Copa Brasil de Voleibol Feminino

Copa Brasil
Voleibol Volleyball (indoor) pictogram.svg
País  Brasil
Confederação CSV
Organizador Confederação Brasileira de Voleibol
Informações gerais
Número de equipes 8
Liga Brasil Superliga
Temporadas
Primeira temporada 2007
Temporada atual 2020
Primeiro campeão Rio de Janeiro Rio de Janeiro
Atual campeão Minas Gerais Minas (1º título)
Maior campeão Rio de Janeiro Rio de Janeiro

São Paulo Osasco (3 títulos cada)

A Copa Brasil de Voleibol Feminino é uma competição criada pela Confederação Brasileira de Voleibol em 2007. Após duas edições seguidas, retornara de um hiato de seis anos em 2014 com novas características. O número de participantes subira de quatro para oito equipes, com o seu campeão tendo o direito de disputar a Supercopa do ano seguinte contra o campeão da Superliga vigente.

HistóriaEditar

A primeira edição da Copa Brasil de Voleibol Feminino foi realizado no ano de 2007, em Brusque, Santa Catarina. As equipes do Rio de Janeiro, do Minas, do Osasco e de Brusque, reuniram-se na Arena Multiuso de Brusque em busco do primeiro título. Na final, a equipe carioca venceu as rivais paulistas pelo placar mínimo.[1]

Ainda com participação de apenas quatro equipes, retornou em 2008, na cidade de Curitiba, no Paraná. O Osasco conquistou o seu primeiro título ao bater o conterrâneo São Caetano. As demais equipes participantes foram o Rio de Janeiro e o Brusque.

Após um hiato de seis anos, a competição retorna em 2014, em Maringá, no Paraná ampliando a quantidade de participantes de quatro para oito. A classificação deu-se a partir da posição final das equipes na Superliga Brasileira de Voleibol Feminino de 2012-13: Rio de Janeiro, Osasco, Campinas, SESI-SP, Praia Clube,Pinheiros, Minas e Rio do Sul. A equipe do Osasco conquistou o segundo título ao bater as rivais do SESI-SP, por 3 sets a 1. Em 2015 a cidade de Cuiabá, no Mato Grosso, teve a oportunidade de receber as equipes do Rio de Janeiro, SESI-SP, Osasco, Pinheiros, Praia Clube, Brasília Vôlei, Minas e São Caetano. A competição passou a classificar as equipes pelas suas posições ao término do primeiro turno da Superliga vigente. Naquela oportunidade, a equipe do Pinheiros derrotou o Rio de Janeiro na semifinal e o SESI-SP na final.

A cidade de Campinas, em São Paulo, recebeu a quinta edição da competição em 2016. O Rio de Janeiro, ao bater a equipe do Praia Clube, sagrou-se campeão pela segunda vez.[2]

Um novo título veio em 2017, na mesma cidade, para a equipe carioca. Dessa vez o rival derrotado na final foi o Minas.[3] Mais uma vez campeão, o Osasco bate o rival Praia Clube pelo placar mínimo, em Lages, em Santa Catarina, na edição de 2018. O Minas conquista o tão sonhado título ao bater o arquirrival Praia Clube na edição de 2019 em Gramado, no Rio Grande do Sul.[4]

ResultadosEditar

COPA BRASIL DE VOLEIBOL FEMININO
Edição Final Semifinalistas
Temporada Sede Ouro Resultado Prata Bronze 4º colocado
2007
Detalhes
  Brusque
Arena Multiuso
 
Rio de Janeiro VC
3 – 0  
ADCF Osasco
 
Minas TC
 
AD Brusque
2008
Detalhes
  Curitiba
Círculo Militar
 
ADCF Osasco
3 – 2  
São Caetano
 
Rio de Janeiro VC
 
AD Brusque
2014
Detalhes
  Maringá
Chico Neto
 
Osasco VC
3 – 1  
SESI-SP
 
Campinas VC
 
Rio de Janeiro VC
2015
Detalhes
  Cuiabá
Ginásio São Gonçalo
 
EC Pinheiros
3 – 2  
SESI-SP
 
Rio de Janeiro VC
 
Osasco VC
2016
Detalhes
  Campinas
Taquaral
 
Rio de Janeiro VC
3 – 0  
Praia Clube
 
Osasco VC
 
Minas TC
2017
Detalhes
  Campinas
Taquaral
 
Rio de Janeiro VC
3 – 0  
Minas TC
 
Osasco VC
 
Praia Clube
2018
Detalhes
  Lages
Ginásio Jones Minosso
 
Osasco VC
3 – 0  
Praia Clube
 
Rio de Janeiro VC
 
Minas
2019
Detalhes
  Gramado
Ginásio Perinão
 
Minas TC
3 – 1  
Praia Clube
 
Vôlei Bauru
 
Osasco VC
2020
Detalhes
  Jaraguá do Sul
Arena Jaraguá
0 – 0

Títulos por ClubeEditar

Equipe      
  Osasco 3 1 2
  Rio de Janeiro 3 0 3
  Minas 1 1 1
  Pinheiros 1 0 0
  Praia Clube 0 3 0
  SESI-SP 0 2 0
  Vôlei Bauru 0 0 1

Títulos por EstadoEditar

Equipe      
  São Paulo 4 4 4
  Rio de Janeiro 3 0 3
  Minas Gerais 1 4 1

Referências

Ligações externasEditar