Abrir menu principal
Coca-Cola Brasil
Razão social Coca-Cola Indústrias Ltda.
Empresa de capital fechado
Slogan Sinta o sabor / Leva essa
Atividade Bebidas
Gênero Subsidiária
Fundação 18 de abril de 1942 (77 anos)
Sede Rio de Janeiro,  Rio de Janeiro,  Brasil
Área(s) servida(s) Em todo o Brasil.
Proprietário(s) The Coca-Cola Company
Presidente Henrique Braun
Produtos Refrigerantes
Sucos
Água mineral
Energéticos
Chás
Bebidas esportivas
Subsidiárias Solar Br
Website oficial www.cocacolabrasil.com.br
Quiosque da Coca-Cola, situado na orla da Praia de Copacabana, Rio de Janeiro

Coca-Cola Brasil é uma subsidiária da The Coca-Cola Company com atuação por meio de uma divisão nacional, chamada Divisão Brasil. O Sistema Coca-Cola no Brasil abrange duas fábricas engarrafadoras próprias, Coca-Cola Indústrias Ltda. e a Recofarma Indústrias do Amazonas Ltda., e mais 42 fábricas engarrafadoras autorizadas e operadas por 16 grupos empresariais independentes por meio de franquia. A Coca-Cola Indústrias coordena o grupo de franquias e as estratégias nacionais e macro-regionais de marketing. Atua como consultoria exclusiva do Sistema Coca-Cola no Brasil. A fábrica engarrafadora Recofarma Indústrias do Amazonas produz e distribui concentrados e bases de bebidas para a fabricação de todos os seus produtos. O Sistema Coca-Cola é responsável por cerca de 60 mil empregos diretos e 600 mil indiretos.[1]

No Brasil a Coca-Cola chegou em 1941, durante a Segunda Guerra Mundial. A empresa fabricou no Recife, em Pernambuco, os seus primeiros refrigerantes em solo brasileiro, visando atender às Forças Armadas dos Estados Unidos, que utilizavam a cidade como base militar.[2] Em 1942 foi instalada no Rio de Janeiro a primeira fábrica própria. Em 1943, abre em São Paulo uma filial e em 1945 a segunda fábrica carioca é inaugurada. Neste ano o sistema de franquia é iniciado no país. De 1957 a 1962 o concentrado, que antes era importado, começa a ser produzido no Rio de Janeiro. No fim da década de 1960, a The Coca-Cola Company contava com mais de 20 fábricas engarrafadoras autorizadas e franqueadas. Nos anos 80 eram 36 franqueadas, e em 1990 a fábrica Recofarma começou a produzir o concentrado para fazer a bebida.

Em 2005 a Coca-Cola Brasil faturou 8,7 bilhões de reais, 16% superior ao faturamento de 2004.[3] O crescimento no volume de vendas no ano de 2006 foi de 10%, chegando a 6,7 bilhões de litros comercializados. Os negócios da Coca-Cola no Brasil seguem em crescimento. A venda de litros cresceu 2,6% de 2001 para 2002, e o faturamento cresceu 16% de 2004 para 2005. O Sistema Coca-Cola Brasil registrou crescimento pelo 10º trimestre consecutivo, atingindo no terceiro trimestre de 2006 vendas 11% superior ao do mesmo período de 2005. O volume global comercializado pela Coca-Cola cresceu 5% e o da América Latina, 7%. O Brasil figurou como destaque no desempenho mundial, ao lado de China, Rússia, Argentina, Turquia e partes da Europa, da África e do Oriente Médio.[4] Em 2012 a empresa anunciou que planeja investir 14 bilhões de reais até 2016 com construções de novas fábricas no país.[5][6] Em 2011, a companhia consolidou seu crescimento no mercado brasileiro, avançando 1% no volume de vendas, com 10,7 bilhões de litros vendidos.[1]

Índice

HistóriaEditar

Os primeiros anos no BrasilEditar

No início da década de 1940, o Brasil entrou no cenário da Segunda Guerra Mundial.

