Abrir menu principal

Conflitos no Oriente Médio

artigo de lista da Wikimedia
Ambox question.svg
Esta página ou seção carece de contexto (desde março de 2017).

Este artigo (ou seção) não possui um contexto definido, ou seja, não explica de forma clara e direta o tema que aborda. Se souber algo sobre o assunto edite a página/seção e explique de forma mais clara e objetiva o tema abordado.

Definição tradicional do Oriente Médio

O Oriente Médio, região situada ao lado do Ocidente tendo como referência o Mar Mediterrâneo, inclui os países costeiros do Mediterrâneo Oriental (da Turquia ao Egito), a Jordânia, Mesopotâmia (Iraque), península Arábica, Pérsia (Irã) e geralmente o Afeganistão.

A condição de área de passagem entre a Eurásia e a África, de um lado, e entre o Mar Mediterrâneo e o Oceano Índico de outro, favoreceu o comércio de caravanas que enfraqueceu-se posteriormente em proveito das rotas marítimas, renovadas pela abertura do canal de Suez em 1869. Logo antes da Primeira Guerra Mundial, a região já era a maior produtora petrolífera do mundo e, por isso, despertava o interesse das grandes potências, tornando-se objeto de rivalidades e conflitos internacionais. Além da economia baseada no petróleo e das fortes desigualdades sociais, a região também apresenta problemas nas uniões tribais e étnicas, na fragilidade das estruturas de governo e, sobretudo na centralização islâmica da vida política.

A maioria dos Estados do Oriente Médio surgiram sob influencia do imperialismo franco-britânico, com a queda do Império Turco-Otomano após a I Guerra Mundial, assim a maior parte da região seria dividida em protetorados. A Palestina, a Transjordânia (atual Jordânia), o Egito, o Iraque (antiga Mesopotâmia) e a Pérsia (atual Irã) ficaram sob domínio da Inglaterra e a Síria e o Líbano tornaram-se protetorados franceses. Essa divisão obedeceu aos interesses das potências, que não levaram em conta os problemas específicos da região como as minorias étnicas e religiosas.

Após a Segunda Guerra Mundial, os países do Oriente Médio tentaram relegar a religião somente à esfera privada, através do nacionalismo pan-arabista, cujo maior líder foi o presidente egípcio Gamal Abdel Nasser. Na década de 1970, as massas urbanas e a classe média se afastaram do nacionalismo, adotando o fundamentalismo islâmico, que consolidou-se como ideologia dominante nas últimas décadas do século XX, principalmente após a Revolução Iraniana de 1979 e a ascensão do Talibã ao poder no Afeganistão.

O Oriente Médio permanece uma das áreas mais instáveis do mundo, devido a uma série de motivos que vão desde a contestação das fronteiras traçadas pelo colonialismo franco-britânico, a posição geográfica, no contato entre três continentes; suas condições naturais, pois a maior parte dos países ali localizados são dependentes de água de países vizinhos; a presença de recursos estratégicos no subsolo, caso específico do petróleo; posição no contexto geopolítico mundial; até a proclamação do Estado de Israel na Palestina em 1948, o que de imediato provocou uma série de conflitos conhecidos como as guerras árabes-israelenses, entre eles a guerra de independência de Israel, a Guerra dos Seis Dias, a Guerra de Suez e a Guerra do Iom Quipur.

Lista dos conflitos modernos no Oriente MédioEditar

Datas Conflito Localização Vítimas
1918–1922 Revolta de Simko Shikak[1]   Pérsia 1,000–5,500
1918–1920 Primeira Guerra de Négede-Hejaz[2]   Reino de Négede   Reino de Hejaz 1,392
1919 Revolução Egípcia de 1919[3][4]   Sultanato do Egito 800-3,000
1919–1921 Guerra franco-síria   Reino Hachemita da Síria   Mandato Francês da Síria 5,000
1919–1923 Guerra de Independência Turca (Catástrofe da Ásia Menor) [a]   Turquia
  Grécia
  Armenia
  União Soviética
170,500–873,000
1920–1922 Revolta iraquiana contra os britânicos[5]   Mandato Britânico da Mesopotâmia 9,000
1921 Guerra de fronteira Cuaite-Négede[2]   Primeiro Reino do Kuwait   Sultanato de Négede 200
1922–1924 Ataques de Ikhwan a Transjordânia[6]   Transjordânia 500
1923 Revolta Adwan   Transjordânia 100
1924–1927 Revolução Síria (Guerra Drusa)[7]   Mandato Francês do Líbano   Mandato Francês da Síria   Drusos Jabal   Estado de Damasco

