Abrir menu principal

Congregação do Santíssimo Redentor

Disambig grey.svg Nota: Se procura a congregação religiosa, veja Congregação do Santíssimo Redentor.

Congregação do Santíssimo Redentor
 
Congregatio Sanctissimi Redemptoris
''Copiosa apud eum redemptio''
sigla
C.Ss.R.
Imagem: Congregação do Santíssimo Redentor
Tipo: Congregação religiosa
Fundador (a): Santo Afonso de Ligório e Beata Maria Celeste Crostarosa
Local e data da fundação: Scala, 9 de novembro de 1732
Aprovação: 25 de fevereiro de 1749 por Papa Bento XIV
Superior geral: Pe. Michael Brehl


Sede: Roma
 Itália
Site oficial: http://www.redemptor.com.br/
Projeto Catolicismo · uso desta caixa

A Congregação do Santíssimo Redentor (Congregatio Sanctissimi Redemptoris; Missionários Redentoristas; Redentoristas; C.Ss.R.) é uma congregação religiosa católica fundada por Santo Afonso de Ligório e a Beata Maria Celeste Crostarosa, em Scala (Itália) em 1732.

A Congregação do Santíssimo Redentor foi a resposta de Santo Afonso de Ligório ao chamado que ele ouviu de Jesus por meio dos pobres, junto ao apoio místico e espiritual da Beata Maria Celeste Crostarosa.

Índice

HistóriaEditar

 
Nossa Senhora do Perpétuo Socorro cuja devoção foi propagada pelos redentoristas.

No ano de 1730, Afonso estava exausto por causa dos seus trabalhos missionários. Seus médicos mandaram-no fazer repouso e respirar o ar puro das montanhas. Com alguns companheiros, ele foi para Scala, na costa amalfitana ao sul de Nápoles. No topo das montanhas ficava o Santuário de Nossa Senhora dos Montes, lugar ideal para descanso, ideal também para a contemplação perto da Mãe de Deus: montes, belo panorama e em baixo, o mar.

Aos 36 anos, o padre Afonso Maria de Ligório funda em Scala a Ordem do Santíssimo Redentor que, mais tarde, se divide em dois ramos: o das monjas de clausura, na referida ordem religiosa, e a 9 de Novembro de 1732 o ramo dos religiosos de vida apostólica e missionária que se passa a chamar Congregação do Santíssimo Redentor. A sua vida tornou-se numa missão e num serviço contínuo aos mais abandonados.

 
A construção da Basílica de Nossa Senhora Aparecida foi incentivada pelos missionários redentoristas.

A Congregação hojeEditar

Os Missionários Redentoristas, populamente conhecidos, dão continuidade ao carisma de Santo Afonso na Igreja e na sociedade: "Fortes na fé, alegres na esperança, ardentes na caridade, inflamados pelo zelo, humildes e sempre dados à oração, os Redentoristas, como homens apostólicos e genuínos discípulos de Santo Afonso, seguem o Cristo Redentor com o coração cheio de alegria, abnegados de si mesmos e sempre prontos a enfrentar o que é exigente e desafiador, participam do mistério de Cristo e o proclamam com simplicidade no viver e no falar, a fim de levar a Copiosa Redenção". Constituição dos Redentoristas, No. 20

Dedica-se fundamentalmente à pregação de missões populares e ao atendimento dos mais desfavorecidos. Está espalhada pelos cinco continentes, presente em 77 países. O número de membros com votos emitidos (professos) é superior a 6000, integrando padres, irmãos e estudantes, o que faz deste instituto religioso um dos dez mais numerosos em todo o mundo católico.

FaculdadesEditar

Em Roma, sede do seu governo geral, os Redentoristas têm um instituto de teologia moral, o Alfonsianum, principal escola mundial de estudos desta matéria. Foi fundado em 1949. Desde 1960, faz parte da Faculdade de Teologia da Pontifícia Universidade Lateranense. Assim, a Academia outorga tanto a licenciatura como o doutoramento em teologia moral.

Também em Madrid (Espanha), os Redentoristas fundaram, em 1971, o Instituto Superior de Ciencias Morales, incorporado na Faculdade de Teologia da Universidade Pontifícia de Comillas (Madrid).

Santos e BeatosEditar

Ligações externasEditar