  • 1941 – O governo brasileiro autorizou secretamente os norte-americanos a utilizarem bases aéreas e navais situadas no país, para garantir a defesa do continente americano. No dia 26 de julho foi publicado no Diário Oficial da União o Decreto Lei número 3.462, de 25 de julho de 1941, uma das primeiras medidas que autorizava a empresa “Panair do Brasil”, a construir, melhorar e aparelhar os aeroportos do nordeste brasileiro. Desta forma, aviões militares americanos passaram a chegar ao Brasil com maior frequência, reforçando as bases estratégicas estabelecidas no país.[7] Neste contexto, a Coca-Cola chega em um primeiro momento trazida pelos próprios soldados, e, posteriormente, é produzida na Fábrica de Água Mineral Santa Clara no Recife, em Pernambuco. Depois foram instaladas minifábricas na capital pernambucana e em Natal no Rio Grande do Norte, visando atender às tropas. Na época, a política adotada pela empresa em relação à Segunda Guerra Mundial era a de apoiar seus combatentes, oferecendo seus produtos onde quer que estivessem, sendo comercializados a um preço simbólico de cinco centavos de dólar o copo.[8]
  • 1942 – No dia 18 de abril foi inaugurada a primeira fábrica própria da Coca-Cola no Brasil, localizada no bairro de São Cristóvão, no estado do Rio de Janeiro. Também no mesmo ano começou a produção de embalagens de vidro com 185 ml. Até então, a comercialização da Coca-Cola no país era exclusiva aos soldados americanos. A partir desta data, começa a comercialização para o mercado brasileiro propriamente dito.[9]
  • 1943 – No dia 6 de Janeiro estreou o programa “Um Milhão de Melodias”, na Rádio Nacional, que era transmitido às quintas-feiras em horário nobre. O programa foi o primeiro a ser patrocinado pela Coca-Cola no Brasil.[10][11] A Coca-Cola representava a troca de culturas entre brasileiros e americanos naquela época. No dia 28 de janeiro o então presidente americano Franklin Delano Roosevelt veio ao Brasil para se encontrar com o presidente Getúlio Vargas, acertando assim o envio de tropas do exército brasileiro para a Segunda Guerra.[12] No mesmo ano foi inaugurada a primeira filial da Coca-Cola na cidade de São Paulo.
  • 1944 – No dia 1 de setembro, aconteceu a publicação no “Diário Oficial da União”, dando autorização para a “The Coca-Cola Export Sales Company” iniciar as atividades no Brasil.[13]
  • 1945 – Na cidade de Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul, a Coca-Cola firma contrato com a então “Industrial de Refrescos”, passando esta a ser a primeira empresa franqueada da marca no Brasil. Pelo contrato, a Industrial de Refrescos passava a ter exclusividade para a comercialização e produção dos produtos da marca Coca-Cola na região sul. No mesmo ano, foi inaugurada a segunda fábrica carioca da Coca-Cola, com modernos equipamentos, para a época, que eram capazes de produzir até 150 garrafas por minuto.
  • 1946 – Neste ano, é lançado no Brasil o primeiro slogan feito exclusivamente para o mercado brasileiro, “Isto sim é da pontinha!” [nota 1]. Anteriormente, os slogans eram traduções de campanhas americanas do produto.
  • 1948 – Durante o ano, foram estabelecidas mais quatro franquias que passaram a produzir a Coca-Cola.[14]

Década de 1950 e 1960Editar

 
CVI Coca-Cola. Regional em Santa Maria, Rio Grande do Sul
 
Prédio da Coca-Cola e da Intelig, situado na Praia de Botafogo, Rio de Janeiro

A década de 1950 inicia com a Copa Mundial de Futebol sendo realizado no Brasil, com placas publicitárias ilustradas espalhadas pelo estádio do Maracanã, sendo até mesmo, recomendada pelos médicos para que fosse bebida pelos jogadores.[15][16][17]

