Cronologia da pré-história humana

Essa cronologia da pré-história humana compreende o tempo desde a primeira aparição do Homo sapiens na África, 300.000 anos atrás, até a invenção da escrita e o início da história, 5.000 anos atrás. Assim, abrange o tempo desde o Paleolítico Médio (Idade da Pedra Antiga) até o início da história mundial.

Todas as datas são aproximadas, sujeitas a revisão com base em novas descobertas ou análises.

PleistocenoEditar

Paleolítico MédioEditar

 Ver artigo principal: Paleolítico Médio
Ver Cronologia da evolução humana, Cronologia da história da Terra para a história evolutiva anterior.
  • 315.000 anos atrás: data aproximada de aparecimento do Homo sapiens (Jebel Irhoud, Marrocos).
  • 270.000 anos atrás: idade do haplogrupo A-Y-DNA A00 ("Adão cromossomial-Y").
  • 250.000 anos atrás: primeira aparição do Homo neanderthalensis (caveiras de Saccopastore).
  • 250.000 a 200.000 anos atrás: presença humana moderna na Ásia Ocidental (caverna Misliya).
  • Há 230.000 a 150.000 anos: idade do haplogrupo mt-DNA L ("Eva mitocondrial").
  • 210.000 anos atrás: presença humana moderna no sudeste da Europa (Apidima, Grécia).[1]
  • 195.000 anos atrás: omo permanece (Etiópia).[2]
  • 170.000 anos atrás: os humanos estão vestindo roupas até essa data.[3]
  • Há 160.000 anos: Homo sapiens idaltu.
  • 150.000 anos atrás: população da África: separação Khoisanid, idade do haplogrupo mt-DNA L0.
  • 125.000 anos atrás: pico do período interglacial eemiano.
  • 120.000 anos atrás: os aborígines australianos do SE estavam cozinhando em fornos. Característica do carvão e pedra queimada #1 (CBS1) localizada dentro de sedimentos costeiros de dunas em Moyjil (Point Ritchie), Warrnambool, que datação geomórfica e OSL independente indica que é da última idade interglacial (há aproximadamente 120.000 anos).
  • 120.000 a 90.000 anos atrás: Pluvial Abbassia no norte da África - a região do deserto do Saara é úmida e fértil.
  • 120.000 a 75.000 anos atrás: a migração migratória de Khoisanid da África Austral para a África Oriental.[4]
  • 100.000 anos atrás: estruturas mais antigas do mundo (blocos de arenito inseridos em um semicírculo com uma base oval) construídas no Egito perto de Uádi Halfa, perto da fronteira moderna com o Sudão.[5]
  • Há 82.000 anos: pequenas contas perfuradas de conchas do Taforalt, no Marrocos, são a evidência mais antiga de adorno pessoal encontrado em qualquer lugar do mundo.[6]
  • Há 80.000 a 70.000 anos: origem africana recente: separação de africanos subsaarianos e não africanos.
  • 75.000 anos atrás: Supererupção do vulcão Toba que pode ter contribuído para que as populações humanas fossem reduzidas para cerca de 15.000 pessoas.[7]
  • 70.000 anos atrás: o primeiro exemplo de arte abstrata ou arte simbólica da Caverna Blombos, África do Sul - pedras gravadas com padrões de grade ou hachura.[8]
  • 67.000 a 40.000 anos atrás: mistura de neandertais aos eurasianos.
  • 50.000 anos atrás: a primeira agulha de costura encontrada. Feito e usado por denisovanos.[9]
  • 50.000 a 30.000 anos atrás: Pluvial Musteriense no norte da África. A região desértica do Saara é úmida e fértil. Última Idade da Pedra começa na África.
  • 45.000 a 43.000 anos atrás: os primeiros seres humanos modernos da Europa.[10]

Ver tambémEditar

Pré-história pelas regiões do mundoEditar

Referências

  1. Harvati, K., Röding, C., Bosman, A. M., Karakostis, F. A., Grün, R., Stringer, C.,... & Gorgoulis, V. G. (2019). Apidima Cave fossils provide earliest evidence of Homo sapiens in Eurasia. Nature, 571(7766), 500-504.
  2. Erin Wayman (11 de janeiro de 2012). «Meet the Contenders for Earliest Modern Human». smithsonian.com 
  3. «Lice DNA study shows humans first wore clothes 170,000 years ago». ScienceDaily. 7 de janeiro de 2011 
  4. Rito T, Richards MB, Fernandes V, Alshamali F, Cerny V, Pereira L, Soares P., "The first modern human dispersals across Africa", PLoS One 2013 Nov 13; 8(11):e80031. doi:10.1371/journal.pone.0080031. "By ~130 ka two distinct groups of anatomically modern humans co-existed in Africa: broadly, the ancestors of many modern-day Khoe and San populations in the south and a second central/eastern African group that includes the ancestors of most extant worldwide populations. Early modern human dispersals correlate with climate changes, particularly the tropical African “megadroughts” of MIS 5 (marine isotope stage 5, 135–75 ka) which paradoxically may have facilitated expansions in central and eastern Africa, ultimately triggering the dispersal out of Africa of people carrying haplogroup L3 – 60 ka. Two south to east migrations are discernible within haplogroup L0. One, between 120 and 75 ka, represents the first unambiguous long-range modern human dispersal detected by mtDNA and might have allowed the dispersal of several markers of modernity. A second one, within the last 20 ka signalled by L0d, may have been responsible for the spread of southern click-consonant languages to eastern Africa, contrary to the view that these eastern examples constitute relics of an ancient, much wider distribution."
  5. «Ancient Egypt Online – Lower Paleolithic». Consultado em 20 de janeiro de 2019 
  6. «World's Oldest Manufactured Beads Are Older Than Previously Thought». Science Daily. 7 de maio de 2009. Consultado em 22 de novembro de 2013 
  7. «Mount Toba Eruption – Ancient Humans Unscathed, Study Claims». Consultado em 20 de abril de 2008 
  8. «'Oldest' prehistoric art unearthed». BBC News. 10 de janeiro de 2002 
  9. «World's oldest needle found in Siberian cave that stitches together human history». Siberian Times. 23 de agosto de 2016 
  10. John Noble Wilford (3 de novembro de 2011). «Fossil Teeth Put Humans in Europe Earlier Than Thought». The New York Times. pp. A4 

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar