Abrir menu principal

Conclave de abril de 1555

Conclave de abril de 1555
O Papa Marcelo II
Data e localização
Pessoas-chave
Decano Gian Pietro Carafa
Vice-Decano Jean du Bellay
Camerlengo Guido Ascanio Sforza di Santa Fiora
Protopresbítero Claude de Longwy de Givry
Protodiácono Francesco Pisani
Eleição
Eleito Papa Marcelo II
(Marcello Cervini)
Participantes 55
Ausentes 2
Cronologia
Conclave de 1549–1550
Conclave de maio de 1555
dados em catholic-hierarchy.org
Brasão papal de Sua Santidade o papa Marcelo II

O Conclave de abril de 1555 foi a reunião de eleição papal realizada após a morte do Papa Júlio III. Durou de 5 a 9 de abril de 1555.[1][2]

Divisões no conclaveEditar

O Colégio de Cardeais se encontrava dividido em três partidos que apoiavam a uma pessoa:

ConclaveEditar

Os cardeais presentes em Roma entraram no conclave em 5 de abril. Inicialmente, se prepararam e subscreveram a capitulação em conclave, que determinou que o eleito teria a obrigação de manter a neutralidade nos conflitos europeus e foi proibido de guerrear com os príncipes cristãos. Apesar das divisões existentes, os cardeais chegaram rapidamente a um consenso. Em 9 de abril às 11 horas, foi eleito por aclamação o cardeal Marcello Cervini. Foi proposto pela facção francesa, que obteve também o apoio dos cardeais de Habsburgo.

Em 10 de abril pela manhã um exame formal foi feita para confirmar a eleição. Cervini recebeu todos os votos, exceto o próprio que havia dado a Gian Pietro Carafa. Manteve seu nome de batismo e agregou apenas o númeral (Marcelo II). Nesse mesmo dia, foi consagrado bispo de Roma pelo cardeal Gian Pietro Carafa, Decano do Colégio dos Cardeais e coroado pelo cardeal Francesco Pisani, protodiácono de São Marcos.

Cardeais votantesEditar

Ligações externasEditar

Referências

  1. «Catholic Hierarchy» (em inglês). Consultado em 26 de abril de 2011 
  2. «The Cardinals of the Holy Roman Church» (em inglês). Consultado em 26 de abril de 2011