiabana que ainda possui sede própria , um predio com mais de 10.300 metros quadrados de área construída localizado bem no Centro da Capital mato-grossense , no Bairro Bandeirantes. Além de levantar o troféu da FMF, o Dom Bosco teve também três participações no Campeonato Brasileiro, uma na Taça de Bronze e outra na Segunda Divisão - hoje Série B.

Em 1977 o clube foi o 62º colocado, ou seja, o último na classificação do Brasileirão. Em sua segunda participação, no ano seguinte (1978) subiu para o 31º lugar e em 79 foi o 32º.

Foi o Dom Bosco o primeiro clube mato-grossense a disputar uma partida oficial no estádio do Maracanã, em 29 de abril de 1970. No dia 30 o Brasil embarcou para o México, onde foi tricampeão. O "Leão" enfrentou o São Cristóvão e empatou em 1 a 1. "Fomos roubados, para variar", acusa Alvaro Scolfaro, na época treinador e mais tarde Presidente do clube.

De 1977 a 1979 o Dom Bosco teve o melhor time de todos os tempos, chamado de "Academia" pelo presidente da FMF, Carlos Orione, devido ao toque refinado e a classe de seus jogadores. O time que encantou os Mato-grossenses tinha Mão de Onça; Tuca, Ailton Silva, Valter Silva e Zé Maria; Roberto Dias, Fidélis e Barga, Gonçalves, Juju, Adilson e Veiga. O técnico era Roberto Pinto, depois sucedido por Orlando Peçanha. "Foi um time que somou tantos pontos, que manteve o clube entre os 100 primeiros no ranking da SportPress, até hoje", lembra o presidente.

Na história do Estadual – pós-divisão – tem apenas um título, conquistado em 1991. Em 2006, amargou o vexame de ser rebaixado para a Segunda Divisão. Mas, por decisão da Federação Mato-grossense de Futebol, o campeonato da ‘segundona’ não foi disputado e o Azulão foi mantido na divisão principal, assim como o Sorriso Esporte Clube, que também fora rebaixado no ano anterior. Depois de outra campanha pífia em 2007, quando o clube terminou o campeonato na última posição, o Dom Bosco se licenciou, só voltando ao futebol profissional em 2014, quando o clube ganhou o campeonato da segunda divisão de forma invicta.

Ocuparam os cargos de Presidente do Clube Esportivo Dom Bosco desde a sua fundação : José de Carvalho , Manoel Miraglia , Antonio Bastos , Caraciolo Azevedo de Oliveira , Manoel Vieira da Silva , Lino Miranda , Antonio Gonçalo Souto de Arruda , Joaquim Francisco de Assis , Claudio Barreto , João Bosco Delamônica , May do Couto , Paulo de Campos Borges , João Barbosa Caramurú , Francisco Vilanova Filho , Renato Miguéis Olavarria , Alceu Francisco de Oliveira , Alvaro Scolfaro , e , atualmente (2018) , o advogado e Procurador do Estado de Mato Grosso Aposentado , Adbar da Costa Salles.

Ano a anoEditar

2001 - Dos 13 jogadores relacionados por Jair, o técnico interino do Dom Bosco, vários já defenderam o Dom Bosco em temporadas anteriores, como o zagueiro Márcio, o volante Chicão e o atacante Luis André. Os demais atletas são da equipe do Duque de Caxias, que conquistou o título estadual sub-20 no ano 2000.

Rodrigo; Celso ou Catarino, Márcio, Lindomar e Guto ou Palmiro; Chicão, Cláudio Ariel, Nardo e Manga; Marcelo e Amaro ou Luis André.

2002 - Contratou o apoiador Vitor, de 39 anos, o mais velho do Campeonato e o meia Mujica (ex-União de Rondonópolis). O clube já tem o zagueiro central Anderson, Linddomar, o lateral Guto, o meia Cley, o atacante Luis André, o ‘xerife’ Chicão e o ala Catarino. EB: Dida, Shelton (Pio), Anderson, Lindomar e Franco; Mujica, Victor e Bil (Chicão); Grey, Wal (Paulinho) e Luis André. Técnico: Rogério de Oliveira.

2003 - O técnico é Tadeu Ricci. Dida; Daniel, Júlio César, Maninho e Carlinhos; Ney, Chicão, Geovane e Jandaia; Marcão e Kilmair.

2007- É a última participação do clube em uma competição profissional, terminando em 12º lugar na classificação geral, sendo o último colocado[2].

2008 - O clube se licencia da Federação Matogrossense de Futebol , desativando completamente seu Departamento de Futebol Profissional.

2010 - O advogado Adbar da Costa Salles , antigo defensor do clube e Chefe do seu Departamento Jurídico é eleito novo Presidente do clube por indicação do ex-Presidente Alvaro Scolfaro, com a missão

de unir os dissidentes e pacificar o clube.

