Abrir menu principal
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2018). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A Cultura da Itália é famosa pela sua arte e pelos seus monumentos, entre os quais se encontram a Torre de Pisa, o Coliseu de Roma, bem como pela sua comida (pizza, pasta, etc.), vinho, estilo de vida, elegância, design, cinema, teatro, literatura, poesia, artes plásticas, música (especialmente a Ópera), e, de uma forma geral, por aquilo que é considerado por muita gente "bom gosto".

Itália é considerada o berço da civilização ocidental e uma superpotência cultural. A Itália tem sido o ponto de partida de fenómenos de impacto internacional como a Magna Graecia, o Império Romano, a Igreja Católica Romana, o Renascimento, o Risorgimento e a integração europeia. Durante sua história, a nação deu à luz um número enorme de pessoas notáveis.

As faces internas e externas da cultura ocidental nasceram na península italiana, quer se trate da história da fé cristã, das instituições civis (como o Senado), da filosofia, do direito, da arte, da ciência ou dos costumes sociais e cultura.

A Itália era o lar de muitas civilizações bem conhecidas e influentes, incluindo os etruscos, samnitas e romanos, ao mesmo tempo hospedando colônias de importantes civilizações estrangeiras como os fenícios e gregos, cuja influência e cultura tiveram um grande impacto através da península. As culturas etrusca e samnita floresceram na Itália antes do surgimento da República Romana, que os conquistou e incorporou. Fenícios e gregos estabeleceram assentamentos na Itália começando vários séculos antes do nascimento de Cristo, e os assentamentos gregos, em particular, desenvolveram-se em florescente civilizações clássicas. As ruínas gregas no sul da Itália são talvez o mais espetacular e melhor preservado em qualquer lugar.

O país possui várias cidades mundialmente famosas. Roma era a antiga capital do Império Romano e sede do Papa da Igreja Católica. Florença foi o coração do Renascimento, um período de grandes realizações nas artes no final da Idade Média. Outras cidades importantes incluem Turim, que costumava ser a capital da Itália, e é agora um dos grandes centros do mundo de engenharia automobilística. Milão é a capital industrial, financeira e de moda da Itália. Veneza, com seu intrincado sistema de canais, atrai turistas de todo o mundo, especialmente durante o Carnaval de Veneza e a Bienal.

A Itália é o lar do maior número de Patrimônios da Humanidade da UNESCO (51), e de acordo com uma estimativa o país é o lar de metade dos grandes tesouros de arte do mundo. A nação tem, em geral, cerca de 100.000 monumentos de qualquer espécie (igrejas, catedrais, sítios arqueológicos, casas e estátuas).

Índice

ArteEditar

 Ver artigo principal: Arte da Itália

O período do Renascimento iniciou-se na Itália no século XIV e perdurou até ao século XVI.

Feitos literários, tais como a poesia de Petrarca, Tasso e Ariosto; assim como a prosa de Boccaccio, Maquiavel e Castiglione exerceram uma enorme e duradoura influência no desenvolvimento subsequente da cultura Ocidental; iguais repercussões tiveram a pintura, escultura e a arquitectura produzida por gigantes como Leonardo da Vinci, Raffaello, Botticelli, Michelangelo, Brunelleschi, Bramante, Masaccio, Giorgio Vasari, Tintoretto, Paolo Veronese e Fra Angelico.

ArquiteturaEditar

 Ver artigo principal: Arquitetura da Itália

Ruínas de grandes construções do passado levaram a Itália a testificar a grandeza de culturas precedentes. A história da arquitetura italiana remonta aos estilos aplicados por gregos e etruscos, progredindo ao romano clássico, e então, desencadeando no Renascimento cultural e ampliando-se na era Barroca. Durante o período da Renascença Italiana, era comum aos estudantes de arquitetura estudar as ruínas antigas de Roma com base essencial de sua formação acadêmica.

A Antiga Basílica de São Pedro (construída a partir de aproximadamente 330), foi provavelmente a mais significante basílica cristã da Primeira Era, um estilo de templo que tornou-se dominante nos primeiros anos da Idade Média. A Antiga São Pedro situava-se no local da atual Basílica de São Pedro, no Vaticano. Os primeiros prédios romanescos significantes eram os templos cristãos construídos na Itália durante o século IX. Inúmeros exemplos de arquitetura bizantina medieval também podem ser encontrados na Itália. A mais conhecida construção bizantina deste período é a Basílica de São Marcos, em Veneza.

O maior florescimento da arquitetura italiana ocorreu durante o Renascimento. Filippo Brunelleschi fez grandes contribuições para o projeto arquitetônico com sua cúpula para a Catedral de Florença. Leon Battista Alberti foi outro dos primeiros arquitetos da Renascença cujas teorias e projetos tiveram uma enorme influência sobre arquitetos posteriores.

Talvez a maior conquista da arquitetura renascentista italiana foi a Basílica de São Pedro, originalmente projetada por Donato Bramante no início do século XVI. Andrea Palladio influenciou arquitetos em toda a Europa ocidental com as vilas e palácios que ele projetou no meio e final do século XVI. É amplamente considerado o indivíduo mais influente na história da arquitetura.

