Cneu Servílio Cepião (cônsul em 203 a.C.)

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Cneu Servílio Cepião.

Cneu Servílio Cepião (m. 174 a.C.; em latim: Gnaeus Servilius Caepio) foi um político da gente Servília da República Romana eleito cônsul em 203 a.C. com Caio Servílio Gêmino. Era filho de Cneu Servílio Cepião, cônsul em 253 a.C., e pai de Cneu Servílio Cepião, cônsul em 169 a.C..

Cneu Servílio Cepião
Cônsul da República Romana
Consulado 203 a.C.
Morte 174 a.C.

Segunda Guerra PúnicaEditar

 Ver artigo principal: Segunda Guerra Púnica

Cepião foi eleito pontífice em 213 a.C. no lugar de Caio Papíro Maso,[1] edil curul em 206 a.C., celebrando jogos três vezes,[2] e pretor urbano em 205 a.C.[3]

Consulado (203 a.C.)Editar

 Ver artigo principal: Batalha de Crotona

Em 203 a.C., foi eleito cônsul com Caio Servílio Gêmino. Durante seu mandato, recebeu Brúcio como sua província e foi o último general a lutar contra Aníbal na península Itálica. A luta aconteceu nos arredores de Crotona, mas não há nenhuma informação adicional sobre a batalha.[4]

Quando Aníbal abandonou a Itália, Cepião foi para a Sicília com a intenção de persegui-lo até a África.[5] Para evitar que ele agisse de forma precipitada, o Senado, temendo que o cônsul não acatasse suas ordens, nomeou Públio Sulpício Galba Máximo ditador e ele chamou Cepião de volta à Itália.[6]

Anos finaisEditar

Em 192 a.C., Cepião foi enviado com outros diplomatas à Grécia para tentar obter aliados na guerra contra Antíoco III, o Grande. Morreu numa epidemia em 174 a.C.[7]

Árvore genealógicaEditar

Ver tambémEditar

Cônsul da República Romana
 
Precedido por:
'Marco Cornélio Cetego

com Públio Semprônio Tuditano

Caio Servílio Gêmino
203 a.C.

com Cneu Servílio Cepião

Sucedido por:
'Marco Servílio Púlex Gêmino

com Tibério Cláudio Nero


Referências

BibliografiaEditar

Fontes primáriasEditar

Fontes secundáriasEditar