Abrir menu principal

Wikipédia β

Copa Libertadores da América de 1989

A Copa Libertadores da América de 1989 foi a 30ª edição da competição de futebol realizada todos os anos pela Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL). Equipes das dez associações sul-americanas participaram do torneio. A partir desta edição, entrou em vigor um novo sistema de disputa que durou até a 1999: cinco grupos com quatro equipes cada avançando os três primeiros para a próxima fase, sendo que o campeão do ano anterior avança diretamente para as oitavas-de-final.

Taça Libertadores da América de 1989
XXX Copa Libertadores de América
Dados
Participantes 21
Organização CONMEBOL
Local de disputa Flags of the Union of South American Nations.gif América do Sul
Período 12 de fevereiro31 de maio
Gol(o)s 227
Partidas 90
Média 2,52 gol(o)s por partida
Campeão Colômbia Atlético Nacional (1º título)
Vice-campeão Paraguai Olimpia
Melhor marcador 10 gols:
Melhor ataque (fase inicial) Colômbia Millonarios – 12 gols
Melhor defesa (fase inicial) Colômbia Millonarios – 3 gols
Maior goleada
(diferença)
Atlético Nacional Colômbia 6 – 0 Uruguai Danubio
Estádio Atanasio GirardotMedellín
17 de maio, Semifinais
◄◄ Libertadores 1988 Soccerball.svg Libertadores 1990 ►►

O Atlético Nacional, da Colômbia, conquistou o título, sendo o primeiro clube desse país a conseguir tal feito, ao superar o Olimpia, do Paraguai, após derrota em Assunção por 2 a 0, vitória em Bogotá por 2 a 0 e nos pênaltis por 5 a 4.[1]

Com o título, o clube pôde disputar a Copa Intercontinental de 1989, contra o Milan, da Itália, campeão da Liga dos Campeões da UEFA de 1988-89.

Existem boatos que Pablo Escobar, importante narcotraficante colombiano, tenha influenciado nos jogos do Atlético Nacional, time em que era torcedor.[2] O filho de Pablo nega tais boatos.[3]

Índice

Equipes classificadasEditar

País Equipe Classificação
  Argentina
(2 vagas)
Racing Campeão do Campeonato Argentino 1988
Boca Juniors Campeão da Pré-Libertadores 1988
  Bolívia
(2 vagas)
Bolívar Campeão do Campeonato Boliviano 1988
The Strongest Vice-campeão do Campeonato Boliviano 1988
  Brasil
(2 vagas)
Bahia Campeão do Campeonato Brasileiro 1988
Internacional Vice-campeão do Campeonato Brasileiro 1988
  Chile
(2 vagas)
Cobreloa Campeão do Campeonato Chileno 1988
Colo-Colo Vice-campeã do Campeonato Chileno 1988
  Colômbia
(2 vagas)
Millonarios Campeão do Campeonato Colombiano 1988
Atlético Nacional Vice-campeão do Campeonato Colombiano 1988
  Equador
(2 vagas)
Emelec Campeão do Campeonato Equatoriano 1988
Deportivo Quito Vice-campeão do Campeonato Equatoriano 1988
  Paraguai
(2 vagas)
Olimpia Campeão do Campeonato Paraguaio 1988
Sol de América Vice-campeão do Campeonato Paraguaio 1988
  Peru
(2 vagas)
Sporting Cristal Campeão do Campeonato Descentralizado 1988
Universitario Vice-campeão da Pré-Libertadores 1988
  Uruguai
(2 vagas + atual campeão)
Nacional Campeão da Libertadores 1988
Peñarol Campeão da Mini-Liga Pré-Libertadores de 1988
Danubio Vice-campeão da Mini-Liga Pré-Libertadores de 1988
  Venezuela
(2 vagas)
Marítimo Campeão do Campeonato Venezuelano 1988
Deportivo Táchira Vice-campeão do Campeonato Venezuelano 1988

Primeira faseEditar

A primeira fase foi disputada entre 12 de fevereiro e 31 de março. As três melhores equipes de cada grupo se classificaram para a fase final. O Nacional, do Uruguai, classsificou-se diretamente às oitavas-de-final, por ter sido o campeão de 1988. Em caso de empate, uma partida de desempate seria realizada para determinar a classificação.

Classificados para a fase final
Eliminados da competição

Grupo 1Editar

Equipe Pts J V E D GP GC SG
  Cobreloa 8 6 3 2 1 7 4 +3
  Sol de América 6 6 2 2 2 7 8 -1
  Olimpia 5 6 2 1 3 8 9 -1
  Colo-Colo 5 6 2 1 3 7 8 -1
  COB SOL OLI COL
Cobreloa 1–0 2–0 2–2
Sol de América 0–0 5–4 1–0
Olimpia 2–0 0–0 2–0
Colo-Colo 0–2 3–1 2–0

Grupo 2Editar

Equipe Pts J V E D GP GC SG
  Bahia 10 6 4 2 0 11 5 +6
  Deportivo Táchira 7 6 3 1 2 7 8 -1
  Internacional 5 6 2 1 3 8 6 +2
  Marítimo 2 6 0 2 4 3 10 -7
  BAH TAC INT MAR
Bahia 4–1 1–0 3–2
Deportivo Táchira 1–1 1–0 2–0
Internacional 1–2 3–1 3–0
Marítimo 0–0 0–2 1–1

