Companhia Carris Porto-Alegrense

Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Companhia Carris de Ferro de Lisboa.

A Companhia Carris Porto-Alegrense (conhecida por Carris) é uma das empresas operadoras do transporte público de Porto Alegre, que inclui também os consórcios Viva Sul, Mob, Via Leste e Consórcio Mais. Sua frota é composta por 347 ônibus e atende grande parte da cidade, com cerca de 30 linhas.

Companhia Carris Porto Alegrense
Ônibus Mascarello GranVia BRS Volvo B290R
Empresa pública
Fundação 19 de junho de 1872 (148 anos)
Sede Porto Alegre
Produtos Transportes coletivos
Website oficial http://www.carris.com.br/
Marcopolo Viale Volkswagen 17-230 EOD

É uma sociedade de economia mista, com o controle acionário da prefeitura de Porto Alegre (que detém 99,9% das ações). A Carris foi considerada pela Associação Nacional dos Transportes Públicos como a melhor empresa de ônibus urbano do Brasil em 1999 e 2001.[1]

A empresa Carris lançou as linhas circulares e transversais da cidade. Foi a primeira empresa de Porto Alegre a utilizar veículos que facilitavam o acesso às pessoas portadoras de deficiência (PPDs), inicialmente com elevadores hidráulicos. A empresa hoje conta com 30 linhas de ônibus, na sua maioria do tipo transversais (ligam regiões de Porto Alegre sem passar pelo Centro),[2] além de três linhas radiais universitárias (com um terminal no Centro e outro no bairro, passando ou terminando por importantes universidades do município) e circulares (tem apenas um terminal, no Centro).

Como a Carris é uma empresa pública, a compra de veículos novos e de suprimentos para os mesmos é feita através de licitação.

HistóricoEditar

É a mais antiga empresa de transporte coletivo do país em atividade, e nasceu graças à autorização do imperador Dom Pedro II, via decreto, publicado em 19 de junho de 1872. Na época, Porto Alegre era uma pacata cidadezinha de apenas 34 mil habitantes e que recém completara cem anos de fundação. Inicialmente operava bondes puxados a mula mas, 1908, a companhia inaugurou o serviço de bondes elétricos, que seria desativado somente em 1970. O período de hegemonia dos bondes foi até a década de 1920, quando começaram a circular os primeiros automóveis movidos à gasolina ou querosene e óleo. Em 1930, a Carris passou a oferecer também o transporte por ônibus para as localidades onde as linhas de bonde não chegavam. Em 1954, a Carris foi encampada pela prefeitura.

ReconhecimentoEditar

A Carris é a única instituição municipal a conquistar o Prêmio Nacional de Gestão Pública do Governo Federal e, em 2005, obteve o primeiro lugar na categoria Empresa Pública Eficiente da Pesquisa Top of Mind, realizada em Porto Alegre.

CorrupçãoEditar

Em 2013, um esquema corrupto na bilhetagem eletrônica desviou quase 1 milhão de reais da Carris.[3]

NotasEditar

  • A empresa teve no final da década de 1960 diversos Trólebus (ônibus elétricos) que substituíram os bondes, os veículos eram equipados com chassi FNM, carroceria Massari e componentes elétricos Villares.
  • Alguns trólebus que rodaram na cidade paulista de Araraquara pela CTA, pertenceram a Carris e rodaram até a década de 2000.
  • Nos anos 1970, a Carris operou os primeiros ônibus com ar condicionado da história de Porto Alegre, os veículos operavam serviço seletivo que atendia a região do bairro Bela Vista e eram equipados ainda com rodomoça, cafezinho e jornal a bordo.
  • As maiores aquisições da Carris ocorreram em 1987 - quando vieram mais de 50 novos veículos monobloco e com carrocerias Marcopolo e Thamco, equipados com mecânica Mercedes-Benz. Em 2006 com a chegada de 62 novos ônibus Neobus Mega 2006 Mercedes-Benz OF-1722M. Durante todo o ano de 2008, entraram 76 novos, dentre eles Mega 2006 Low Entry com chassi Agrale; Millennium II e Viale, ambos chassi Volkswagen 17-260 EOT; juntos de Urbanuss Pluss Articulado Volvo. Em 2010 houve a maior aquisição de todas, com 82 novos tais como Neobus Mega 2006 Articulado Mercedes-Benz O500MA (7 veículos) e Gran Viale Low Entry Volvo e Mercedes-Benz (75 veículos com Ar condicionado).[4]

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

Referências