  França

12,000
1924–1925 Segunda Guerra de Négede-Hejaz[2]   Reino de Négede   Reino de Hejaz 450
1925 Rebelião do Xeque Said[2][8]   Turquia 15,000–250,500
1927–1930 Revolta Ikhwan[2]   Mandato Britânico da Mesopotâmia
  Emirado do Kuwait
  Reino de Négede e Hejaz
2,000
1929 Distúrbios na Palestina de 1929[9][10]   Mandato Britânico da Palestina 251
1930 Revolta de Ararate[11][12][13][14][15]   Turquia
  República de Ararat
4,500–47,000
1933 Massacre de Simele[16]   Reino do Iraque 1,000–3,000
1934 Guerra saudita-iemenita[17]   Arábia Saudita
  Reino do Iêmen
2,100
1936–1939 Revolta árabe de 1936-1939[18]   Mandato Britânico da Palestina 5,000
1937 Rebelião Dersim[19][20]   Turquia 40,000–70,000
1938–1948 Conflito britânico-sionista[18]   Mandato Britânico da Palestina 1,000
1939–1945 Teatro de Operações do Oriente Médio na Segunda Guerra Mundial[21][b]   Reino do Iraque
  Estado Imperial do Irã
  Reino do Egito
  Estado do Grande Líbano
  Mandato Britânico da Palestina
  República Síria
46,000
1946 Revoltas estudantis egípcias[22][23]   Reino do Egito 100–300
1946–1947 Crise no Irã de 1946[2][24] [c]   Estado Imperial do Irã
  República de Mahabad
  Governo Popular do Azerbaijão
  Soviet Union
2,000
1948– Conflito israelo-palestino   Mandato Britânico da Palestina   Israel
  Territórios Palestinos
14,500–20,000
1947–1948 Golpe de Estado do clã Yahya[24]   Reino do Iêmen 4,000–5,000
1948 Revolta Al-Wathbah   Reino do Iraque 300–400
1948–2005 Guerras árabe-israelenses[25][d]   Reino do Egito
  Egito
  República Árabe Unida
  República Síria
  Síria
  Jordânia
  Líbano
  Palestine
  Israel
43,000–62,468
1952 Revolução Egípcia de 1952[24]   Reino do Egito   Egito 1,000
1953 Golpe de Estado no Irã de 1953[2][24]   Estado Imperial do Irã 300-800
1954-1960 Guerra Jebel Akhdar[2]   Sultanato de Mascate e Omã 100
1955–1959 Crise de Makarios[16][18]   Protetorado de Chipre 400–600
1956–1960 Violência entre clãs iemenita-adenesa[24]   Aden 1,000
1958 Crise no Líbano de 1958[4][16][24]   Líbano 1,300–4,000
1958–1959 Revolução Iraquiana[24]   Federação Árabe
  Iraq
2,000–4,000
1961–1970 Primeira Guerra Curdo-Iraquiana[8][26]   Iraque
  Iraque
105,000
1962–1970 Guerra Civil do Iêmen do Norte[26][27]   Reino do Iêmen
  Iêmen
  Arábia Saudita
100,000–200,000
1962–1975 Rebelião Dhofar[2]   Oman
  Estado Imperial do Irã
  Estado Imperial do Irã
  Jordânia
  Frente Popular para a Libertação de Omã
10,000
1963 Revolução Branca (Irã)[2]   Estado Imperial do Irã 100
1963 Golpe de Estado de Fevereiro de 1963 no Iraque   Iraque
  Iraque
5,000
1963 Golpe de Estado na Síria de 1963[28]   República Árabe Unida
  Síria
820
1963–1967 Emergência de Áden[29]   Federação da Arábia do Sul
  Iêmen do Sul
2,096
1964 Distúrbios Hama de 1964[30][31]   Síria 70–100
1966 Golpe de estado na Síria de 1966[2]   Síria 400
1970–1971 Setembro Negro na Jordânia [16]   Jordânia
