Dancing Queen

Musica da banda ABBA
Disambig grey.svg Nota: Se procura por pela canção da banda sul-coreana Girls' Generation, veja Dancing Queen (canção de Girls' Generation).

"Dancing Queen" é uma canção gravada pela banda sueca ABBA em 1975 e lançada em 1976 como parte do álbum Arrival. A canção seguiu o outro hit da época, "Fernando" e é considerada um dos maiores sucessos da década de 1970.[1] O vocal principal foi compartilhado por Agnetha Fältskog e Anni-Frid Lyngstad e letra e melodia foram compostas por Benny Andersson, Björn Ulvaeus e Stig Anderson.[1]

"Dancing Queen"
Single de ABBA
do álbum Arrival
Lado B "That's Me"
Lançamento Suécia 16 de agosto de 1976
Formato(s) 7" single
Gravação 4-5 de agosto de 1975 na Glen Studio
Gênero(s) Disco, pop
Duração 3:51
Gravadora(s) Polar Music
A&M Records
Composição Benny Andersson
Stig Anderson
Björn Ulvaeus
Produção Björn Ulvaeus
Benny Andersson
Cronologia de singles de ABBA
"Rock Me"
(1976)
"Money, Money, Money"
(1976)
Lista de faixas de Arrival
"When I Kissed the Teacher"
(1)
"My Love, My Life"
(3)

"Dancing Queen" estreou durante as celebrações do casamento do rei Carlos XVI Gustavo da Suécia e Silvia Sommerlath.[1][2][3] Após o lançamento, a canção atingiu o topo das paradas na Europa, África e Oceania em abril de 1977, além de se tornar o primeiro número um do grupo na Billboard Hot 100.[4][5] Com boas críticas, gravação de videoclipe, apresentações em programas de televisão ao redor do mundo e sua inclusão na turnê de 1977, a canção ficou muito popular e se tornou um dos singles mais vendidos do quarteto.[6] Tanto, que em 2009 o grupo britânico Phonographic Performance Limited colocou "Dancing Queen" em oitavo lugar numa listagem com as 75 músicas mais tocadas no Reino Unido nos últimos 75 anos.[7]

O single está incluído em vários álbuns de compilações do ABBA (como ABBA Gold: Greatest Hits, Greatest Hits Vol. 2, The Definitive Collection) além de ser utilizada em vários filmes e programas de TV, ao mesmo tempo que é lançado novas versões gravadas por outros artistas.[8] Atualmente, é considerada a canção mais conhecida do grupo e vários críticos a identificam como uma das melhores em seu gênero.[2][9][10]

HistóriaEditar

ComposiçãoEditar

"Dancing Queen" é uma canção de gênero pop e dance, embora muitos críticos e publicitários da música classificam-a também como uma canção disco, apesar de não conter vários elementos distintivos deste gênero.[11] A melodia é composta em um compasso 4/4, em tonalidade de lá maior e um ritmo de 100 batidas por minuto.[12]

A composição é baseada em um ostinato.[9] Dentro da melodia da canção se destaca o uso de um instrumento de cordas, o ritmo de um piano acústico e percussão de destaque, dando-lhe uma característica bastante complexa.[13] Fältskog e Lyngstad como líderes vocais, podem ser consideradas um exemplo de harmonia vocal.[9] A introdução da canção, um glissando realizado no piano, é considerada uma das melodias mais conhecidas da música pop.[9] Outro aspecto incomum, mas não exclusivo dentro das características de uma típica canção pop, é que embora contenha o clássico verso-refrão-verso, "Dancing Queen" começa diretamente com o refrão.[11]

Amostra do refrão principal de "Dancing Queen".

