Abrir menu principal

Porquinho-da-índia

(Redirecionado de Cobaia)

História do nomeEditar

Etimologia em outros idiomasEditar

O nome que a espécie Cavia porcellus recebe em alguns idiomas europeus não leva em conta o original:

  • Cavia peruviana ou Porcellino d’India ('porquinho da índia') em italiano.
  • Porquinho da Índia ('porquinho da Índia') em português
  • Cochon d'Inde ( 'porquinho da Índia') ou cobaye em francês
  • Guinea pig ('porquinho da Guiné ') em Inglês
  • Meerschweinchen ( 'porquinho do mar') em alemão
  • Морская свинка ou Morskaya svinka ( 'porquinho do mar') em russo

Porquinho-da-índiaEditar

Apesar do seu nome comum, o porquinho-da-Índia não é suíno, tampouco indiano.[4] O nome deve-se ao fato de, originalmente, provirem das chamadas "Índias Ocidentais" (atual continente americano).

CobaiaEditar

Originalmente o termo usado para designar esse roedor, através do latim científico com base na língua tupi antiga era cobaia, esse por extensão (e em sentido figurado), passou a designar o campo ou objeto de alguma pesquisa científica.[1][5][6]

Segundo o tupinólogo Eduardo Navarro, o nome "cobaia" se originou da leitura errônea feita por Lineu do livro Historia Naturalis Brasiliae, de Marcgrave. Neste livro, Marcgrave escreveu a palavra tupi antiga saûîásobaîa (literalmente, o roedor (saûîá) da banda de além (sobaîa), ou seja, que não é originário do Brasil), que designava o porquinho-da-índia, sob a grafia CAVIA COBAIA. A leitura correta de CAVIA COBAIA é "çauiá çobaia", mas Lineu leu "cavia cobaia". Tal erro de pronúncia de Lineu gerou o atual nome "cobaia".[7]

Guinea pigEditar

Para a explicação do seu nome em língua inglesaguinea pig —, há duas hipóteses:

  • as embarcações inglesas, por fazerem escala na costa da Guiné, deram, às pessoas, a ideia de que os animais eram originários daquela região (e não da costa pacífica sul-americana);
  • os marinheiros ingleses cobravam, pelos animais, um guinéu, moeda de ouro utilizada à época.

HistóriaEditar

Alguns povos andinos, no período da colonização espanhola da América, os criavam para deles se alimentarem. Os europeus tomaram contato com este animal desde o século XVI, ao atingirem os domínios do Império Inca. Os incas denominavam-no Cuy, por causa dos gritos curtos que emite. Eram criados para o consumo, desempenhando um papel importante na alimentação desse povo. Atualmente, em alguns países — como o Peru —, ainda existe essa tradição.

Ao chegarem à Espanha, os porquinhos-da-índia tornaram-se moda, vindo a espalhar-se por toda a Europa como animais de estimação.

Estes roedores passaram a ser utilizados em estudos experimentais de laboratório desde o século XIX.

 
Três pequenos porquinhos-da-índia.

CaracterísticasEditar

Os porquinhos-da-Índia vivem de quatro a seis anos e podem reproduzir-se ao longo de todo o ano, e gerando dois a seis filhotes por ninhada. Para o primeiro acasalamento, recomenda-se que o macho tenha de três a quatro meses e as fêmeas de três a sete meses (jamais depois de sete meses). O período de gestação é de 59 a 72 dias, sendo a média de 62 dias. O tamanho dos filhotes, ao nascer, é de 7,62 cm. A idade ideal para o desmame é de 3 semanas. São vivazes e dóceis, raramente mordendo, a menos que se sintam ameaçados ou perturbados.

Quando adultos, os machos medem cerca de 25 cm e pesam de 1200 a 1500 gramas, enquanto as fêmeas costumam ser menores e mais leves, tendo em média 20 cm e pesando de 900 a 1200 gramas.

CriaçãoEditar

 
Porquinho-da-índia em um cercado recomendado.

Apesar de razoavelmente difundida, a criação de cobaias em cativeiro requer diversos cuidados, especialmente em relação ao forro do fundo da gaiola, para evitar contaminação do animal por seus próprios dejetos. Também são necessários cuidados especiais em relação às fêmeas durante e logo após a gravidez.[8]

Como originalmente eram presas fáceis em seus habitats naturais, inicialmente o pequeno animal se esconderá em algum canto da nova casa, mas com paciência e manejo suave, o novo amiguinho se sentirá confiável e próximo ao tutor[9].

