Companhia Seiva Trupe

A Companhia de Teatro Seiva Trupe- Teatro Vivo MHM é uma Companhia de Teatro Portuguesa, constituída oficialmente em 11 de Setembro de 1973 na cidade do Porto por um grupo de jovens, entre os quais António Reis, Estrela Novais e Júlio Cardoso.[1][2]

Logótipo SEIVA TRUPE - Teatro Vivo

Desde essa data, a Seiva Trupe tem promovido um teatro de rigor artístico, cultural e de comunicação.

Em 1993 é reconhecida como Entidade de Utilidade Pública.

A 26 de Março de 2010, aquando das comemorações do Dia Mundial do Teatro, foi condecorada pelo Presidente da República com o grau de Membro-Honorário da Ordem do Mérito.[3]

Durante estas décadas de existência, a Seiva Trupe, tem promovido, organizado e participado em várias efemérides culturais, tais como: cursos de teatro, recitais, colóquios, mesas-redondas, conferências, concursos de textos de teatro, estreitou laços de amizade com dezenas de colectividades e grupos de teatro.

InstalaçõesEditar

Teatro Campo AlegreEditar

A Seiva Trupe celebrou a 2 de Fevereiro de 2000 um contrato com a Fundação Ciência e Desenvolvimento, que previa que a companhia de teatro se tornasse a companhia residente do Teatro Campo Alegre, até 31 de Dezembro de 2014. Em Março de 2011, a dívida acumulada por parte da companhia de teatro ascendia a 121 mil euros, acrescida de juros de 44 mil euros, mas, após uma negociação longa, em adenda ao contrato, em 15 de Novembro de 2011, a Seiva Trupe reconheceu uma dívida de 50 mil euros, comprometendo-se a pagá-la em 36 prestações mensais. Em outubro de 2013, a Seiva Trupe foi despejada do Teatro do Campo Alegre, pois a companhia de teatro falhou o pagamento das prestações de Agosto e Setembro de verbas em dívida que em 2011 tinham sido alvo de uma renegociação e acordo entre as duas instituições.[4]

Cooperativa do Povo PortuenseEditar

Entre 2013 e 2019 a companhia esteve instalada na Cooperativa do Povo Portuense.

Fundação Escultor José RodriguesEditar

A partir de 01 de agosto de 2019, a sede administrativa vai passar a ser na Fundação Escultor José Rodrigues.

A Seiva Trupe-Teatro Vivo vai passar a ensaiar os seus espetáculos em salas emblemáticas da cidade, como Cooperativa Árvore, Museu Nacional da Imprensa, Café Lusitano, Pinguim Café, Casa Allen, sala do Cineclube, na Casa das Artes, e Convento de Francos[5].

Cursos de teatroEditar

Vários foram os Cursos Intensivos de Iniciação à prática Teatral, desde 1976, na cidade do Porto, bem como em outras localidades, entre as quais Vila Real, Bragança, Barcelos, são Mamede Infesta, Valongo e Matosinhos, realizados na Escola de Formação Artística Seiva, cujas instalações se situavam na Avenida de França, no Porto.

Por estes cursos passaram centenas de pessoas, muitas das quais foram dinamizadas para orientação e ampliação de grupos de teatro amador de colectividades e de empresas, e outras dedicam-se ao ensino de teatro e outras ainda seguiram o profissionalismo.

Concurso nacional de textos de teatro originaisEditar

Das dezenas de originais de teatro que íam a concurso, destacam-se as 3 primeiras classificadas:

- Bobby Sands, de Joaquim Pacheco Neves

- Eróstrato, de Pedro Barbosa

- A como estão os cravos hoje, de Orlando Costa

EspectáculosEditar

A Seiva Trupe, durante estas décadas produziu 125 espectáculos, de variadíssimos autores:

Ano Peça Autor(es)
2012 Squash Ernesto Caballero
2012 Adivinhe Quem Vem Para Rezar Dib Carneiro Neto
2012 Os Agentes Da Ordem Gramatical Maria Gabriela Funk
2011 Falácia Carl Djerassi
2011 À Beira Do Fim Thomas Bernhard
2011 Falha De Cálculo Margarida Fonseca Santos
2010 A Freira Portuguesa Maricla Boggio
2010 Homens De Escabeche Ana Istarú
2010 Problema? Qual Problema? Margarida Fonseca Santos
2010 Eu Sou A Minha Própria Mulher Doug Wright
2009 Um Barco Na Cidade Benjamim Veludoe Norberto Barroca
2009 O Actor Acende A Boca - Gota De Mel Versão de Júlio Cardoso s/ textos de Eduardo de Fillipo, Gastão Cruz, Herberto Hélder, Léon Chancerel, Manuel Alegre e Sérgio Godinho
2009 Kvetch - O Queixinhas Steven Berkoff
2009 Porto Em Directo Criação colectiva coordenada por Cláudio Hochman e Ricardo Alves
2009 Os Saltibancos Chico Buarque
2008 Estados Eróticos Imediatos De Sören Kierkegaard Agustina Bessa-Luís
2008 Punhal Na Carne Maricio Kartun
2008 Um Merlin Luís Alberto Abreu
2008 Falha De Cálculo Margarida Fonseca Santos
2007 O Carteiro De Pablo Neruda - Ardiente Paciência António Skármeta
2007 Yepeto - A Dor De Uma Paixão Roberto Cossa
2007 Boca De Fogo Manuel Poppe
2007 Hipotnozes Margarida Fonseca Santos
2006 Problema? Qual Problema? Margarida Fonseca Santos
2006 António, Bispo Do Porto Margarida Fonseca Santos
2006 Oxigénio Carl Djerassi e Roald Hoffmann
2005 Porto Alegre
2005 Auto da Índia Gil Vicente
2004 Variações Enigmáticas Eric-Emmanuel Schmitt
2004 É Dor O Meu Desejo
2004 Desejo De Sucesso
2004 Quem Matou Ambrósio? José Topa e Claire Binyon
2003 Copenhagen Michael Frayn
2003 Quarteto / Relações Perigosas Heiner Müller
2003 Separações Domingos Oliveira
2003 Os Saltimbancos Chico Buarque
2002 Liberdade Em Bremen Rainer Werner Fassbinder
2002 Casamento Benjamim Veludo, César Príncipe e Fernando Gomes
2002 Carícias Sergi Belbel
2001 Amadeus Peter Schaffer
2001 Dias Felizes Beckett
2001 Marlene Pam Gems
2001 Paixões A partir de Tratado das Paixões da Alma de António Lobo Antunes
2000 Péricles - Príncipe De Tiro William Shakespeare
2000 Almoço Em Casa De Ludwig Wittgenstein Thomas Bernhard
2000 Porto Do Século Benjamim Veludo, César Príncipe e Fernando Gomes
2000 Os Amantes Voluntários Manuel Poppe
1999 Uma Visita Inoportuna Copi
1999 O Arco De Sant´Ana Almeida Garrett
1999 Cais Oeste Bérnard Marie Koltès
1998 À Espera De Godot Samuel Brechet
1998 Um Cálice De Porto Benjamim Veludo, Manuel Dias e Norberto Barroca
1998 Ay Carmela! José Sanchis Sinisterra
1997 O Estranho Caso Do Trapezista Azul Mário Cláudio [6]
1997 Chá e Simpatia Robert A. Anderson
1997 Viagem Ao Centro Do Porto S/ texto La Cagnott de Eugène Labiche
1996 Secreta Obscenidade Marco António de la Parra
1996 Chamam Ao Telefone O Sr. Pirandello António Tabucchi
1995 Ópera Do Malandro Chico Buarque
1995 Beijo No Asfalto Nelson Rodrigues
1995 Porto D´Honra Benjamim Veludo, Manuel Dias e Norberto Barroca
1995 Pai E Filho - Punições Franz Kafka
1994 Luzes De Palco Arnaldo Leite, Carvalho Barbosa e Heitor Campos Monteiro
1994 Tambores Na Noite Bertold Brechet
1994 Curral Franz Xaver Kroetz
1994 Absurdos...? Colagem de textos de vários autores
1993 O Vendedor De Milagres Texto a partir do conto de Gabriel Garcia Marquez
1993 Macbeth William Shakespeare
1993 Para Tão Longo Amor Maria Adelaide Amaral
1992 O Comissário De Polícia Gervásio Lobato
1992 Feliz Ano Velho Alcides Nogueira s/ a obra homónima de Marcelo Rubens Paiva
1992 Conhece A Via Láctea? Karl Wittlinger
1992 O Animador John Osborne
1991 Os Mistérios De Chester "O Velho e O Novo Testamento"
1991 Auto Das Barcas Gil Vicente
1991 O Conde Barão Ernesto Rodrigues, Félix Bermudes e João Bastos
1991 Marathona Ricardo Monti
1990 História De Um Cavalo Leon Tolstoi
1990 Play Strindberg Friedrich Durrenmatt
1989 Assassínio De Macário Camilo Castelo Branco
1989 Gota D´Água Chico Buarque e Paulo Pontes
1989 Prometeu Acorrentado Ésquilo
1988 As Criadas Jean Genet
1988 Henrique Iv Luigi Pirandello
1987 Antígona Sófocles / Bretch
1987 Esta Noite Improvisa-Se Luigi Pirandello
1987 Tio Vânia Anton Tchekov
1986 O Motim Miguel Franco
1986 O Carteiro Do Rei Rabindranath T. Tagore
1986 Portugal, Ontem e Sempre João Freitas
1986 Toda A Nudez Será Castigada Nelson Rodrigues
1985 Eróstrato Pedro Barbosa
1985 Os Amorosos Da Foz Camilo Castelo Branco
1985 O Adorável Homem Das Neves António Torrado
1984 Fidalgo Aprendiz D. Francisco Manuel Melo
1984 Uma Família Do Porto Júlio Dinis
1984 Mistério Cómico Dário Fo
1982 Amor De Uma Mulher Maricla Boggio
1982 Sexta-Feira Hugo Klaus
1982 Um Cálice Do Porto Benjamim Veludo, Manuel Dias e Norberto Barroca
1981 Longe Da Cidade Jean Paul Wenzel
1981 A Dama De Copas Timochenco
1980 Prudência, Eu Não Gosto Disso Eugène Labiche
1980 Quicas e Tony - Fazem a Festa na Floresta Colectivo
1979 Quanto Vale Um Poeta S/ textos de Damião De Góis, Diogo do Couto, Sá de Miranda, Luís Camões e outros
1979 Confissão Bernardo Santareno
1978 Máquinas Assassinas Miguel Barbosa
1978 O Conde De Novion Almeida Garrett
1978 Perdidos Numa Noite Suja Plínio Marcos
1977 A Queda D´Um Anjo Camilo Castelo Branco
1977 Contos Cruéis Jorge De Sena
1977 Os Cornos De D. Gaitas Ramon del Valle-Inclan
1977 A Visita Victor Haim
1976 O Próximo Terrence Mcnally
1976 D. Beltrão de Rebordão e D. Estela de Barbela Jaime Gralheiro
1975 O Santo Inquérito Dias Gomes
1975 Lux In Tenebris Bertold Bretch
1975 A Força Do Povo
1975 Terra e Trabalho
1975 Os Três Patrões Bons
1974 Aqui É Que A Porca Torce O Rabo Colagem De Textos
1974 A Brincar Se Vai Ao Longe
1974 Catarina Na Luto Do Povo Luís Alberto
1973 Musicalim Na Praça Dos Brinquedos Stella Leonardos

