Abrir menu principal
Decio Oddone
Diretor geral da ANP do  Brasil
Período 23 de dezembro de 2016
até 22 de dezembro de 2020
Antecessor Magda Chambriard
Sucessor -
Dados pessoais
Nome completo Décio Fabrício Oddone da Costa
Nascimento 1960 (59 anos)
Lavras do Sul, Rio Grande do Sul
Nacionalidade brasileira

Décio Oddone (Lavras do Sul, 3 de agosto de 1960) é um engenheiro eletricista brasileiro. É diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) desde 23 de dezembro de 2016.[1]

BiografiaEditar

Décio Fabrício Oddone da Costa nasceu 3 de agosto de 1960, filho de Orlandy Teixeira da Costa e Dyla Oddone da Costa. Seu avô materno, Décio Savério Oddone,[2] de quem herdou o nome, foi um dos primeiros geofísicos do Brasil, um dos responsáveis pela definição da locação do Candeias-1,[3] o primeiro poço comercial de petróleo do Brasil, e um dos primeiros diretores da Petrobras.

Em 1984, Décio concluiu o curso de engenharia elétrica pela UFRGS. Em 2000, cursou o Advanced Management Program na Harvard Business School. Em 2005 cursou o Advanced Management Programme no Insead. No ano de 2004 recebeu o título de doutor honoris causa em Educação da Universidade de Aquino Bolívia.[4]

Décio iniciou carreira profissional na Petrobras em 1985, quando ingressou por meio de concurso público. Nos anos 1980, participou da primeira equipe de perfuração de poços de petróleo em águas profundas da Petrobras. Trabalhou na Petrobras e subsidiárias no Brasil e no exterior (Angola, Líbia, Bolívia e Argentina). Foi presidente da Petrobras Bolivia S.A. de 1999 a 2004.

Entre 2004 e 2008, ocupou o cargo de Gerente Executivo responsável pelas atividades internacionais da Petrobras no Cone Sul. Em fevereiro de 2008, tornou-se Chief Executive Officer da Petrobras Energía S.A., empresa controlada pela estatal brasileira, com sede na Argentina e atividades em outros países da região, com ações negociadas nas bolsas de Buenos Aires (Merval: PESA) e Nova Iorque (NYSE: PZE), da qual havia sido conselheiro e presidente do conselho de administração.

Foi ainda conselheiro da Petrolera Entre Lomas S.A. e presidente do conselho de administração da Innova S.A., empresa localizada no polo petroquímico de Triunfo, no Rio Grande do Sul. De maio de 2010 a maio de 2015, indicado pela Petrobras, assumiu cargo de vice-presidente de Investimentos da Braskem S.A. Em junho de 2015 ingressou na Prumo Logística como diretor de Projetos de Óleo e Gás. Deixou o cargo para assumir como diretor-geral da ANP.

Em 24 de outubro, o ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Coelho Filho, anunciou a indicação pelo governo federal de Décio Oddone para o cargo de diretor-geral da ANP.[5]

Em 6 de dezembro, o presidente Michel Temer enviou mensagem ao Senado Federal com a indicação de Oddone para a agência reguladora[6] . Após aprovação pelo Senado,  Oddone foi nomeado para a diretoria-geral da ANP, em 23 de dezembro de 2016.[1]

No seu discurso de posse, em 12 de janeiro de 2017, o diretor-geral afirmou que sua gestão está comprometida em "acelerar os investimentos, estimulando e facilitando a ação dos agentes econômicos, simplificando as normas, acelerando os trâmites e mantendo os canais de diálogo permanentemente abertos".[7]

Referências

  1. a b «Décio Oddone é nomeado diretor-geral da ANP». ANP. 23 de dezembro de 2016. Consultado em 5 de abril de 2017 
  2. «Biografia de Décio Oddone no Museu da Pessoa». Museu da Pessoa. 8 de dezembro de 2009. Consultado em 5 de abril de 2017 
  3. «Selo celebra 70 anos de produção do petróleo no Brasil». Blog dos Correios. 21 de dezembro de 2011. Consultado em 5 de abril de 2017 
  4. «Conheça a diretoria da ANP». Site oficial da ANP. 16 de setembro de 2016. Consultado em 5 de abril de 2017 
  5. «Temer indica dois nomes para ocupar diretoria da ANP». O Globo. 24 de outubro de 2016. Consultado em 5 de abril de 2017 
  6. «Décio Oddone é nomeado diretor-geral da ANP». ANP. 6 de dezembro de 2016. Consultado em 5 de abril de 2017 
  7. «Discurso de posse na ANP do diretor-geral Décio Oddone» (PDF). ANP. 17 de janeiro de 2017. Consultado em 6 de abril de 2017 

Ligações externasEditar