Cneu Acerrônio Próculo

Cneu Acerrônio Próculo (em latim: Gnaeus Acerronius Proculus) foi um senador romano eleito cônsul em 37 com Caio Petrônio Pôncio Nigrino[1][2][3][4]. Provavelmente era um descendente de um Cneu Acerrônio que morreu em 71 a.C. citado por Cícero em "Pro Tullio", um vir optimus. É possível também que tenha sido pai de Acerrônia Pola, uma amiga de Agripina, a Jovem, a mãe do imperador Nero, que acabou morrendo afogada em 59 depois de uma tentativa fracassada de matar Agripina[5][6][7].

Cneu Acerrônio Próculo
Cônsul do Império Romano
Consulado 37 d.C.

Carreira e famíliaEditar

Tibério morreu em 16 de março de 37, durante seu mandato. O Senado ofereceu a Calígula, seu herdeiro, a possibilidade de assumir o trono imediatamente, mas ele preferiu esperar o final do mandato de seis meses dos dois cônsules já no cargo.

Anteriormente se assumia que ele havia sido procônsul da Acaia, mas atualmente assume-se que tenha sido seu filho de mesmo nome.

Ver tambémEditar

Cônsul do Império Romano
 
Precedido por:
'Sexto Papínio Alênio

com Quinto Pláucio
com Caio Vécio Rufo (suf.)
com Marco Pórcio Catão (suf.)

Cneu Acerrônio Próculo
37

com Caio Petrônio Pôncio Nigrino
com Calígula I (suf.)
com Cláudio I (suf.)
com Aulo Cecina Peto (suf.)
com Caio Canínio Rébilo (suf.)

Sucedido por:
'Marco Áquila Juliano

com Públio Nônio Asprenas
com Sérvio Asínio Céler (suf.)
com Sexto Nônio Quintiliano (suf.)


Referências

BibliografiaEditar