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

Desde o início, "Dancing Queen" foi concebida como uma música dançante e animada, que cumpriu com as novas tendências dentro da música disco e dance. Os compositores tinham como principal inspiração a canção de 1974, "Rock Your Baby" de George McCrae, além da influência rítmica do álbum de 1972, Gumbo, do Dr. John.[1]

A letra é simples e fala sobre uma jovem de dezessete anos que gosta de dançar e tem uma noite divertida. Ela é a "rainha da dança", além de ter vários pretendentes e ser popular entre os homens.[12] A crença popular de que a música foi composta em homenagem à Rainha da Suécia, Silvia Sommerlath, é dita totalmente falsa pelo grupo.[6]

Produção e gravaçãoEditar

No verão de 1975, o grupo estava promovendo o seu álbum ABBA, com o lançamento do single "SOS", além de outros projetos individuais.[14] Como muitos dos artistas mais famosos da década de 1970 lançavam um novo material a cada ano, o grupo decidiu continuar essa tendência, e em agosto de 1976 começaram com o processo de composição. Como revelado em entrevistas posteriores, Benny Andersson e Bjorn Ulvaeus iniciavam as sessões de composição alguns dias antes de entrar no estúdio, começando o trabalho em uma pequena cabana nos arredores de Estocolmo, com apenas uma guitarra e um piano.[14]

Em 4 de agosto de 1975, Andersson e Ulvaeus ingressaram-se nos estúdios Glen, nos subúrbios de Estocolmo para trabalhar em três novas músicas. A primeira, "Tango", acabou se tornando "Fernando";[15] a segunda faixa, "Olle, Olle" nunca foi concluída[16] e a terceira composição ficou conhecida como "Boogaloo".[17] Embora a gravação ainda estava no processo de composição, o grupo notou o potencial que ela tinha:

Depois de várias correções feitas a esta última faixa, Stig Anderson, empresário do grupo, e Ulvaeus, adicionaram letras à canção e por fim, tomou o nome de "Dancing Queen".[18] Em setembro, Lyngstad e Fältskog acrescentaram suas vozes para a gravação. No entanto, demorou vários meses para a canção ficar totalmente concluída.[14] Depois de uma série de acordos que incluiu o toque de vozes, a técnica wall of sound e a eliminação de um verso inteiro, a canção foi completada em dezembro do mesmo ano.[19]

LançamentoEditar

O ABBA tinha planejado lançar um novo single em março de 1976, mas a pedido do empresário, "Fernando" foi escolhida para ser lançada primeiro do que "Dancing Queen",[20] apesar do fato de que desde a conclusão do trabalho na gravação da música, o quarteto já imaginava que ela tinha potencial para se tornar um hit em todo o mundo.

Em 18 de junho de 1976, como parte de uma gala musical para celebrar o casamento do rei Carlos XVI Gustavo e Silvia Sommerlath, o ABBA se apresentou na Ópera Real da Suécia em Estocolmo para estrear sua nova canção.[1] Oficialmente, a canção foi publicada na Suécia como um single em 16 de agosto, que foi quando saiu a primeira extração do álbum Arrival.[21] Outro tema do mesmo álbum: "That's Me" foi colocada como lado B do single.[21]

Contudo, a canção já tinha sido apresentada pelo grupo em dois outros programas de TV. A primeira apresentação foi na Alemanha, no especial The Best of ABBA (Musikladen Extra);[22] e a segunda, foi para o especial The Best of ABBA/ABBA Down Under.[23] Nos dois meses seguintes, "Dancing Queen" atinge os mercados da Europa, África, Oceania e América Latina. Por sua vez, a gravadora do grupo na América do Norte, Atlantic Records, decidiu adiar o seu lançamento até dezembro de 1976; a Discomate fez o mesmo no Japão, onde "Dancing Queen" não foi lançada até meados de 1977.[24]

A capa para o single de "Dancing Queen" foi criada por Ola Lager, que produziu a maioria das capas de álbuns e singles do quarteto.[1] Esta capa, na qual os membros do ABBA estão posando com roupas pretas e chapéus brancos (daí é conhecida como "a foto do chapéu branco"), se tornou uma das fotos favoritas do grupo, enquanto foi uma das mais utilizadas em todo o mundo.[1] No entanto, um dos aspectos mais importantes da capa é que "Dancing Queen" foi o primeiro single lançado com o logo oficial do grupo, desenhado por Rune Soderqvist.[25]

