Convenção de Itu

A Convenção de Itu foi a primeira convenção republicana do Brasil. Foi realizada em 18 de abril de 1873 na cidade paulista de Itu, na residência de Carlos Vasconcelos de Almeida Prado,[1] com a presença do então deputado Prudente de Morais e representantes republicanos das classes tanto conservadora quanto liberal de várias cidades paulistas.

Símbolo utilizado pelos primeiros republicanos, baseado no brasão imperial.

Na convenção, foi aprovada a criação de uma assembleia de representantes republicanos que se reuniria em São Paulo. Uma comissão designaria os negócios do partido. Participaram 133 convencionais, sendo 78 cafeicultores e 55 de outras profissões, a representar os republicanos de várias cidades paulistas.

A assembleia, presidida pelo agricultor ituano/indaiatubano[2] João Tibiriçá Piratininga,[3] revestiu-se de solenidade, cujas deliberações conclamaram os espíritos para a campanha liberal, que culminaria com a implantação do regime republicano federativo. Dali surgiria o primeiro partido republicano verdadeiramente organizado, que posteriormente se aliaria aos futuros partidos republicanos fluminense e mineiro, bem como aos militares e à igreja católica, culminando com a Proclamação da República do Brasil em 1889.

Alguns ilustres participantes: Américo Brasiliense de Almeida Melo, Bernardino José de Campos Júnior, Américo de Campos, Prudente de Moraes, Manuel Moraes Barros,

ParticipantesEditar

Itú

Jundiaí

Campinas

São Paulo

Bragança

Mogi Mirim

Piracicaba

Botucatú

Tietê

Porto Feliz

Capivari

Sorocaba

Indaiatuba

Itatiba

Montemor

Jaú

Rio de Janeiro

Ver tambémEditar

Referências

  1. [1] Página do Museu Maçonico Paranaense
  2. [2] Página História de Indaiatuba
  3. [3] Página do Museu Maçonico Paranaense

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre História do Brasil é um esboço relacionado ao Projeto História do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.