Cordell Hull (Olympus, 2 de outubro de 1871Washington, D.C., 23 de julho de 1955) foi um político e diplomata dos Estados Unidos.[1]

Cordell Hull
Cordell Hull
47º Secretário de Estado dos Estados Unidos
Período 4 de março de 1933
a 30 de novembro de 1944
Presidente Franklin D. Roosevelt
Antecessor(a) Henry L. Stimson
Sucessor(a) Edward Stettinius, Jr.
Senador por Tennessee
Período 4 de março de 1931
a 4 de março de 1933
Antecessor(a) William Emerson Brock
Sucessor(a) Nathan L. Bachman
Membro da Câmara dos Representantes pelo 4º distrito de Tennessee
Período 4 de março de 1923
a 4 de março de 1931
Antecessor(a) Wynne F. Clouse
Sucessor(a) John Ridley Mitchell
Período 4 de março de 1907
a 4 de março de 1921
Antecessor(a) Mounce Gore Butler
Sucessor(a) Wynne F. Clouse
Dados pessoais
Nascimento 2 de outubro de 1871
Olympus, Tennessee,
 Estados Unidos
Morte 23 de julho de 1955 (83 anos)
Washington, D.C.,
 Estados Unidos
Progenitores Mãe: Elizabeth Riley
Pai: William Paschal Hull
Alma mater Universidade Samford
Prêmio(s) Nobel da Paz (1945)
Esposa Rose Frances Witz (1917–1954)
Partido Democrata
Religião Episcopalismo
Profissão Advogado
Assinatura Assinatura de Cordell Hull
Serviço militar
Serviço/ramo Infantaria de Voluntários do Tennessee
Graduação Capitão
Conflitos Guerra Hispano-Americana

Carreira

editar

Entre 1903 e 1907 Hull serviu como juiz local, para ser escolhido nesse mesmo ano representante do Tennessee na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, trabalhando durante 11 legislaturas entre 1907-1921 e 1923-1931.[1]

Em 1920, Hull fora nomeado Presidente do Comité Democrático Nacional, lutando para conseguir impostos mais baixos e denunciando as leis de imposto sobre os rendimentos de 1913 e 1916 bem como a do direito de herança de 1916. Foi eleito senador pelo Tennessee em 1930 e em 1933 o presidente Roosevelt escolhe-o para Secretário de Estado.[1]

Hull era responsável pelas relações exteriores antes do ataque a Pearl Harbor. Ele enviou a nota de Hull ao Japão antes do ataque, que fazia parte da tentativa dos Estados Unidos de abrir os mercados chineses aos produtos norte-americanos contra os interesses japoneses naquele país.[2]

Durante o seu mandato, Roosevelt não costumava fazer caso das decisões de Hull, deixando-o como mediador, e segundo muitos historiadores, deixando Hull desenvolver um papel altamente popular.

Atribui-se a Hull influência tanto sobre o presidente de Cuba Federico Laredo Brú como sobre Roosevelt na negação de ambos os governos para dar refúgio ao navio San Luis que em 1939 tentou chegar à América e Caribe carregado com mais de 900 judeus que procuravam escapar da Alemanha Nazi e tiveram que regressar, tendo a maioria perecido depois nos campos de concentração de Europa central.

Após a guerra, ele foi o principal arquiteto do estabelecimento das Nações Unidas.

Foi agraciado com o Nobel da Paz em 1945, por ser um dos fundadores das Nações Unidas.[1] O presidente Franklin D. Roosevelt chamou-o mesmo de "Pai das Nações Unidas".

Referências

  1. a b c d Patterson, Richard Sharpe (1956). The Secretaries of State: Portraits and Biographical Sketches (em inglês). Washington D. C: U.S. Government Printing Office. p. 100 
  2. Morgenstern, George Edward. Pearl Harbor: The Story of the Secret War (The Devin-Adair Company, 1947) ISBN 978-1-299-05736-4

Ligações externas

editar
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.