  • 1952 – Acontece o lançamento do slogan “isso faz um bem”, até então a empresa vinha amargando problemas com o mercado brasileiro, pois o refrigerante não era bem visto pelo público. Popularmente, a visão era um líquido estrangeiro e diversos boatos sobre a procedência e malefícios á saúde faziam parte das rodas de conversas. De fato, o Guaraná Champagne Antarctica era o refrigerante de maior aceitação entre os brasileiros naquela época, dados de 1954 mostrava que o refrigerante tinha 46% de preferência do público.[18]
  • 1953 – A empresa novamente empenha-se em desmistificar a imagem do refrigerante, mostrando a qualidade do produto. A empresa lança cartazes que comparavam a água utilizada na fabricação da Coca-Cola aos dos límpidos e cristalinos rios da Amazônia brasileira.
  • 1954 – Foi lançado o primeiro cartaz de Natal da Coca-Cola no Brasil, trazendo o Papai Noel com o slogan “isso faz um bem”.
  • 1955 – A Coca-Cola lançou o primeiro comercial da marca apresentado na televisão brasileira, intitulado “Coca-Cola faz um bem”. O comercial tinha como tema o samba e Carmem Miranda. O locutor Carlos Henrique anuncia o comercial que é protagonizado pela cantora e atriz Dóris Monteiro.[18] [nota 2].
  • 1957 – A Coca-Cola em parceria com o jornal “Última Hora”, o concurso “Tamborim de Ouro” com um desfile extra de carnaval, evento realizado antes do carnaval. A iniciativa acontecia na Praça XVII e no Campo do Fluminense no Rio de Janeiro. No evento, escolas realizavam desfiles com o tema Coca-Cola.[20] A partir deste ano, os concentrados que, até então eram importados dos Estados Unidos para a fabricação do xarope, passam a ser fabricados na matriz do Rio de Janeiro.
  • 1959 – A empresa promove a venda á domicílio em São Paulo, implantando assim, o conceito de vasilhame retornável em embalagem de vidro de 760 ml, também conhecida como tamanho família.[21] Até então, maior freguesia da Coca-Cola estava em bares, sorveterias, casas de doces e restaurantes. No final deste mesmo ano, a Coca-Cola também lançou garrafas de 290 ml.
  • 1962 – O concentrado da Coca-Cola, até então importado, passou a ser produzido na fábrica do Rio de Janeiro.
  • 1967Caetano Veloso lança a canção “Alegria, Alegria”, que tem como refrão a Coca-Cola no verso "Eu tomo uma Coca-Cola, Ela pensa em casamento".[22] [nota 3]

Até o final da década de 1960, o Brasil já contava com 20 fábricas espalhadas nos quatro cantos do país.[21]

Década de 1970 e 1980Editar

Na década de 1970 foram lançadas mais 15 fábricas no Brasil. Começam a ser distribuídas as Post-Mix, que possibilitam uma ampliação da rede de fornecedores devido à economia de espaço, atingindo lanchonetes, cinemas, clubes e diversos pontos de venda.[23] O slogan da época, “Isso é que é”, exaltava a natureza e a paz.

  • 1979 – Surgem os slogans “Dá mais vida” e “Abra um sorriso”, associando a marca à felicidade e bons momentos.
  • 1981 – A Coca-Cola é lançada em embalagem de lata.[24]
  • 1982 – Chega ao mercado brasileiro a Diet Coke.[25]
  • 1985 – O refrigerante Coca-Cola é tirado do mercado e surge a New Coke. O fato foi também desaprovado pelos consumidores brasileiros.[14]
  • 1986 – Aconteceu a comemoração de 100 anos da Coca-Cola, são comemorados no Brasil e em todo o mundo.[14]
  • 1987 – Coca-Cola patrocinou a Copa União, o maior contrato esportivo feito por uma empresa privada no país até então. Mais quatro novas fábricas entraram em operação neste ano. Uma nova campanha mundial é lançada, com a canção Águas de Março de Tom Jobim.[14]
  • 1988 – Foi lançada a Coca-Cola em embalagem do tipo “One Way” e a tampa com rosca em metal. Também, aconteceu o relançamento das garrafas colecionáveis em miniaturas.[14]