  Líbano
2,000–25,000
1974 Invasão turca de Chipre[17]   Turquia
  Grécia
  Chipre
965–2,000
1974–1975 Segunda Guerra Curdo-Iraquiana[32]   Iraque 9,000
1975–1990 Guerra Civil Libanesa[8]   Líbano
  Federação das Repúblicas Árabes
  Síria
  Israel
150,000
1976–1979 Conflitos civis turcos[33][34][35]   Turquia 5,000–5,388
1976–1982 Revolta islâmica na Síria[36]   Federação das Repúblicas Árabes
  Síria
40,000
1977 Guerra Líbia-Egito   Egito
  Líbia
500
1977 Revoltas do Pão no Egito em 1977[37][38]   Egito 70–800
1977– Conflito entre a Turquia e o Partido dos Trabalhadores do Curdistão[39]   Turquia
  Iraque
  Federação das Repúblicas Árabes
  Síria
  Curdistão iraquiano
30,000–35,000
1978–1979 Revolução Iraniana[25]   Estado Imperial do Irã
  Irã
7,500–80,000
1978–1980 Rebelião curda no Irã[40][41]   Irã 10,000
1979–1983 Distúrbios na Província Oriental Saudita[42]   Arábia Saudita 182–219
1979 Captura da Grande Mesquita[43]   Arábia Saudita 307
1980 Golpe de Estado na Turquia em 1980 [44][45]   Turquia 127–550
1980 Revolta xiita do Iraque (Primeira Revolta de Sadr)[46]   Iraque 1,000–30,000
1980–1988 Guerra Irã-Iraque[17][47]   Irã
  Iraque
  Kuwait
1,000,000–1,250,000
1986 Guerra Civil do Iêmen do Sul[48]   Iêmen do Sul 5,000–12,000
1986 Tumultos do recrutamento egípcio[49]   Egito 107
1986 Bombardeios em Damasco de 1986   Síria 204
1987 Massacre de Meca de 1987[50]   Arábia Saudita 402
1990–1991 Guerra do Golfo[8]   Iraque
  Kuwait
  Arábia Saudita
40,000–57,000
1991 Revoltas no Iraque de 1991[46][51]   Iraque
  Curdistão iraquiano
50,000–100,000
1992–2000 Terrorismo no Egito[52]   Egito 1,300–2,000
1994–1997 Guerra Civil do Curdistão Iraquiano[53]   Curdistão iraquiano 3,000
1994 Guerra Civil do Iêmen de 1994   Iêmen 7,000–10,000
1995– Insurgência islâmica na Arábia Saudita   Arábia Saudita 300
1998 Operação Desert Fox[16][18]   Iraque 600–2,000
1999 Revolta xiita no Iraque (Segunda Revolta de Sadr)[2][54]   Iraque 100-200
2003–2010 Guerra do Iraque[55][56][57][58][59][60]   Iraque
  Iraque
  Curdistão iraquiano
109,032–150,726
2003– Insurgência Baluchi no Irã[61][62]   Irã 155-400
2004 Massacre Qamishli (2004)[63][64]   Síria 30–100
2004–2010 Conflito de Sa'dah[65][66][67][68]   Arábia Saudita
  Iêmen
10,460–11,660
2004– Conflito entre o Irã e o Partido para uma Vida Livre no Curdistão   Irã
  Curdistão iraquiano
300
2006 Segunda Guerra do Líbano   Líbano
  Israel
1,900
2006– Conflito Fatah–Hamas[69][70]   Territórios Palestinos 600–700
2007 Conflito do Líbano de 2007   Líbano 470–532
2008 Conflito do Líbano de 2008   Líbano 105
2009– Insurgência no sul do Iêmen de 2009[71]   Iêmen 1,554
2009–2010 Protestos eleitorais no Irã em 2009[72]   Irã 27–150
2010– Rebelião da Al-Qaeda no Iémen[73][74]   Iêmen ~2,200
2010– Primavera Árabe[i]   Tunisia
  Bahrain
  Egito
  Omã
  Síria
  Iêmen
  Líbano
+500 mil