Prémio SeivaEditar

 
Prémio Seiva concebido pelo escultor José Rodrigues
 Ver artigo principal: Prémio Seiva

O "Prémio Seiva" é um prémio instituído pela Companhia de Teatro Seiva Trupe, entregue a pessoas que se destaquem no progresso, dignificação e prestígio das Artes, Letras e Ciências da cidade do Porto.[7][8]

O Prémio trata-se de uma peça especialmente concebida para o efeito pelo escultor José Rodrigues.[7][8]

Em 2017 realizou-se a 11.ª edição, distinguindo na área das "Artes" o pintor Jorge Pinheiro, na das "Ciências", a patologista Fátima Carneiro, e nas "Letras", o poeta, ensaísta e cronista Arnaldo Saraiva.[9]

Referências

  1. «Seiva Trupe». Infopédia. Consultado em 4 de janeiro de 2013 
  2. Livro Comemorativo dos 50 anos de carreira de Júlio Cardoso - http://portugues.free-ebooks.net/ebook/JULIO-CARDOSO-NO-PALCO-DA-VIDA-50-Anos-de-Teatro
  3. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Estrangeiras». Resultado da busca de "Companhia de Teatro Seiva Trupe - Teatro Vivo". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 4 de setembro de 2015 
  4. «Seiva Trupe foi despejada do Teatro do Campo Alegre» 
  5. «Seiva Trupe ganha nova sede no Porto» 
  6. Espectáculo De Inauguração Do Teatro Do Campo Alegre
  7. a b «Prémio Seiva Trupe/2012 X.ª atribuição». E-Cultura (Centro Nacional de Cultura). 26 de outubro de 2012. Consultado em 10 de janeiro de 2017. Arquivado do original em 4 de maio de 2013 
  8. a b «Prémio Seiva de Literatura». Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas. p. 1,2. Consultado em 10 de janeiro de 2017 [ligação inativa]
  9. Agência Lusa (13 de junho de 2017). «Prémio Seiva Trupe distingue Jorge Pinheiro, Fátima Carneiro e Arnaldo Saraiva». Diário de Notícias. p. 1,2. Consultado em 10 de janeiro de 2017 

Ligações externasEditar