Abrir menu principal
Emblem-scales.svg
A neutralidade deste artigo ou se(c)ção foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde Maio de 2014). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Candomblé

Religiões afro-brasileiras


Princípios básicos

Deus
Ketu | Olorum | Orixás
Jeje | Mawu | Vodun
Bantu | Nzambi | Nkisi


Religiões
Babaçuê | Batuque | Cabula
Candomblé | Culto de Ifá
Culto aos Egungun | Quimbanda
Macumba | Omoloko
Tambor-de-Mina | Terecô
Xambá | Xangô de Pernambuco


Temáticas
Confraria | Hierarquia
Sacerdotes | Sincretismo
Templos afro-brasileiros


Religiões semelhantes
Religiões Africanas | Abakuá
Arará | Lukumí | Obeah
Palo | Regla de Ocha | Santeria



As críticas ao candomblé são feitas quanto aos sacríficios de animais.

Sendo uma religião que cultua os "orixás", que são forças da Natureza, os seus críticos alegam que não poderia realizar sacrifícios de animais em seus cultos.

Questiona-se a crueldade com que tais animais são mortos, agonizando sob o fio da navalha ou faca enquanto se debatem. De um lado, coloca-se o direito dos animais, do outro o direito de culto.

Enquanto alguns alegam que sob a tese de direito de culto poderia-se então criar religiões com práticas quaisquer, ainda que ilícitas: consumo de drogas, homicídios, sacrifícios humanos, etc., os praticantes alegam, do outro lado, que tantos outros sacrifícios se realizam, para o consumo humano, com crueldade, sem o devido ataque social. Alegam, ainda, que em inúmeros cultos antigos tais práticas se revelam, inclusive dentro da própria Bíblia.

Referências

Ver tambémEditar