Coronéis de Piłsudski

Coronéis de Pilsudski [1][2] ou regime dos coronéis [3][4] (em polonês chamado simplesmente de "os coronéis" [5]), dominaram o governo da Segunda República Polaca de 1926 a 1939. [4] Em alguns contextos, o termo refere-se principalmente ao período final, 1935-1939, após a morte de seu mentor e patrono, Józef Piłsudski. [3]

HistóriaEditar

Aliados próximos de Józef Piłsudski, [4] a maior parte dos "coronéis" foram oficiais nas Legiões Polacas e na Organização Militar Polonesa (POW), [6] e do exército polonês (particularmente entre 1919-1920, durante a Guerra Polaco-Soviética, antes da renúncia de Piłsudski em 1923 como Chefe Geral do Estado-Maior). Eles haviam mantido importantes, embora não necessariamente os mais altos, postos militares durante o Golpe de Estado de Piłsudski em maio de 1926. [7]

Mais tarde, eles se tornaram figuras importantes no movimento Sanacja e ministros de vários governos de Piłsudski. [4] A partir da vitória eleitoral do BBWR em 1930, Piłsudski deixou os assuntos mais internos nas mãos de seus "coronéis", enquanto o próprio concentrou-se nos assuntos militares e estrangeiros. [8]

Os "coronéis" incluíram Józef Beck,[4] Janusz Jędrzejewicz,[4] Wacław Jędrzejewicz,[4] Adam Koc, Leon Kozłowski, Ignacy Matuszewski, Bogusław Miedziński, Bronisław Pieracki, Aleksander Prystor,[4] Adam Skwarczyński, Walery Sławek,[4] e Kazimierz Świtalski.[carece de fontes?]

O regime dos coronéis pode ser dividido em três períodos: 1926-1929; 1930-1935; e 1935-1939. [9]

Durante o primeiro período, após o golpe de Estado de maio de 1926, os coronéis (e os Sanacja, geralmente) consolidaram seu controle sobre o governo.[9]

O segundo período, na sequência das eleições de 1930, viu regime dos coronéis sob a orientação de Piłsudski, com o poder exercido por seus aliados e amigos, como Walery Slawek e Aleksander Prystor (ambos os quais conheciam Piłsudski desde 1905 e serviram em suas unidades paramilitares antes da Primeira Guerra Mundial). [9]

Após a morte de Piłsudski (1935), os "coronéis" linha dura, liderados por Walery Sławek, perderam influência à facção Castelo de Ignacy Mościcki e Edward Rydz-Śmigły.[5] Não obstante, o "regime dos coronéis" e os Sanacja ainda dominariam o governo polonês entre 1935 e 1939 até a invasão alemã da Polônia. [10] Alguns acadêmicos traçam uma distinção entre o "período de Piłsudski" (1926-1935) e do "próprio período de coronéis" (1935-1939). [3]

A partir de 1937 a nova frente política dos coronéis seria o Campo de Unidade Nacional (OZON).[11] Nesse último período, o governo polonês — uma "ditadura sem um ditador" — a fim de reforçar o seu apoio popular, paradoxalmente adotou algumas das políticas nacionalistas e anti-minoritárias que haviam sido rejeitadas por Piłsudski e defendidas por seus adversários mais ativos, os Democratas Nacionais.[3][12]

Ver tambémEditar


Referências

  1. Pilsudski Bros., TIME, Monday, April 07, 1930
  2. Colonels' Constitution, TIME, Monday, December 25, 1933
  3. a b c d Peter D. Stachura, Poland, 1918-1945: An Interpretive and Documentary History of the Second Republic, Routledge, 2004, ISBN 0-415-34357-7, Google Print, p.68
  4. a b c d e f g h i Jerzy Jan Lerski, Piotr Wróbel, Richard J. Kozicki, Historical Dictionary of Poland, 966-1945, Greenwood Publishing Group, 1996, ISBN 0-313-26007-9, Google Print, p. 368
  5. a b Jerzy Jan Lerski, Piotr Wróbel, Richard J. Kozicki, Historical Dictionary of Poland, 966-1945, Greenwood Publishing Group, 1996, ISBN 0-313-26007-9, Google Print, 368
  6. Leslie, R. F. (1983). The History of Poland Since 1863. Cambridge: Cambridge University Press. ISBN 0-521-27501-6 , Google Print, p.170
  7. (Polonês) SANACJA, Encyklopedia Interia
  8. Chojnowski, Andrzej. «Piłsudski Józef Klemens». Internetowa encyklopedia PWN (em polonês). PWN. Arquivado do original em 3 de maio de 2008 
  9. a b c (Polonês) Jacek Piotrowski, Piłsudczycy u władzy Arquivado em 9 de novembro de 2007, no Wayback Machine., "Mówią wieki" (05/2006)
  10. Raymond Leslie Buell, Poland - Key to Europe, READ BOOKS, 2007, ISBN 1-4067-4564-2, Google Print, p.118
  11. Abraham J. Edelheit, Hershel Edelheit, History of the Holocaust: A Handbook and Dictionary, Westview Press, 1994, ISBN 0-8133-2240-5, Google Print, p.187
  12. Paul N. Hehn, A Low Dishonest Decade: The Great Powers, Eastern Europe, and the Economic Origins of World War II, 1930-1941, Continuum International Publishing Group, 2002, ISBN 0-8264-1761-2, Google Print, p.66


  • Este artigo foi inicialmente traduzido, total ou parcialmente, do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Piłsudski's colonels».