Abrir menu principal

Confederação da Livônia

A Confederação da Livônia foi uma confederação organizada livremente nas atuais Estônia e Letônia que existiu de 1228 até a década de 1560. Ela continha cinco pequenos Estados (a Ordem da Livônia, o Arcebispado de Riga, o Bispado de Dorpat, o Bispado de Ösel-Wiek e o Bispado da Curlândia).

Esta divisão foi criada pelo núncio pontifício Guilherme de Módena em 1228 como um compromisso entre a Igreja e a poderosa Ordem da Livônia, ambas facções lideradas por alemães, depois dos cavaleiros alemães terem conquistado e subjugado os territórios de várias tribos locais: os estonianos e os lívios, falantes do fínico, e os latigálios, selônios, semigálios e curônios, falantes do báltico. Teoricamente a divisão das terras foi de um terço para a Ordem e os outros dois terços para a Igreja. Na realidade, a maioria do território da Livônia foi controlado pela Ordem e conflitos entre a Ordem, os bispos e as poderosas cidades hanseáticas forma comuns durante toda a existência da Confederação. Para resolver as disputas internas, a Dieta da Livônia ou Landtag foi formado em 1419. A cidade de Walk foi escolhida como sede do Landtag. O Landtag era formado por membros da Ordem da Livônia, os Bispos da Livônia, vassalos e representantes das cidades.

Todos os cinco Estados da Confederação da Livônia deixaram de existir durante a Guerra da Livônia (1558 - 82). A Ordem da Livônia foi disolvida pelo Pacto de Wilno em 1560. No ano seguinte, o Landtag da Livônia decidiu pedir proteção para Zygmunt II August, rei da Polônia e Grão-Duque da Lituânia. Com o fim do governo do último Arcebispo de Riga Guilherme de Brandemburgo, Riga tornou-se uma Cidade Imperial Livre.

A Livônia no 1573.


Ver tambémEditar