Abrir menu principal

Wikipédia β

Colossas

(Redirecionado de Colossos)
Colossas
Κολοσσαί
1 longuner - panoramio.jpg
Localização atual
Colossas está localizado em: Turquia
Colossas
Coordenadas 37° 47' 20" N 29° 15' 41" E
País  Turquia
Dados históricos
Região histórica Frígia
Província romana Ásia

Colossas[1] (em grego: Κολοσσαί; em latim: Colossae; também conhecida como Conas (Chonae) ou Cona, atual Honaz), era uma cidade da Frígia, no rio Lico, um afluente do rio Meandro (atual Menderes). Estava situada cerca de 15 quilômetros a sudeste de Laodiceia, próximo à grande estrada que ligava Éfeso ao Eufrates. Suas ruínas, localizadas na atual província de Denizli na Turquia, nunca foram escavadas.

Índice

HistóriaEditar

Em 396 a.C., durante as Guerras Persas, o sátrapa Tissafernes foi atraído a Colossas e morto por um agente do grupo de Ciro, o Jovem. Plínio conta que a lã de Colossas deu seu nome (colossino) à cor da flor do ciclame. Durante o período helenista, a cidade adquiriu certa importância mercantil, embora tenha diminuído consideravelmente em importância e tamanho por volta do século I.

Esta cidade entrou em declínio (possivelmente devido a um terremoto) e a cidade bizantina de Conas (Chonæ; Χῶναι) ocupou um sítio próximo às suas ruínas. Francis Arundell indica que parte ou todo o sítio original de Colossas mudou de nome para Cona ou Conas. A cidade foi o lugar de nascimento dos escritores gregos bizantinos Nicetas e Miguel Coniates.[2]

Colossas no contexto bíblicoEditar

Não parece que o Apóstolo Paulo tenha visitado esta cidade quando ele escreveu sua Epístola aos Colossenses, já que ele diz a Filemão de sua esperança de poder visitar a cidade quando tivesse sido liberto da prisão (Filémon 1:22). Parece que Epafras foi o fundador da igreja em Colossas.

Etimologia do topônimoEditar

Nas diversas versões em português da Bíblia Sagrada esta cidade é denominada Colossos, conforme Colossenses 1:2, mas o topônimo correto desta cidade é Colossas.

Seu nome original em grego é Κολοσσαί, sendo um substantivo feminino no plural (sufixo -αί), passando para o latim como Colossae. Este topônimo pertence à primeira declinação da flexão nominal do grego e na sua adaptação ao sistema morfológico latino continua na mesma situação. Assim os substantivos gregos da primeira declinação passam para o português através do caso etimológico latino, e como no português os substantivos femininos usados no plural terminam com o sufixo (-as) a grafia correta do termo é Colossas[3].

ArtesEditar

 
O milagre de São Miguel em Conas, um ícone russo do século XV

Na arte russa e bizantina, o tema Milagre do Arcanjo Miguel em Conas está intimamente relacionado com o lugar. A tradição ortodoxa conta que pagãos direcionaram um rio contra o santuário de São Miguel lá existente para destruí-lo, mas o Arcanjo Miguel apareceu e rompeu com um relâmpago uma rocha para redirecionar o rio, movendo o fluxo para longe da igreja e santificando para sempre a águas que vinham do desfiladeiro. A Igreja Ortodoxa celebra uma festa em comemoração deste evento no dia 6 de setembro. O Mosteiro do Milagre (Mosteiro Chudov) no Kremlin, em Moscou, onde os czares russos eram batizados, foi dedicado à Festa do Milagre em Conas.

Referências

  1. Fernandes, Ivo Xavier (1941). Topónimos e Gentílicos. I. Porto: Editora Educação Nacional, Lda. 
  2. «COLOSSAE», Dictionary of Greek and Roman Geography, 1, 1854, p. 648-649 
  3. Prieto, Maria Helena; et al. (1991). Do Grego e do Latim ao Português. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian 

BibliografiaEditar

  • Easton's Bible Dictionary, 1897.
  • Bennett, Andrew L. "Archaeology From Art: Investigating Colossae and the Miracle of the Archangel Michael at Kona." Near East Archaeological Society Bulletin 50.

Ligações externasEditar