Na criação doméstica, o ideal é fazer um cercado de, pelo menos, 90 x 80 cm para um porquinho-da-índia. Como é, às vezes, recomendada a criação de pelo menos dois porquinhos no mesmo espaço, uma vez que é um animal de vivência comunitária, o espaço tem que ser um pouco maior, de 120 x 90 cm[10]. Cercadinhos à venda com medidas de 90 x 60 cm, ou 120 x 60, também são aceitáveis, porém observando a quantidade de objetos dentro do habitáculo do pequeno roedor[11].

É necessário que a dupla de porquinhos-da-índia sejam do mesmo sexo[12], atentando-se ao fato de que as fêmeas podem ser da mesma idade, e os machos com pelo menos seis meses de diferença. Se no mesmo local estiverem dois porquinhos machos da mesma idade, é possível que briguem, motivados pela disputa da liderança do local. Se no cercadinho já há um porquinho-da-índia morando, o novo companheiro terá que ficar em quarentena em um local próprio, para só depois daí morarem juntos[13].


AlimentaçãoEditar

 
Um porquinho-da-índia comendo uma maçã.

Porquinhos-da-índia são animais totalmente herbívoros.[8]

Feno, frutas e verduras são a base alimentar do porquinho-da-índia. Pode ser também oferecida ração própria para esses roedores, encontradas em Petshops especializados. O feno pode ser ofertado em abundância. É necessário verificar se o feno está fresco, sem pó e de qualidade[14].

Quando em vida selvagem, esse roedor se alimenta basicamente de feno, ervas frescas e plantas de folha verde, princípios que se podem adotar na alimentação de porquinhos-da-índia domesticados. Os seguintes vegetais podem ser oferecidos diariamente:

  • Endívia
  • Rúcula
  • Abobrinha
  • Couve-flor
  • Pepino
  • Cânones
  • Catalônia
  • Berinjela
  • Espinafres
  • Pimentão amarelo
  • Pimentão verde
  • Couve de Bruxelas
  • Repolho verde
  • Aipo
  • Cenouras
  • Abóbora
  • Brócolis (folhas e talo)
  • Alcachofra
  • Acelga
  • Vagem

Alface, que pode causar diarreia crônica, deve ser evitado[15]. Se o porquinho-da-índia está com sobrepeso, pode-se oferecer berinjela, abobrinha e pepino. Pelo contrário, se está necessitando ganhar peso, podem ser oferecidas verduras como a catalônia, abóbora ou endívias. Para problemas nos rins ou trato urinário, é recomendado dar acelgas. Já alcachofra é bom para o fígado[16].

Em relação às frutas, que deverão ser ofertadas em pequenas quantidades e cerca de 3 a 4 vezes por semana, sem pele e sem sementes, as seguintes são recomendadas:

  • Kiwi
  • Ananás
  • Cereja
  • Morangos
  • Melancia
  • Mamão
  • Damascos
  • Banana
  • Maçã
  • Manga
  • Mirtilos
  • Mexericas
  • Pêssego
  • Nêspera
  • Pera
  • Ameixa
  • Laranjas
  • Nectarina
  • Melão
  • Tomate

Para prisão de ventre, o ideal é alimentar o porquinho-da-índia com kiwi e maçã, mas sem excesso. O melão e melancia são ótimas opções para hidratar o pequeno roedor. Um problema comum no porquinho é o excesso de gases, que pode ser evitado com o consumo de abacaxi, que melhora o seu sistema digestivo[17].

Como esses roedores não conseguem sintetizar a Vitamina C em seu corpo, é necessária a ingestão de suplemento dessa vitamina [18].

Sons e ruídosEditar

Os sons dos porquinhos-da-índias são bastantes característicos, inclusive originando um de seus diversos nomes, cuy[19].

