Abrir menu principal

Cneu Domício Enobarbo (cônsul em 162 a.C.)

Disambig grey.svg Nota: Para Cneu Domício Enobarbo, veja Cneu Domício Enobarbo (cônsul em 162 a.C.) (desambiguação).
Cneu Domício Enobarbo
Cônsul da República Romana
Consulado 162 a.C.

Cneu Domício Enobarbo (em latim: Gnaeus Domitius Ahenobarbus) foi um político da gente Domícia da República Romana eleito cônsul 162 a.C. com Públio Cornélio Lêntulo. Era filho de Cneu Domício Enobarbo, cônsul em 192 a.C., e pai de Cneu Domício Enobarbo, cônsul em 122 a.C..

CarreiraEditar

Denário cunhado por Cneu Domício
 
Cabeça romana com um elmo. Dióscuros a cavalo; sobre CN • DO; ROMA como lema.

Foi nomeado pontífice em 172 a.C., ainda muito jovem[1] e, três anos depois, foi enviado com mais dois colegas numa embaixada ao Reino da Macedônia.[2]

Em 167 a.C., Enobarbo foi um dos dez encarregados pelo Senado de resolver a situação na Macedônia sob a liderança de Emílio Paulo.[3] Na confusa eleição para o consulado de 162 a.C., depois de uma interpretação errônea dos auspícios, a eleição de Cipião Násica Córculo e Caio Márcio Fígulo foi anulada e Enobarbo foi eleito numa segunda rodada juntamente com Públio Cornélio Lêntulo.[4][5]

É geralmente atribuída a Enobarbo uma cunhagem de moedas romanas, datada na década de 180 a.C., composta por um denário e três outras moedas em bronze: um asse, um quadrante e um sextante. Esta série é caracterizada pelas letras "CN DO".[6]

Árvore genealógicaEditar

Ver tambémEditar

Referências

BibliografiaEditar

Fontes primáriasEditar

Fontes secundáriasEditar