O período barroco produziu vários arquitectos italianos proeminentes no século XVII especialmente conhecido para suas igrejas. Os arquitetos mais importantes incluíam Gian Lorenzo Bernini e Francesco Borromini. Numerosos arquitetos italianos modernos, como Renzo Piano, são famosos em todo o mundo.

MúsicaEditar

 Ver artigo principal: Música italiana

Do folk ao clássico, a música sempre teve um papel importante na cultura italiana. Tendo dado à luz a Ópera, por exemplo, a Itália fornece muitos dos fundamentos da tradição da música clássica. Alguns dos instrumentos que estão frequentemente associados com a música clássica, incluindo o piano eo violino, foram inventados na Itália e muitas das formas de música clássica existentes podem traçar suas raízes de volta às inovações da música italiana dos séculos XVI e XVII (Como a sinfonia, concerto e sonata).

Os compositores italianos têm desempenhado um papel importante na música desde a Idade Média. No século XI, Guido de Arezzo, um monge italiano, desenvolveu um sistema revolucionário de notação e método de visão-cantar. O canto gregoriano, a canção trovadoresca eo madrigal eram formas da música italiana primitiva.

Durante o Renascimento, Giovanni Pierluigi da Palestrina compôs obras-primas de música coral para uso em serviços religiosos. As primeiras óperas foram compostas em Florença na década de 1590. A ópera emergiu como uma forma de arte durante o período barroco. Claudio Monteverdi foi o primeiro grande compositor da ópera barroca no início do século XVII. Importantes compositores do final do século XVII e início do século XVIII incluíam Alessandro Scarlatti, seu filho Domenico e Antonio Vivaldi. Alessandro tornou-se mais conhecido por suas óperas, Domenico por suas composições de teclado, e Vivaldi por suas obras para violino. Durante o século XIX e início do século XX, as óperas populares foram compostas por Gioachino Rossini, Vincenzo Bellini, Gaetano Donizetti, Giuseppe Verdi e Giacomo Puccini.

Os artistas italianos contemporâneos, escritores, cineastas, arquitetos, compositores, e designers continuam a contribuir de forma significativa para a Cultura Ocidental.

LínguaEditar

 Ver artigo principal: Língua italiana

O italiano, língua oficial da Itália, nasceu na Toscana, região cuja capital é Florença, e deriva do latim, língua do Império Romano. Dante Alighieri, que viveu no século XIII, autor da Divina Comédia, é considerado o "pai" da língua italiana.

No entanto, por influência de tantas Cidades-estado até 1861, falando e escrevendo diferentes línguas, há muitas linguas vivas que sobrevivem até hoje: exemplos são o sardo, o napolitano, o veneto, o friulano e o siciliano.

Festividades e feriadosEditar

Festividades e feriados
Data Nome em português Nome em italiano Obs.
1 de Janeiro Ano Novo Capodanno  1236
6 de Janeiro Dia de Reis Epifania  1996
Data variável Domingo de Páscoa Pasqua  1995
Data variável Segunda-feira de Páscoa Lunedì di Pasqua  1995
25 de Abril Aniversário da Libertação Liberazione 1945
2 de Junho República Festa della República Italiana 1860
1 de Novembro Todos os Santos Tutti i Santi  1996
8 de Dezembro Imaculada Conceição Immacolata
25 de Dezembro Natal Natale  
26 de Dezembro Dia de Santo Estêvão Santo Stefano  
31 de Dezembro Noite de São Silvestre San Silvestro  

DesportoEditar

 Ver artigo principal: Futebol na Itália

O futebol é o desporto principal da Itália, e os italianos são conhecidos pela paixão com que o jogam. É um dos mais poderosos e tradicionais do mundo, partindo do ponto que a Squadra Azzurra, como é conhecida a seleção, venceu quatro vezes o Campeonato do Mundo : em 1934, 1938, 1982 e 2006. O campeonato italiano também é um dos poucos campeonatos europeus que possui várias equipas de primeiro escalão. No caso, algumas delas são: Milan, Lazio, Internazionale, Roma, Fiorentina, Juventus, entre outros.

A mídia italiana cobre intensamente o campeonato e a seleção, e o povo é bastante ligado à modalidade, sendo grandes admiradores desta. Lá, como no Brasil, também ocorrem com frequência escândalos envolvendo jogadores e a arbitragem, e como consequência, viradas de mesa, como as ocorridas recentemente envolvendo Milan, Lazio, Fiorentina e Juventus, esta considerada a maior beneficiada no escândalo.

MoedasEditar

As moedas de euro italianas possuem cada uma um desenho único, mas referentes a um tema comum que visa honrar as obras de arte italianas mais conhecidas. Cada moeda foi desenhada por um designer diferente, nomeadamente, da moeda de 1 cêntimo à de 2 euros: Eugenio Driutti, Luciana De Simoni, Ettore Lorenzo Frapiccini, Claudia Momoni, Maria Angela Cassol, Roberto Mauri, Laura Cretara e Maria Carmela Colaneri. Todos os desenhos têm em comum as 12 estrelas da União Européia, o ano de distribuição e as letras sobrepostas "RI", de Repubblica Italiana (República Italiana).

Ver tambémEditar