Década de 1990 à atualidadeEditar

  • 1990 – Neste ano, Coca-Cola patrocinou todas as categorias da Seleção Brasileira de Futebol. Também, o concentrado da Coca-Cola passa a ser fabricado em Manaus e distribuído para as fábricas em todo o Brasil.[14] É lançada embalagem do tipo “Big Coke”, de 2 e 1,25 Litros.[21] No mês de junho, foi lançada a lata de alumínio 100% reciclável.
  • 1991 – A Coca-Cola é lançada em embalagem PET descartável.[24]
  • 1992 – A Coca-Cola comemorou o seu qüinquagésimo ano em atividades no Brasil.[21] Em comemoração à data, promoveu uma exposição intitulada "Coca-Cola 50 anos com arte" que reunia 25 obras desenvolvidas por artistas plásticos e fotógrafos brasileiros. As exposições aconteceram no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP), e no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ). No mesmo ano, houve a inauguração da maior fábrica da Coca-Cola na America Latina, localizada na cidade de Jundiaí em São Paulo e o lançamento das Coke Machines – máquinas para vender refrigerantes em lata.[26][21]
  • 1993 – A Coca-Cola passa a apoiar em todo o planeta o Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias. No mesmo ano, os “Ursos Polares”, desenvolvidos em animação 3D aparecem pela primeira vez na campanha Sempre Coca-Cola, no comercial chamado “Northern Lights”.[27]
  • 1995 – A Coca-Cola lança a primeira lata com o tema Papai Noel no Brasil. Também, foi lançada em caráter regional a primeira lata de Coca-Cola na cor azul, edição especial para o Festival de Parintins que acontece no Amazonas.[28]
  • 1997 – A Coca-Cola passa a ter o seu produto em forma Light, inaugurando este segmento no Brasil.[14]
  • 1999 – Surge a embalagem Pet de 2,5 Litros.
  • 2001 – É relançada no mercado brasileiro a garrafa chamada “Contour” de 237 ml.[29]
  • 2003 – A Coca-Cola firma com o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), patrocínio às equipes olímpicas de ginástica artística, judô e natação, que visavam o apoio a preparação para as Olimpíadas de 2004.[30]
  • 2005 – No dia 21 de fevereiro foi lançada a Coca-Cola em mini lata de 250 ml e em junho do mesmo ano a garrafa de vidro de 200 ml.
  • 2007 – A Coca-Cola Zero é lançada.[14][25] Neste mesmo ano, a emissora de televisão MTV lança em parceria com a Coca-Cola o programa musical Estúdio Coca-Cola.[31]
  • 2009 – A Coca-Cola lançou para todos os seus produtos um novo tamanho para as tampas de garrafas Pet, chamada “Xtra-Lok Mini”, com quatro milímetros a menos que as do padrão antigo. Com este novo tamanho, a companhia estimou que até 2012 o total de resina economizada equivalesse à mesma quantidade para produzir 120 milhões de garrafas Pet de 2 litros.[32]
  • 2010 – É lançada a Coca-Cola Light Plus, versão da Coca-Cola Light (sem açúcar) enriquecida com vitaminas.[33] No mesmo ano, no dia 25 de março foi lançada a primeira garrafa feita a partir da Cana-de-açúcar, batizada com o nome de “PlantBottle”.[34] No mesmo mês a Coca-Cola adotou Largo Glênio Peres e a Praça XV, pontos tradicionais do Centro Histórico de Porto Alegre.[35] No dia 16 de abril, em Maceió, a Coca-Cola abriu a primeira “Fábrica Verde” da América Latina, possuindo iluminação natural, recursos para diminuir a liberação de CO2 na atmosfera e um sistema de uso eficiente da água.[36]
  • 2015 - É inaugurada fábrica da Coca-Cola em Itabirito (Minas Gerais), sendo uma das maiores do mundo. Entretanto, em dez/2017 a fábrica de Jundiaí (SP) era a maior do mundo em volume de produção, segundo a própria empresa em notícia veiculada no seu site. [37]
  • 2016 - A Coca-Cola começa a produzir e vender refrigerantes nos sabores Vanilla (baunilha) e Cherry (cereja).[38]

Ver tambémEditar

NotasEditar

  1. “é da pontinha” foi uma expressão popular (gíria), utilizada no Brasil na década de 30 e 40, e que tinha o significado de algo agradável: “é da pontinha”, “é bom”.
  2. Dóris Monteiro veio a se tornar a rainha do rádio em 1957.[19]
  3. A canção “Alegria, Alegria” do cantor Caetano Veloso não corresponde à uma propaganda do refrigerante Coca-Cola, sendo o mesmo utilizado somente como parte da melodia