2013 - O novo Presidente terceiriza o Futebol Profissional do Clube para a torcida organizada "Associação dos Leões da Colina" (ALECO) , assumindo esta toda responsabilidade pelo passivo que originar

decorrente da participação do clube em eventos esportivos da categoria profissional. A ALECO tem como líderes os sócios do clube Fábio de Andrade Assis , Julio Cesar Preza de Arruda ,

Paulo Emilio de Magalhães e o advogado Francisco Anis Faiad.

2015 - a ALECO decide , uinilateralmente , de administrar o Futebol Profissional do clube , como terceirizado.

2016 - Os sócios do clube , Julio Cesar Preza de Arruda e Paulo Emilio de Magalhães constituem uma empresa destinada a terceirizar o Departamento de Futebol Profissional.

2019 - O Advogado Adbar da Costa Salles após 4 reeleições seguidas , ainda é o mandatário máximo do clube .

2019 - O Clube Esportivo Dom Bosco faz acordos com a Prefeitura Municipal de Cuiabá , sob a gestão do Advogado Emanuel Pinheiro da Silva , visando reformar e manter como memorial do esporte cuiabano , a sede social do clube no Bairro Bandeirantes em Cuiabá.

(Fonte: Gazeta Digital)

O alviceleste disputou o Campeonato Brasileiro 6 vezesEditar

- 1ª Divisão – 1977, 1978 e 1979 (52 jogos, 10 vitórias, 12 empates e 36 derrotas)

- 2ª Divisão – 1989 (10 jogos, 4 vitórias e 6 derrotas)

- 3ª Divisão – 1981 (8 jogos, 7 vitórias, 4 empates e 2 derrotas)

- 4ª Divisão – 2018 (6 jogos, 5 derrotas, e 1 empate)

Na Copa do Brasil o Azulão tem apenas uma participação: foi em 2003, quando foi eliminado logo no primeiro jogo ao ser goleado pelo Sport Recife por 5 x 0 no Estádio Verdão.

Na história do Campeonato Estadual pós-divisão do EstadoEditar

•O Dom Bosco não disputou os campeonatos de 1999, 2000, 2005 e a partir de 2008.
•Em 1979 e 1990, o Azulão não conquistou o título, mas terminou os campeonatos com apenas duas derrotas
•O recorde de vitórias do Dom Bosco em uma mesma competição é de 16, em 1990 e 1991
•A pior campanha dombosquina aconteceu em 2006 – nenhuma vitória, três empates, seis derrotas e rebaixamento para a 2ª Divisão
•Em 1990 o Dom Bosco teve o seu melhor ataque – 42 gols marcados
•O pior ataque foi o de 2006, que marcou só seis gols
•A melhor defesa alviceleste foi registrada no Estadual de 1996, quando sofreu apenas 12 gols
•Em 1982, o Dom Bosco sofreu 48 gols – sua pior defesa da história
•Na sua única conquista – em 1991 – o Dom Bosco alcançou um feito inédito até hoje: é o único campeão estadual que durante a competição passou pela Repescagem
•O Dom Bosco perdeu três partidas por WO na história do Estadual – para o Barra e para o Palmeiras em 1985, e para o Vila Aurora em 1995

TítulosEditar

EstaduaisEditar

Campeão (6): (1958, 1960, 1963, 1966, 1971 e 1991).
Campeão (1): 2014
Campeão (1): 2015

MasterEditar

  •   Copa Gazeta de Futebol Master
Campeão (2): 1996, 2007

Campanhas de DestaqueEditar

Terceiro colocado: 1981

Elenco atualEditar

  Última atualização: 3º de maio de 2018. 2018

Elenco atual do Clube Esportivo Dom Bosco[3]
N.º Pos. Nome N.º Pos. Nome N.º Pos. Nome
1 G   Valdir 13 Z   Airton Maranhão
2 LD   João Lennon 14 Z   Lúcio
3 Z   Paulinho Bispo 15 M   Mumu
4 Z   Davi 16 M   Ivaldo Paraense
6 LE   Heitor Baiano 17 A   Dionas
5 V   Fernando 18 A   Paulo Capixaba
7 V   Edvaldo
8 V   Ronan
10 M   Dênis Potiguar
11 M   Leidson
9 A   Lucca Daniel
12 G   Camilo

Técnico:   Hugo Alcântara

Referências

  1. CBF (5 de dezembro de 2018). «RNC - Ranking Nacional dos Clubes 2019» (PDF) 
  2. http://www.bolanaarea.com/estaduais_mt_2007.htm
  3. «Súmula» (PDF) (em portugues). Site oficial da CBF. Consultado em 3 de maio de 2018 

Ver tambémEditar