Abrir menu principal

Décimo Lélio Balbo (cônsul em 46)

Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o cônsul em 46. Para o cônsul em 6 a.C. e seu pai, veja Décimo Lélio Balbo.
Décimo Lélio Balbo
Cônsul do Império Romano
Consulado 46 d.C.

Décimo Lélio Balbo (em latim: Decimus Laelius Balbus) foi um senador romano nomeado cônsul sufecto em 46 com Marco Júnio Silano. Era filho de Décimo Lélio Balbo, cônsul em 6 a.C.. Segundo Tácito, tinha "uma eloquência sombria, sempre pronta para acusar inocentes"[1].

CarreiraEditar

Em algum momento antes de 37, Balbo acusou Acútia, ex-exposa de Públio Vitélio, de maiestas ("traição"), mas não conseguiu receber a recompensa usual depois da condenação por causa da intercessão de um tribuno. Em 37, ele próprio foi condenado por ter sido um dos amantes da famosa Albucila e sua pena foi a perda do status senatorial e o banimento para uma ilha[2][3]. Em 46, foi reconvocado a Roma pelo imperador Cláudio e nomeado cônsul sufecto[4]. Depois disto, desapareceu do registro histórico.

A virgem vestal Lélia, morta em 64, era sua filha[5].

Ver tambémEditar

Referências

  1. Tácito, Anais VI 48: "truci eloquentia habebatur, promptus adversus insontes"
  2. Tácito, Anais VI 47
  3. Smith
  4. Der Neue Pauly, Stuttgardiae 1999, T. 6, c. 1057
  5. Tácito, Anais XV 22

BibliografiaEditar