Décimo Júnio Bruto Esceva

político
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Décimo Júnio Bruto.

Décimo Júnio Bruto Esceva (em latim: Decimus Iunius Brutus Scaeva) foi um político da gente Júnia nos primeiros anos da República Romana eleito cônsul por duas vezes, em 325 e 292 a.C., com Lúcio Fúrio Camilo e Quinto Fábio Máximo Gurges respectivamente. Foi escolhido pelo ditador Quinto Publílio Filão como seu mestre da cavalaria (magister equitum) em 339 a.C., durante a Segunda Guerra Latina[1].

Décimo Júnio Bruto Esceva
Cônsul da República Romana
Consulado 325 a.C.
292 a.C.

Primeiro consulado (325 a.C.)Editar

Foi eleito cônsul em 325 a.C. com Lúcio Fúrio Camilo[2]. No início da Segunda Guerra Samnita, Décimo Júnio ficou responsável pela campanha contra os vestinos, enquanto Lúcio Fúrio foi encarregado de enfrentar diretamente os samnitas, mas não conseguiu fazê-lo por ter ficado muito doente. Por causa disto, o Senado nomeia Lúcio Papírio Cursor como ditador[2].

Décimo Júnio saqueou o território dos vestinos, tentando forçar uma batalha campal na qual os romanos, apesar de pesadas baixas, levaram a melhor. Não satisfeito com a vitória, o cônsul tomou ainda as cidades de Cutina e Cingilia, entregando aos soldados todo o butim saqueado[2].

Segundo consulado (292 a.C.)Editar

Foi eleito novamente em 292 a.C., desta vez com Quinto Fábio Máximo Gurges, um ano no qual Roma foi assolada por uma terrível epidemia[3]. Espúrio Carvílio Máximo, cônsul no ano anterior, foi nomeado legado junto ao cônsul Décimo Júnio. Segundo o relato tardio de Aurélio Vítor, Quinto Ogúlnio Galo liderou uma delegação romana enviada para pedir a ajuda dos deuses no santuário de Esculápio, em Epidauro, no Peloponeso. Segundo o relato, uma serpente teria saído da base da estátua do deus e se abrigado a bordo de um dos navios romanos. Quando a delegação retornou, a serpente abandonou o navio e nadou pelo Tibre até a Ilha Tiberina, onde foi edificado um Templo de Esculápio e a epidemia acabou[4].

Ver tambémEditar

Cônsul da República Romana
 
Precedido por:
'Lúcio Papírio Cursor

com Caio Petélio Libo Visolo III

Décimo Júnio Bruto Esceva
325 a.C.

com Lúcio Fúrio Camilo

Sucedido por:
'Lúcio Papírio Cursor
(Segundo ano ditatorial)

'
Precedido por:
'Lúcio Papírio Cursor

com Espúrio Carvílio Máximo

Décimo Júnio Bruto Esceva II
292 a.C.

com Quinto Fábio Máximo Gurges

Sucedido por:
'Lúcio Postúmio Megelo III

com Caio Júnio Bubulco Bruto


Referências

BibliografiaEditar