Abrir menu principal

Crioulo Doido

filme de 1970 dirigido por Carlos Alberto Prates Correia
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2013). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Crioulo Doido
 Brasil
1973 •  pb •  63 min 
Direção Carlos Alberto Prates Correia
Elenco Jorge Coutinho
Selma Caronezzi
Gênero drama
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

Crioulo Doido é um filme brasileiro de 1973,[1] do gênero drama, dirigido e roteirizado por Carlos Alberto Prates Correia. Filmado em Sabará (Minas Gerais), o título do filme faz referência a canção "Samba do Crioulo Doido", ouvida em uma das cenas finais, mas deixa de lado o cunho humorístico da letra da composição e se concentra em aspectos sociais e culturais.[2]

SinopseEditar

Em abril de 1964, no interior de Minas Gerais, o negro de origem humilde Felisberto é um renomado alfaiate que sonha em ganhar muito dinheiro para ascender socialmente. Numa festa ele conhece e quer namorar com a interesseira Sebastiana, que a princípio o rejeita mas depois acaba casando com ele ao saber de sua boa situação financeira. Felisberto passa a se envolver em vários negócios, se torna fazendeiro, agiota e banqueiro do jogo do bicho e busca ser industrial, tentando ficar rico logo. Mas as notícias sobre a "revolução" e os anúncios do Fim do Mundo próximo, acabam deixando-o transtornado e devido a isso muda seus planos de riqueza.

ElencoEditar

  • Jorge Coutinho (Felisberto)
  • Selma Caronezzi (Sebastiana)
  • B. de Paiva (Amigo da família)
  • Jorge Botelho (Arauto do fim do mundo)
  • Rodolfo Arena (Ruralista)
  • José Aurélio Vieira (Forasteiro)
  • Ezequias Marques (Apontador de jogo do bicho)
  • Ronaldo Medeiros (Sibarita)
  • Luís Otávio Horta (Arreliento)
  • Antônio Rodrigues (Fazendeiro).

Referências