Baixas SeparadasEditar

[a]. Guerra de Independência Turca (cifra de vítimas combinadas de 170.500-873.000+) de:

Guerra Greco-Turca- 70.000–400.000 vítimas[8][necessário verificar]
Guerra Franco-Turca- 40.000 vítimas[carece de fontes?]
Guerra Turco-Armênia - 60.000–432.500 vítimas[75]
Rebelião Koçkiri - 500 mortos[carece de fontes?]
Revolta de Ahmet Anzavur - desconhecido
Revolta Kuva-i Inzibatiye - desconhecido

[b]. Teatro de Operações do Oriente Médio da Segunda Guerra Mundial 40.000 (cifra de vítimas combinadas de 12.338-14.898+) de:

Guerra Anglo-Iraquiana - pelo menos 560 mortos[76][77]
Farhud 175-780 mortos
Campanha Síria-Líbano 10.404-12.964 mortes
Invasão anglo-soviética do Irã 100[2] -1.062 mortes
Bombardeio da Palestina na Segunda Guerra Mundial 137 mortes[78]

[c]. Crise no Irã de 1946 2.000 vítimas (cifra de vítimas combinadas de 921+) de:

Crise da República Popular do Azerbaijão - 421 mortos[79]
Crise da República de Mahabad - desconhecido
Interregno Civil- 500 mortos[80]

[d]. Guerras árabe-israelenses 51.000-65.000 vítimas (cifra de vítimas combinadas de 51.438-62.468+) of:

Guerra árabe-israelense (1948-1949) - 14.400 vítimas
Operações de Retaliação (década de 1950) - 3.456 vítimas
Guerra de Suez (1956) - 3.203 mortos
Guerra dos Seis Dias (1967) - 13.976 mortos
Guerra de Desgaste (1967-1970) - 6.403 mortos
Guerra do Yom Kippur (1973) 10.000–21.000[81]

[e]. Guerra Civil do Iêmen do Norte 100.000-200.000 vítimas

Golpe de Estado no Iêmen de 1962
Ofensiva de Ramadan
Ofensiva de Haradh
Ofensiva monarquista de 1965
Cerco de Sana'a de 1967

[f]. Guerra Civil Libanesa 150.000 vítimas mortais de:

Massacre de Karantina
Massacre de Damour
Massacre de Tel al-Zaatar
Operação Litani
Guerra do Líbano de 1982
Massacre de Sabra e Shatila
Guerra dos Acampamentos 1986-1987
Guerra de Libertação de 1989-1990

[g]. Guerra Irã-Iraque 500.000-1.200.000 vítimas mortais (contagem de morte combinadas 184.000+) de

Invasão iraquiana de 1980
Revolta de Mujahedin al-Halq de 1981-1982
Libertação de Khorramshahr 1982 - 17.000 vítimas
Operação Vitória Incontestável 1982 - 50.000 vítimas mortais
Operação Ramadan 1982 - 80.000 mortos
Revolta curda de 1983-1988 (incluindo a campanha de Al-Anfal) 160.000-312.000 mortos
Operação antes do Amanhecer 1983 - 6.000+ mortos
Operação Aurora 3 - 162.000 mortos
Operação Aurora 5 1984 - 50.000 mortos
Operação Aurora 6 1984
Operação Khaibar 1984 - 49.000 mortos
Guerra dos Petroleiros de 1984
Operação Badr (1985) - 30.000-32.000
Guerra das Cidades 1985-1987
Operação Aurora-8 1986
Operation Karbala-4 1986 - 15.000 mortos
Operação Karbala-5 - 85.000 mortos
Operação Nasr 4
Operação Karbala-10
Operação Mersad 1987 - 4.900 mortos
Execuções de prisioneiros políticos iranianos em 1988 2.000[82] - 30.000 executados

[h]. Guerra do Iraque

Invasão do Iraque de 2003
Guerra Civil no Iraque 2006-2008

[i]. Teatro do Oriente Médio da Primavera Árabe cifra de vítimas combinadas 4.414-4.749 de:

Guerra Civil Síria - 2.206 - 2.654 mortes
Revolta no Iêmen em 2011-2012 - 1.016 - 1.203 mortes
Revolução Egípcia de 2011 - 846 mortes
Revolta no Bahrein de 2011 - 9852 mortes

Referências

  1. Maria T. O'Shea. Trapped Between the Map and Reality: Geography and Perceptions of Kurdistan. Routledge, 2004: p.100 "Simultaneously, 1000 Christians were killed in Salmas, in a massacre instigated by Simko"
  2. a b c d e f g h i j k l m Political Science. Middle East/North Africa/Persian Gulf Region. University of Central Arkansas. Retrieved 2011. [1]
  3. New York Times
  4. a b [2]
  5. Jonathan Glancey (19 de abril de 2003). «Our last occupation». London: Guardian. Consultado em 1 de fevereiro de 2011  "The rebellion was thwarted, with nearly 9,000 Iraqis killed."
  6. Noel Joseph Guckian. British Relations with Trans-Jordan, 1920–1930. University College of Wales, Aberystwyth. Ph.D Thesis: pp. 217–218. May 1985.
  7. «Twentieth Century Atlas – Death Tolls». Users.erols.com. Consultado em 1 de fevereiro de 2011 
  8. a b c d e [3]
  9. Great Britain, 1930: Report of the Commission on the disturbances of August 1929, Command paper 3530 (Shaw Commission report), p. 65.
  10. NA 59/8/353/84/867n, 404 Wailing Wall/279 and 280, Archdale Diary and Palestinian Police records.
  11. Yusuf Mazhar, Cumhuriyet, 16 Temmuz 1930, ... Zilan harekatında imha edilenlerin sayısı 15,000 kadardır. Zilan Deresi ağzına kadar ceset dolmuştur...
  12. Ahmet Kahraman, ibid, p. 211, Karaköse, 14 (Özel muhabirimiz bildiriyor) …
  13. Ayşe Hür, "Osmanlı'dan bugüne Kürtler ve Devlet-4" Arquivado em 25 de fevereiro de 2011, no Wayback Machine., Taraf, October 23, 2008, Retrieved August 16, 2010.
  14. M. Kalman, Belge, tanık ve yaşayanlarıyla Ağrı Direnişi 1926–1930, Pêrî Yayınları, İstanbul, 1997, ISBN 9758245015, p. 105.
  15. "Der Krieg am Ararat" (Telegramm unseres Korrespondenten) Berliner Tageblatt, October 3, 1930, "… die Türken in der Gegend von Zilan 220 Dörfer zerstört und 4500 Frauen und Greise massakriert."
  16. a b c d e «Twentieth Century Atlas – Death Tolls». Users.erols.com. Consultado em 1 de fevereiro de 2011 
  17. a b c Rongxing Guo. Cross border resource management, theory and practice. Ed. S.V.Krupa. Elsevier, 2005: p.115.
  18. a b c d «200 Years of Conflict: A Very British–2010». David Charles.info. 31 de dezembro de 19102010. Consultado em 1 de fevereiro de 2011  Verifique data em: |data= (ajuda)
  19. David McDowall, A Modern History of the Kurds I.B.Tauris, 2002, ISBN 9781850434160, p. 209.
  20. [4]
  21. Mollo, p. 146
  22. Ikhwanweb. Ikhwanweb
  23. Ahmed Abdalla, The Student Movement and National Politics in Egypt 1923–1973. 2008: pp. 64–77 (1946: The Climax)
  24. a b c d e f g «CSP – Major Episodes of Political Violence, 1946–2008». Systemicpeace.org. Consultado em 1 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 21 de janeiro de 2014 
  25. a b Pipes, Daniel (8 de outubro de 2007). «Arab-Israeli Fatalities Rank 49th». Consultado em 21 de abril de 2009 
  26. a b [5]
  27. [6] Arquivado em 20 de março de 2012, no Wayback Machine. "Since 1965, the Libyan-backed Front for the Liberation of Occupied South Yemen and the National Liberation Front had unleashed brutal violence on British forces in the south. In the end, the conflict claimed some 200,000 lives."
  28. Derek Hopwood. Syria 1945–1986: Politics and society. Unwin Himan ltd., 1988: p.45.
