Abrir menu principal

Título criado por D. João IV de Portugal por carta de 15 de outubro de 1652 em favor de D. João da Costa.

Titulares
  1. D. João da Costa, (1610-1664)
  2. D. Gil Eanes da Costa, (1630-?)[1]
  3. D. João José da Costa e Sousa, (1660-?)
  4. D. Henrique Francisco da Costa e Sousa Carvalho, (1699-?]]
  5. D. João da Costa Carvalho e Sousa, (1717-1796)
  6. D. José António Francisco da Costa, (1726-1806)
  7. D. Henrique José da Costa Carvalho Patalim Sousa e Lafetá, (1798-1838)[2]

A representação do título mantiveram-se na linha legítima de sucessão mas passou para os Condes de Redondo, em virtude do título ter recaído em D. Maria Luísa da Costa, irmã do 7° Conde, D. Henrique José, e esta ter casado com o 7° Conde de Redondo.[3]

Após a implementação da República e o fim do sistema nobiliárquico, ficaram pretendentes ao título:

8. D. António Luís Carvalho de Sousa Coutinho (1925-2007); 4º Marquês de Borba, 18º Conde de Redondo, 15º Conde de Vimioso, 7º Marquês de Valença;

9. D. Fernando Patrício de Portugal de Sousa Coutinho (1956), 8º Marquês de Valença, 6º Marquês de Borba, 19º Conde de Redondo, 16º Conde de Vimioso, 3º Marquês de Aguiar, Conde de Basto, 2º Conde do Barreiro, 3º Conde de Aguiar, 4º Marquês de Castelo Rodrigo

Referências

  1. Viu o título ser-lhe confirmado por carta de D. Afonso VI, a 20 de Março de 1664.
  2. O sétimo conde, D. Henrique José, não casou, mas deixou descendência legitimada. Teve duas filhas e um filho, D. Bernardo José da Costa, que se casou com uma das filhas do oitavo Conde de Pombeiro.
  3. Morgado de Soure, Associação dos Amigos da Torre do Tombo

Ligações externasEditar