A linguagem que esses pequenos mamíferos utilizam, tanto para a comunicação com humanos, quanto para outros porquinhos, é o seguinte[20]:

  • Uik, Uik! = Pode estar pedindo atenção ou comida. É um som muito ouvido quando o tutor chega em casa ou quando abre a porta da geladeira ou a sacola com verduras.
  • UIK!!!! = O grito agudo que demonstra medo, desespero ou dor. Também uma forma de indicar a aproximação de um predador.
  • Purrr = Som semelhante ao ronronar dos gatos. Demonstra segurança, prazer e alegria. Também é um som feito pelo macho ao fazer a corte e  a rumba para a fêmea.
  • Drrr = Sinal de alerta quando há algo estranho ao ambiente ou sons desconhecidos ou desagradáveis.
  • Resmungo baixo = É uma conversa  entre porquinhos. Alguns porquinhos também emitem esse som como uma conversa como tutor.
  • Bater os dentes =  É um som de ameaça. Pode demonstrar irritação com alguma coisa ou defesa de território. Pode demonstrar que uma briga está prestes a começar.
  • Chorinho = Som de desconforto normalmente emitido pela fêmea não receptiva às tentativas de corte do macho ou até  para o tutor querendo demonstrar que não quer mais ficar no colo.[21]
O som de "uik, uik" do porquinho-da-índia solicitando comida.



RaçasEditar

 
Porquinho-da-Índia da raça Angorá

Os porquinhos-da-índia apresentam uma grande variedade de cores e padrões, a saber:

Referências

  1. a b Por Sérgio Rodrigues (27 de janeiro de 2015). «Cobaia, mas pode chamar de porquinho-da-índia». Consultado em 26 de abril de 2017 
  2. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 421.
  3. NAVARRO, E. A. Dicionário de tupi antigo: a língua indígena clássica do Brasil. São Paulo. Global. 2013. p. 439, 443.
  4. «Porquinhos-da-Índia são ótimos animais de estimação». R7. Consultado em 29 de Agosto de 2016 
  5. Dicionário Aurélio, verbete cobaia
  6. NAVARRO, E. A. Dicionário de tupi antigo: a língua indígena clássica do Brasil. São Paulo. Global. 2013. p. 439, 443.
  7. NAVARRO, E. A. Dicionário de tupi antigo: a língua indígena clássica do Brasil. São Paulo. Global. 2013. p. 439, 443.
  8. a b Karen Calado. «Porquinho da Índia: Como Cuidar». Consultado em 26 de abril de 2017 
  9. Minas, Estado de; Minas, Estado de (8 de agosto de 2015). [https://www.em.com.br/app/noticia/especiais/mundo-pet/2015/08/08/noticia-especial-mundo-pet,676344/querido-e-popular.shtml «Porquinho-da-�ndia � d�cil e gosta de ganhar aten��o»]. Estado de Minas. Consultado em 24 de agosto de 2019  replacement character character in |titulo= at position 14 (ajuda)
  10. «Alojamento». Consultado em 24 de agosto de 2019 
  11. Pet, Canal do (14 de fevereiro de 2019). «Aprenda a fazer o melhor cercado para Porquinho da Índia - Dicas - iG». Canal do Pet. Consultado em 24 de agosto de 2019 
  12. «Porquinho da Índia: como criar, fotos e raças». O Amigo Pet. 18 de junho de 2018. Consultado em 24 de agosto de 2019 
  13. ADAPTAÇÃO - Apresentando um novo porquinho-da-índia, consultado em 24 de agosto de 2019 
  14. «Lista completa de frutas e verduras BOAS para porquinho-da-índia». peritoanimal.com.br. Consultado em 14 de agosto de 2019 
  15. Pet, Canal do (1 de novembro de 2017). «Conheça os alimentos proibidos para um porquinho-da-índia - Cuidados - iG». Canal do Pet. Consultado em 14 de agosto de 2019 
  16. «Lista completa de frutas e verduras BOAS para porquinho-da-índia». peritoanimal.com.br. Consultado em 14 de agosto de 2019 
  17. «Lista completa de frutas e verduras BOAS para porquinho-da-índia». peritoanimal.com.br. Consultado em 14 de agosto de 2019 
  18. Pet, Canal do (3 de março de 2019). «Escorbuto em Porquinho da índia - saiba tudo sobre a doençp - Saúde - iG». Canal do Pet. Consultado em 13 de agosto de 2019 
  19. «O porquinho-da-índia é parente do porco? – PetRede». Consultado em 16 de agosto de 2019 
  20. «Roedores e coelhos/porquino-da-india-comportamento». Roedores e Coelhos. Consultado em 16 de agosto de 2019 
  21. «Roedores e coelhos/porquino-da-india-comportamento». Roedores e Coelhos. Consultado em 16 de agosto de 2019 
  22. a b c d e f Guia Pet e cia (26 de abril de 2017). «Conheça raças e cores do Porquinho-da-Índia» 

Ligações externasEditar

O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Porquinho-da-índia
O Wikispecies tem informações sobre: Porquinho-da-índia