Conde de Basto

Conde de Basto foi um título nobiliárquico português que teve duas criações.

Corona de conde.svg
Conde de Basto
Primeira Criação
Armas condes basto.jpg
Criação
Ordem Grandeza
Tipo Juro e Herdade
1º Titular D. Fernando de Castro
Linhagem Castro
Actual Titular Extinto (1640)
Segunda Criação
Criação
Ordem Grandeza
Tipo Vitalício
1º Titular José António de Oliveira Leite de Barros
Linhagem Barros
Actual Titular Extinto (1833)

Primeira CriaçãoEditar

A primeira criação do título de Conde de Basto foi efectuada pelo Rei D. Filipe I de Portugal, por Decreto de 12 de Setembro de 1582, em favor de D. Fernando de Castro.[1]

Titulares
  1. D. Fernando de Castro, 1.º conde de Basto
  2. D. Diogo de Castro, Vice-Rei de Portugal e 2.º conde de Basto
  3. D. Lourenço Pires de Castro, 3.º conde de Basto (faleceu na Catalunha em 1642, tendo optado por permanecer em Espanha após a independência portuguesa, razão pela qual o título foi extinto em Portugal).

Segunda CriaçãoEditar

No século XIX sucedeu a segunda criação do título de Conde de Basto por Decreto de D. Miguel I de Portugal, datado de 12 de Janeiro de 1829, em favor de José António de Oliveira Leite de Barros.[2] O Conde de Basto exerceu as funções de Desembargador na Casa da Suplicação e de Ministro do Reino durante os reinados de D. João VI e D. Miguel I. Adepto do absolutismo, opôs-se à instauração do Liberalismo Constitucional em Portugal.

Titulares
  1. José António de Oliveira Leite de Barros, 1.º conde de Basto (1749-1833)

Referências

  1. "Nobreza de Portugal e do Brasil", Direcção de Afonso Eduardo Martins Zuquete, Editorial Enciclopédia, 2.ª Edição, Lisboa, 1989, Volume Segundo, p. 406
  2. "Nobreza de Portugal e do Brasil", Direcção de Afonso Eduardo Martins Zuquete, Editorial Enciclopédia, 2.ª Edição, Lisboa, 1989, Volume Segundo, p. 406

Ligações externasEditar