Grupo 3Editar

Equipe Pts J V E D GP GC SG
  Millonarios 10 6 4 2 0 12 3 +9
  Atlético Nacional 7 6 2 3 1 8 7 +1
  Deportivo Quito 4 6 1 2 3 4 7 -3
  Emelec 3 6 1 1 4 4 11 -7
  MIL ATN DQU EME
Millonarios 1–1 3–1 4–1
Atlético Nacional 0–2 2–1 3–1
Deportivo Quito 0–0 1–1 1–0
Emelec 0–2 1–1 1–0

Grupo 4Editar

Equipe Pts J V E D GP GC SG
  Boca Juniors 7 6 3 1 2 9 7 +2
  Racing 7 6 3 1 2 9 6 +3
  Universitario 5 6 3 0 3 7 6 +1
  Sporting Cristal 4 6 2 0 4 6 12 -6
  BOC RAC UNI SCR
Boca Juniors 3–2 2–0 4–3
Racing 0–0 2–0 2–0
Universitario 1–0 2–1 4–0
Sporting Cristal 1–0 1–2 1–0

Grupo 5Editar

Equipe Pts J V E D GP GC SG
  Peñarol 7 6 3 1 2 11 9 +2
  Danubio 6 6 3 0 3 7 7 0
  Bolívar 6 6 2 2 2 6 7 -1
  The Strongest 5 6 1 3 2 3 4 -1
  PEN DAN BOL STR
Peñarol 2–0 5–0 1–1
Danubio 4–1 1–0 1–0
Bolívar 3–0 3–1 0–0
The Strongest 1–2 1–0 0–0

Fase finalEditar

Oitavas de final Quartas de final Semifinais Final
 5 e 12 de abril  19 e 26 de abril  10 e 17 de maio  24 e 31 de maio
                                                 
   Olimpia (pen) 2 3 5 (7)  
   Boca Juniors 0 5 5 (6)  
     Olimpia 2 4 6  
     Sol de América 0 4 4  
   Sol de América (pen) 3 0 3 (3)
   Deportivo Táchira 0 3 3 (2)  
     Olimpia (pen) 0 3 3 (5)  
     Internacional 1 2 3 (3)  
   Internacional 6 2 8  
   Peñarol 2 1 3  
     Internacional 1 0 1
     Bahia 0 0 0  
   Universitario 1 1 2
   Bahia 1 2 3  
     Olimpia 2 0 2 (4)
     Atlético Nacional (pen) 0 2 2 (5)
   Deportivo Quito 0 0 0  
   Cobreloa 0 1 1  
     Cobreloa 0 1 1
     Danubio 2 2 4  
   Danubio 0 3 3
   Nacional 0 1 1  
     Danubio 0 0 0
     Atlético Nacional 0 6 6  
   Atlético Nacional 2 1 3  
   Racing 0 2 2  
     Atlético Nacional 1 1 2
     Millonarios 0 1 1  
   Bolívar 1 2 3 (3)
   Millonarios (pen) 0 3 3 (4)  

FinalEditar

Jogo de ida
24 de maio Olimpia   2 – 0   Atlético Nacional Estádio Defensores del Chaco, Assunção

Bobadilla   36'
Sanabria   60'
Relatório Público: 45 000
Árbitro:   José Roberto Wright

Olimpia: Almeida, Miño, Benítez, Chamas e Krausemann; Sanabria (Balbuena), Guasch, Neffa e Bobadilla; Amarilla e Mendoza (González). Técnico: Luis Cubilla.

Atlético Nacional: Higuita, Gómez, Perea, Escobar e Villa (Carmona); Pérez, Alvarez, Fajardo e Alexis García; Usuriaga e Arango (Arboleda). Técnico: Francisco Maturana.



Jogo de volta
31 de maio Atlético Nacional   2 – 0   Olimpia Estádio El Campín, Bogotá

Miño   46' (g.c.)
Usuriaga   65'
Relatório Público: 50 000
Árbitro:   Juan Carlos Loustau
    Penalidades  
Escobar  
Usuriaga  
Tréllez  
Alexis García  
Higuita  
Pérez  
Gómez  
Perea  
Álvarez  
5–4   Almeida
  Benítez
  Chamas
  Mendoza
  Amarilla
  González
  Guash
  Balbuena
  Sanabria
 

Atlético Nacional: Higuita, Carmona, Perea, Escobar e Gómez; Alvarez, Fajardo (Arboleda), Alexis García e Arango (Pérez); Usuriaga e Tréllez. Técnico: Francisco Maturana.

Olimpia: Almeida, Miño, Benítez, Chamas e Krausemann; Sanabria, Guasch, Neffa (González) e Bobadilla (Balbuena); Amarilla e Mendoza. Técnico: Luís Cubilla.


Copa Libertadores da América de 1989
 
ATLÉTICO NACIONAL
Campeão
(1º título)

Referências

  1. Libertadores 1989 em RSSSF.com
  2. Fábio Lima (10/12/2014 ). «Nacional busca "conquista limpa" após Libertadores com mancha de Escobar». globoesporte.globo.com. Consultado em 11/01/2017.
  3. Janir Junior e Raphael Zarko (17/06/2015).«Filho de Pablo Escobar nega "mão" do pai no futebol e lembra adeus cafetero». globoesporte.globo.com. Consultado em 11/01/2017.

Ligações ExternasEditar