Referências

  1. a b «Coca-Cola criou 7 mil empregos diretos em 2011». www.bemparana.com.br. 4 de abril de 2012. Consultado em 14 de junho de 2012 
  2. «Linha do tempo: conheça a história da Coca-Cola Brasil». The Coca-Cola Company. Consultado em 4 de abril de 2017 
  3. «Coca diz que paga R$ 2,6 bi em impostos». 27 de maio de 2007. Consultado em 13 de junho de 2012. Arquivado do original em 3 de maio de 2014 
  4. «Coca Cola é isso mesmo, 1 bilhão de unidades». istoedinheiro.com.br. 30 de abril de 2008. Consultado em 13 de junho de 2012 
  5. «Coca-Cola prevê investir R$ 14 bilhões no Brasil até 2016». folha.uol.com.br. 30 de março de 2012. Consultado em 14 de junho de 2012 
  6. «Coca-Cola planeja investir R$ 14,1 bilhões no Brasil até 2016». exame.abril.com.br/. 30 de março de 2012. Consultado em 14 de junho de 2012 
  7. BRASIL - Diário Oficial da União. «Decreto-lei n. 3462 de 25 de julho de 1941». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  8. ULYSSES (Site Segunda Guerra Mundial, 9 de junho de 2008). «Coca-Cola na Segunda Guerra Mundial». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  9. FOLHA da Manhã. «Almanaque Folha. Cotidiano». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  10. ALMANAQUE da Comunicação. «História da Rádio Nacional». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  11. RADIO Educativo. «O rádio lido» (PDF). Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  12. JORNAL do Comércio (Jornal do Comércio, 17 de setembro de 1999). «Getúlio e Roosevelt se reuniram a bordo de destróier». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  13. BRASIL Diário Oficial da União. «Decreto-lei n. 16393 de 22 de agosto de 1944». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  14. a b c d e f g h ABIR - Associação Brasileira da Indústria de Refrigerantes. «O timeline da indústria de refrigerantes». Consultado em maio de 2010. Arquivado do original em 11 de fevereiro de 2006  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  15. COCA-COLA Brasil. «Coca-Cola e o Futebol». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  16. INTERESSE Popular. «Curiosidades da época». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  17. ALMANAQUE da Comunicação. «Hora do Reclame - Receitas de "Saúde"». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  18. a b CADENA, Nelson. «Uma Rainha do Rádio em Comercial Coca-Cola». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  19. SILVA, Elizabeth Nogueira da. «Biografia Dóris Monteiro». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  20. PORTELA Web. «Arquivos». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  21. a b c d e NEGRÃO, Celso; CAMARGO, Eleida. «Design de embalagem: do marketing à produção» (PDF). Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  22. ARLEQUIM, Editora. «Alegria, Alegria (Caetano Veloso).». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  23. POST Mix. «História - Post Mix». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  24. a b RENOSA. «Linha do tempo». Consultado em maio de 2010. Arquivado do original em 11 de janeiro de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  25. a b PAVLOVA, Adriana (Portal Exame, 31 de maio de 2007). «O trunfo da Coca-Cola». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  26. Faculdade de Farmácia. Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). «Alimento como Símbolo: a questão da Nutrição e Saúde». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  27. THE COCA-COLA Company. «Polar Bears» (em inglês). Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  28. SANTOS. Jonas (Parintins, 9 de março de 2004). «Empresa vai ser homenageada com símbolo em praça». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  29. TEXTUAL (26 de junho de 2001). «Coca-Cola relança garrafa original "contour" como embalagem premium». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  30. MONITOR Mercantil (10 de março de 2003). «Coca-Cola patrocinará atletas brasileiros em Atenas 2004». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  31. VONPAR (13 de fevereiro de 2007). «Mtv e Coca-Cola fecham parceria de Brand Entertainment». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  32. EMBALAGEM Marca. «Da cabeça aos pés: Tampa menor e mais leve gera ganhos em série para a Coca-Cola». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  33. NECESSAIRE. «Coca-Cola light plus é lançada no Brasil». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  34. ROTHMAN, Paula (Info Online29 de março de 2010.). «Coca-Cola lança garrafa mais ecológica». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  35. JORNAL do Comércio (Jornal do Comércio, 24 de março de 2010). «Coca-Cola vai adotar parte do Centro Histórico de Porto Alegre». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  36. SÁ, Sylvia (Portal Exame, 20 de abril de 2010). «Coca-Cola abre 1ª fábrica verde da América Latina no Brasil». Consultado em maio de 2010  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  37. «Fãs dos artistas que participam da nova campanha de música conhecem a maior fábrica de Coca-Cola do mundo» 
  38. «Lançada no Brasil edição limitada de Coca-Cola sabor baunilha e cereja». G1.com 

Ligações externasEditar