Cordeirópolis

município brasileiro do estado de São Paulo

Cordeirópolis é um município brasileiro do estado de São Paulo que compõe a região metropolitana de Piracicaba. Sua população, conforme estimativas do IBGE de 2022, era de 24.514 habitantes. Possui uma área de 137,579 km² e está a 668 metros de altitude.

Cordeirópolis
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Cordeirópolis
Bandeira
Brasão de armas de Cordeirópolis
Brasão de armas
Hino
Gentílico cordeiropolense
Localização
Localização de Cordeirópolis em São Paulo
Localização de Cordeirópolis em São Paulo
Localização de Cordeirópolis em São Paulo
Cordeirópolis está localizado em: Brasil
Cordeirópolis
Localização de Cordeirópolis no Brasil
Mapa
Mapa de Cordeirópolis
Coordenadas 22° 28' 55" S 47° 27' 25" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Região metropolitana Piracicaba
Municípios limítrofes Norte: Araras;
Leste: Limeira;
Sul: Iracemápolis;
Oeste: Santa Gertrudes
Distância até a capital 160 km
História
Fundação 30 de março de 1886 (138 anos)
Administração
Prefeito(a) José Adinan Ortolan[1] (MDB, 2021 – 2024)
Vereadores 9
Características geográficas
Área total IBGE/2019[2] 137,579 km²
População total (estimativa IBGE/2021[3]) 25 116 hab.
Densidade 182,6 hab./km²
Clima tropical (Cwa)
Altitude 668 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[4]) 0,758 alto
PIB (IBGE/2018[5]) R$ 2 822 221,98 mil
PIB per capita (IBGE/2018[5]) R$ 116 519,63
Sítio
www.camaracordeiropolis.sp.gov.br (Câmara)

A cidade é um dos principais entroncamentos rodoviários do Brasil, sendo o ponto de encontro entre a Rodovia Anhanguera (SP-330), a Rodovia Washington Luís (SP-310) e a Rodovia dos Bandeirantes (SP-348). É também cortada por uma importante ferrovia, a Linha Tronco da antiga Companhia Paulista de Estradas de Ferro. O município é formado somente pelo distrito sede, que inclui o bairro rural histórico de Cascalho.[6][7]

História editar

Antes da fundação da cidade, o território do Município de Cordeirópolis era dividido em grandes propriedades rurais, que tinham ocupado o solo desde o início do século XIX. A partir de 1817, o Governo de São Paulo começa a oficializar as posses, surgindo, então, a Fazenda Ibicaba, a Sesmaria do Cascalho e outras. Tempos depois, a cultura de cana-de-açúcar dá lugar à do café, que passou a ser, mais tarde, o principal produto de exportação do Brasil. Devido ao alto custo de transporte até o porto, feito geralmente em tropas de burros, os fazendeiros da região se uniram e viabilizaram a construção da Companhia Paulista de Estradas de Ferro que, em 1876, inaugurou o trecho Campinas-Rio Claro, e, ao mesmo tempo, liberou ao tráfego a estação de Cordeiro. Esta parada tem esse nome pela presença, em período anterior ao terceiro quartel do século XIX, de propriedade designada como sesmaria do Cordeiro.

Em 1884, o governo provincial cria, através de lei, o Núcleo Colonial de Cascalho, em terras adquiridas do fazendeiro Domingos José Nogueira Jaguaribe, para parcelamento e distribuição a imigrantes, como parte de uma iniciativa para amenizar os problemas decorrentes da falta de mão-de-obra para o café, com o fim da escravidão. A criação deste núcleo, primeiro a ser implantado pelo Governo Provincial, fez aumentar a circulação de mercadorias e o trânsito de passageiros na estação de Cordeiro, que ficava próximo.

Além da chegada de agricultores em bloco, para o Núcleo, muitos trabalhadores avulsos e comerciantes acorreram ao lugar, formando um ajuntamento de habitações. Aproveitando-se desta oportunidade, um fazendeiro local, Manoel Barbosa Guimarães, loteou uma área de terra que deu início, provavelmente em 1885, à povoação, chamada oficialmente de Capela de Santo Antônio do Cordeiro.

O pequeno comércio existente, aliado ao cultivo de produtos agrícolas para exportação e gêneros alimentícios, contribuiu para a transformação da povoação em distrito de paz, autorizada pela Lei Estadual nº. 645, de 7 de agosto de 1899.

Um plebiscito realizado em 1943 modificou o nome do distrito - Cordeiro -, substituindo-o por Cordeirópolis, seu nome atual, oficializado pelo Decreto-Lei Estadual nº. 14.334, de 30 de novembro de 1944.

A criação de um pequeno parque industrial vinculado ao aproveitamento da seda originou um novo ciclo de desenvolvimento, que culminou com a emancipação da cidade, concedida pela Lei Estadual nº. 233, de 24 de dezembro de 1948. Posteriormente, as indústrias de seda deram lugar à cerâmica como atividades econômicas predominantes no Município.

Bairro do Cascalho editar

 Ver artigo principal: Cascalho (Cordeirópolis)

Geografia editar

Demografia editar

Dados do Censo - 2022

População total: 24.514

Densidade demográfica (hab./km²): 178,18

(Fonte: IPEADATA)

Comunicações editar

A cidade recebe o sinal das principais emissoras de transmissão aberta da região de Campinas, a TV Thathi Campinas (RecordTV), Band Mais (Bandeirantes), EPTV Campinas (TV Globo) e da VTV (SBT), além da TV Jornal de Limeira. Cordeirópolis possui uma rádio, a Ind FM e uma rádio comunitária, a Vera Cruz FM.

Na telefonia fixa a cidade era atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[8], que inaugurou a central telefônica utilizada até os dias atuais[9]. Em 1998 esta empresa foi vendida para a Telefônica[10], que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[11] para suas operações. O Código DDD é 019 sendo os prefixos dos telefones 3546 (residenciais/comerciais) e 3556 (Indústrias e poder público).

Transportes editar

O município de Cordeirópolis é um dos principais entroncamentos rodoviários do Brasil, sendo o ponto de encontro entre a Rodovia Anhanguera (SP-330), a Rodovia Washington Luís (SP-310) e a Rodovia dos Bandeirantes (SP-348). É também cortado por uma importante e histórica ferrovia local, a Linha Tronco da antiga Companhia Paulista de Estradas de Ferro, atualmente concedida ao transporte de cargas. O transporte ferroviário de passageiros no município foi desativado no ano de 2001.

Cordeirópólis também possuía um dos mais importantes entroncamentos e pátios ferroviários do Brasil entre duas linhas da Companhia Paulista de Estradas de Ferro: a Linha Tronco (que segue para Colômbia, Campinas e Jundiaí) e o antigo Ramal do Descalvado (que seguia para as cidades de Araras e Descalvado), extinto entre os anos de 1997 e 2003.

Rodovias

O município possui um terminal rodoviário de ônibus.

Ferrovias
  • Linha Tronco da antiga Companhia Paulista de Estradas de Ferro

O município possui uma grande estação ferroviária, inaugurada em 1876 e desativada desde 2001 para embarque de passageiros. Atualmente, se encontra em estado de abandono.[12]

Administração editar

Lista de ex-prefeitos editar

Nome Mandato
Aristeu Marcicano 1949 a 1952
Cássio De Freitas Levy 1953 a 1956
Jamil Abranhão Saad 1957 a 1960
Cássio De Freitas Levy 1961 a 1964
Luiz Beraldo 1965 a 1968
Teleforo Sanchez Felix 1969 a 1972
José Alexandre Celotti 1973 a 1976
Elias Abranhão Saad 1977 a 1982
José Geraldo Botion 1983 a 1988
Odair Peruchi 1989 a 1992
José Geraldo Botion 1993 a 1996
Elias Abranhão Saad 1997 a 2004
Carlos Cezar Tamiazo 2005 a 2012
Amarildo Antonio Zorzo 2013 a 2016

Personalidades ilustres editar

Referências

  1. Prefeito e vereadores de Cordeirópolis tomam posse Portal G1 - acessado em 12 de fevereiro de 2021
  2. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2019). «Área da unidade territorial - 2019». Consultado em 12 de fevereiro de 2021 
  3. IBGE (28 de agosto de 2021). «Estimativa populacional 2021 IBGE». Consultado em 12 de setembro de 2021 
  4. «Ranking do IDH-M dos municípios do Brasil». Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 17 de outubro de 2015 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2018». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 12 de fevereiro de 2021 
  6. «Municípios e Distritos do Estado de São Paulo» (PDF). IGC - Instituto Geográfico e Cartográfico 
  7. «Divisão Territorial do Brasil». IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 
  8. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  9. «A telefonia em Cordeirópolis até a implantação do sistema automático (1980) - Portal Cordero Virtual». cordeiropolis.corderovirtual.com.br. Consultado em 18 de outubro de 2022 
  10. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  11. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 
  12. «Cordeirópolis -- Estações Ferroviárias do Estado de São Paulo». www.estacoesferroviarias.com.br. Consultado em 23 de setembro de 2020 

Ligações externas editar

  Este artigo sobre um município do estado de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.