  29. J.E.Peterson, British Counter-Insurgency Campaigns and Iraq. August 2009: p.12.
  30. Seale, Patrick, Asad, the Struggle for the Middle East, University of California Press, 1989, p.93
  31. James A.Paul et. al. Human Rights in Syria. Middle East Watch Organization, 1990: p.10.
  32. «Cópia arquivada». Consultado em 13 de setembro de 2012. Arquivado do original em 11 de outubro de 2017 
  33. Gil, Ata. La Turquie à marche forcée, Le Monde diplomatique, February 1981.
  34. Devrimci Yol Savunması, Defense of the Revolutionary Path. Ankara, January 1989, pp. 118–119.
  35. [7] Al-Jazeera
  36. John Pike. «Hama». Globalsecurity.org. Consultado em 1 de fevereiro de 2011 
  37. [8] Libcom.
  38. Daily Star Egypt Arquivado em 3 de abril de 2008, no Wayback Machine. Daily Star Egypt.
  39. John Pike. «Kurdistan - Kurdish Conflict». Globalsecurity.org. Consultado em 1 de fevereiro de 2011 
  40. «The History Guy». Consultado em 26 de julho de 2010 
  41. David McDowall. A Modern History of the Kurds (1996)
  42. By JAY PETERZELL (24 de setembro de 1990). «The Gulf: Shi'Ites: Poorer Cousins». TIME. Consultado em 1 de fevereiro de 2011 
  43. Riyadh (10 de janeiro de 1980). «63 Zealots beheaded for seizing Mosque». Pittsburgh Post-Gazette. Consultado em 12 de novembro de 2010 
  44. [9] Arquivado em 14 de outubro de 2012, no Wayback Machine. Todays Zaman. Turkey tries to heal coup detat wounds. "During this coup 650,000 people were detained, prosecutors demanded the death penalty for 7,000 people, 517 were sentenced to death, and 50 were executed. A further 500 people died in prisons, some under suspicious circumstances, some during torture and others on hunger strikes. Sixteen prisoners were shot while attempting to escape. Official records say 74 others were killed during prison riots."
  45. [10] AlJazeera
  46. a b Lawrence E. Cline. The Prospects of the Shia Insurgency Movement in Iraq. [11][ligação inativa]
  47. «Twentieth Century Atlas – Death Tolls». Users.erols.com. Consultado em 1 de fevereiro de 2011 
  48. «Wars and Conflicts of Yemen (1914–present)». The History Guy. Consultado em 1 de fevereiro de 2011 
  49. Europa Publications Limited, The Middle East & North Africa, Volume 50: p.303
  50. K. McLachlan, Iran and the Continuing Crisis in the Persian Gulf. GeoJournal, Vol.28, Issue 3, Nov. 1992, p.359; "400 Die as Iranian Marchers Battle Saudi Police in Mecca; Embassies Smashed in Tehran…" New York Times, 8/2/87
  51. [12] AlJazeera
  52. «Armed Conflicts Report – Egypt». Ploughshares.ca. Consultado em 1 de fevereiro de 2011 
  53. Jordi Tejel. Syria's Kurds: history, politics and society. 2009. p.156.
  54. Matthew Duss and Peter Juul. The Fractured Shia of Iraq. Center for American Progress, January 2009. p.9.
  55. Gamel, Kim (April 14, 2009). "AP Impact: Secret Tally Has 87,215 Iraqis Dead". Associated Press (via ABC News).
  56. Leigh, David (October 22, 2010). "Iraq War Logs Reveal 15,000 Previously Unlisted Civilian Deaths — Leaked Pentagon Files Contain Records of More than 100,000 Fatalities Including 66,000 Civilians". The Guardian. Retrieved November 20, 2010.
  57. Rogers, Simon(October 23, 2010). "Wikileaks Iraq: Data Journalism Maps Every Death — Data Journalism Allows Us To Really Interrogate the Wikileaks Iraq War Logs Release. Here Is the Statistical Breakdown — and Data for You To Download". Data Blog — Facts Are Sacred (blog on The Guardian). Retrieved November 20, 2010.
  58. "Iraq: The War Logs". The Guardian.
