Abrir menu principal

Convenção de Itu

Símbolo utilizado pelos primeiros republicanos, baseado no brasão imperial.

A Convenção de Itu foi a primeira convenção republicana do Brasil. Foi realizada em 18 de abril de 1873 na cidade paulista de Itu, na residência de Carlos Vasconcelos de Almeida Prado[1], com a presença do então deputado Prudente de Morais e representantes republicanos das classes tanto conservadora quanto liberal de várias cidades paulistas.

Na convenção, foi aprovada a criação de uma assembleia de representantes republicanos que se reuniria em São Paulo. Uma comissão designaria os negócios do partido. Participaram 133 convencionais, sendo 78 cafeicultores e 55 de outras profissões, a representar os republicanos de várias cidades paulistas.

A assembleia, presidida pelo agricultor ituano/indaiatubano[2] João Tibiriçá Piratininga[3], revestiu-se de solenidade, cujas deliberações conclamaram os espíritos para a campanha liberal, que culminaria com a implantação do regime republicano federativo. Dali surgiria o primeiro partido republicano verdadeiramente organizado, que posteriormente se aliaria aos futuros partidos republicanos fluminense e mineiro, bem como aos militares e à igreja católica, culminando com a Proclamação da República do Brasil em 1889.

Alguns ilustres participantes: Américo Brasiliense de Almeida Melo, Bernardino José de Campos Júnior, Américo de Campos.

Ver tambémEditar

Referências

  1. [1] Página do Museu Maçonico Paranaense
  2. [2] Página História de Indaiatuba
  3. [3] Página do Museu Maçonico Paranaense

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre História do Brasil é um esboço relacionado ao Projeto História do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.