Abrir menu principal

Comando de Operações Especiais dos Estados Unidos

Insígnia do Comando de Operações Especiais dos Estados Unidos

Comando de Operações Especiais dos Estados Unidos (em inglês: United States Special Operations Command - USSOCOM ou SOCOM) é o Comando Combatente Unificado (em inglês: Unified Combatant Command) encarregado de supervisionar as várias operações dos comandos de forças especiais que fazem parte do Exército, da Força Aérea, da Marinha e dos Fuzileiros Navais das Forças Armadas dos Estados Unidos. O comando é parte do Departamento de Defesa. O USSOCOM está sediado na Base da Força Aérea MacDill, em Tampa, na Flórida.

A ideia de um comando unificado de operações especiais teve suas origens após a Operação Eagle Claw, uma desastrosas tentativa de resgate de reféns na embaixada estadunidense em Teerã, no Irã, em 1980. A investigação que se seguiu, presidido pelo almirante James L. Holloway III, um chefe aposentado de Operações Navais, citou a falta de comando, controle e coordenação inter-serviços como fatores importantes no fracasso dessa missão.[1] Desde a sua ativação em 16 de abril de 1987, o Comando de Operações Especiais tem participado de muitas operações, desde a invasão do Panamá, em 1989, até a atual guerra global contra o terrorismo.[2][3]

O USSOCOM conduz diversas missões secretas e clandestinas, tais como a ação direta, reconhecimento especial, contraterrorismo, defesa interna estrangeira, guerra não convencional, guerra psicológica, assuntos civis e operações de combate às drogas. Cada ramo tem um Comando de Operações Especiais que é o único e capaz de executar suas próprias operações, mas quando as diferentes forças de operações especiais precisam trabalhar juntas para uma missão, o USSOCOM torna-se o comando componente comum da operação, em vez de um comando de um ramo específico das forças armadas do país.[4]

Índice

Lista de comandantes do USSOCOMEditar

 
Soldados americanos das forças especiais no Afeganistão.
 
Homens do JTAC em treinamento de apoio aéreo aproximado.
 
Militares das forças especiais descendo de um helicóptero.
Nº. Imagem Nome Ramo Início do mandato Fim do mandato
1.   General James J. Lindsay Exército Abril de 1987 Junho de 1990
2.   General Carl W. Stiner Exército Junho de 1990 Maio de 1993
3.   General Wayne A. Downing Exército Maio de 1993 Fevereiro de 1996
4.   General Henry H. Shelton Exército Fevereiro de 1996 Setembro de 1997
(em exércício)   Almirante Raymond C. Smith, Jr. Marinha Setembro de 1997 Novembro de 1997
5.   General Peter J. Schoomaker Exército Novembro de 1997 Outubro de 2000
6.   General Charles R. Holland Força Aérea Outubro de 2000 Setembro de 2003
7.   General Bryan D. Brown Exército Setembro de 2003 9 de julho de 2007
8.   Almirante Eric T. Olson Marinha 9 de julho de 2007 8 de agosto de 2011
9.   Almirante William H. McRaven Marinha 8 de agosto de 2011 28 de agosto de 2014
10.   General Joseph Votel Exército 28 de agosto de 2014 30 de março de 2016
11.   General Raymond A. Thomas Exército 30 de março de 2016 Presente

Referências

  1. «Biography of Admiral James L. Holloway III, US Navy (Ret.)». 2006. Consultado em 21 de março de 2008  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda); |coautores= requer |autor= (ajuda)
  2. Shanker, Thom (12 de fevereiro de 2004). «Regime Thought War Unlikely, Iraqis Tell U.S». The New York Times 
  3. Rother, Larry (6 de dezembro de 1996). «With a Bang, Panama Is Erasing House of Horrors». The New York Times 
  4. «USSOCOM Posture Statement» (PDF). USSOCOM. 2007. Consultado em 12 de fevereiro de 2008. Cópia arquivada (PDF) em 27 de fevereiro de 2008 

BibliografiaEditar

  • Briscoe, Charles (2001). Weapon of Choice: ARSOF in Afghanistan. [S.l.]: Combat Studies Institute Press 
  • Couch, Dick (2007). Chosen Soldier: The Making of a Special Forces Warrior. [S.l.]: Three Rivers Press. ISBN 0-307-33939-4 
  • Couch, Dick (2006). Down Range: Navy SEALs in the War on Terrorism. New York, New York: Three Rivers Press. ISBN 1-4000-8101-7 

Ligações externasEditar