  59. Carlstrom, Gregg (October 22, 2010; last modified October 24, 2010 (at November 21, 2010)). "WikiLeaks Releases Secret Iraq File — Al Jazeera Accesses 400,000 Secret US Military Documents, Which Reveal the Inside Story of the Iraq War". Al Jazeera English. Retrieved November 21, 2010.
  60. Staff writer (October 23, 2010). "Iraq War Logs: What the Numbers Reveal". Iraq Body Count. Retrieved November 20, 2010.
  61. Goodenough, Patrick (20 de junho de 2010). «Iran Executes Insurgent Leader, Accused of Ties With American Intelligence». CNSnews.com. Consultado em 21 de dezembro de 2010. Arquivado do original em 12 de maio de 2011 
  62. Massoud, Ansari (16 de janeiro de 2006). «Sunni group vows to behead Iranians». Washington Times. Consultado em 5 de abril de 2007 
  63. MidEastWeb. Kurdish agony – the forgotten massacre of Qamishlo. March 2004.[13] MidEastWeb
  64. «Kurdish unrest erupts in Syria». BBC News. 6 de junho de 2005 
  65. «Bloody 2009– Yemen Post English Newspaper Online». Yemenpost.net. Consultado em 1 de fevereiro de 2011 
  66. Arrabyee, Nasser (2007-04-04). Yemen's rebels undefeated. Al-Ahram Weekly. http://weekly.ahram.org.eg/2007/838/re8.htm Arquivado em 16 de abril de 2007, no Wayback Machine.. Retrieved 2007-04-11.
  67. 160 rebels killed in Yemen. Israel Herald. 2007-03-07. [14] Arquivado em 28 de setembro de 2007, no Wayback Machine.. Retrieved 2007-04-11.
  68. Armed Conflicts Report – Yemen. Ploughshares.ca. [15]. Retrieved 2009-11-09.
  69. «Over 600 Palestinians killed in internal clashes since 2006». Ynetnews.com. 20 de junho de 1995. Consultado em 1 de fevereiro de 2011 
  70. «Palestinian Center for Human Rights». Pchrgaza.org. Consultado em 1 de fevereiro de 2011 
  71. Government casualties (AlJazeera) [16]
    [17]
  72. «Chaos prevails as protesters, police clash in Iranian capital». CNN. 21 de junho de 2009 
  73. Government casualties AlArabiya
  74. Al-Qaeda casualties: Foxnews [18] Arquivado em 24 de outubro de 2012, no Wayback Machine., NYTimes [19], Washangton Post [20], Ynet News [21]
  75. Vahakn N. Dadrian. (2003). The History of the Armenian Genocide: Ethnic Conflict from the Balkans to Anatolia to the Caucasus. New York: Berghahn Books. pp. 360–361. ISBN 1-5718-1666-6;
  76. «Habbaniya War Cemetery». Commonwealth War Graves Commission. Consultado em 12 de agosto de 2010 
  77. Wavell. p. 3438
  78. Maya Zamir. The Day of The bombing Arquivado em 12 de janeiro de 2008, no Wayback Machine.. Tel Aviv Magazine. 7th of September 2007 (em hebraico)[ligação inativa]
  79. Nat. Arch. 891.00/1-1547. 15 January 1947. Touraj Atabaki. Azerbaijan: Ethnicity and the Struggle for Power in Iran. [Revised Edition of Azerbaijan. Ethnicity and Autonomy in the Twentieth-Century Iran] London: I.B.Tauris. 2000. pg 227. "A British source cited by the US Embassy in Tehran gives the number of killed Democrats as 421. The American Embass’s report has been classified under wash."
  80. Tadeusz Swietochowski. Russia and Azerbaijan: A Borderland in Transition. New York: Columbia. University Press. 1995. p. 154. "Rossow conservatively estimated 500 killed during the lawless interregnum that preceded the coming of the Iranian troops. Hundreds of others were tried and jailed. and scores were hanged."
  81. «The Yom Kippur War». thenagain.info 
  82. «Cópia arquivada». Consultado em 21 de novembro de 2014. Arquivado do original em 7 de dezembro de 2014