No início de 1980, após o sucesso de "Chiquitita", o grupo decidiu gravar um álbum de suas melhores canções conhecidas inteiramente em espanhol, e entre os temas eleitos para o disco foi "Dancing Queen". Em 8 de janeiro de 1980, Fältskog e Lyngstad começara a gravar "Dancing Queen", com a tradução de Mary e Buddy McCluskey, executivos da RCA Records Argentina, e com a ajuda da jornalista Ana Martinez del Valle.[26] A versão em espanhol da canção foi publicada pela primeira vez em meados de 1980 como parte do álbum Gracias Por La Música.[27] No entanto, na compilação ABBA Oro: Grandes Éxitos, a faixa foi remasterizada e lançado sob o título "La Reina Del Baile" que foi incluída nas compilações seguintes.[28]

Em 1992, dez anos depois que o grupo se separou, o lançamento do álbum Abba-esque do Erasure, despertou um novo interesse do público pela música, assim a PolyGram, que tinha recentemente adquirido os direitos para as músicas do ABBA, decidiu lançar uma nova compilação global, que foi intitulada ABBA Gold: Greatest Hits.[29] Para promovê-lo, foi preparado o relançamento de "Dancing Queen" como primeiro single. O vídeo da canção foi reeditado e o single foi lançado em alguns países da Europa e Oceania, chegando a entrar em várias paradas musicais. Da mesma forma, "Dancing Queen" foi escolhida como single para promover outros lançamentos do grupo, como caixas de coletâneas, DVDs e compilações; também foi usada para promover o musical Mamma Mia! e sua adaptação para o cinema.[1]

PromoçãoEditar

Após o lançamento de Arrival, o grupo excursionou apresentações na televisão em vários países, incluindo Suécia, Polónia, EUA, Canadá, Alemanha, Reino Unido, Holanda e Espanha, onde eles interpretaram músicas de seu novo álbum incluindo "Dancing Queen".[30] Nos últimos anos, tornando-se uma das músicas mais famosas do grupo, ocasionalmente foi adicionada à lista de canções que o ABBA interpretou em turnês para promovê-los na televisão. Nenhuma dessas apresentações foi totalmente ao vivo, em muitas delas, foi usada a sincronia labial.[31]

"Dancing Queen" foi incluída nas duas turnês mundiais do grupo e nas duas vezes foi apresentada no final do show, na parte do bis.[31] Na turnê pela a Europa e Austrália em 1977, foi interpretada no final das cenas do mini-musical "The Girl with the Golden Hair"; o ABBA: The Movie mostra uma apresentação completa de um dos concertos do grupo na Austrália.[32] Da mesma forma, uma apresentação sobre a turnê de 1979 gravada em Londres, foi lançada como parte do documentário ABBA In Concert.[32]

VideoclipeEditar

 
O videoclipe de "Dancing Queen" mostrava o quarteto intepretando a música diante de uma plateia.

O vídeo de "Dancing Queen" foi gravado em 2 de fevereiro de 1976, no clube "Alexandra", uma antiga discoteca localizada no centro de Estocolmo.[33] Dirigido por Lasse Hallström, o mesmo que dirigiu a maioria dos vídeos do grupo,[34] o vídeo mostra o quarteto executando a canção diante de uma platéia que dança a música. Os quatro vestem trajes elaborados com veludos marrons (Fältskog e Andersson) e verde (Ulvaeus e Lyngstad), enquanto as duas líderes vocais interpretam uma coreografia simples.[35]

Em 1992, com o relançamento do single, foi publicado um vídeo retocado muito parecido com o original. Dois anos depois, foi criado um novo vídeo para promover o filme Muriel's Wedding, com trechos do filme e outros vídeos da banda, semelhante ao desenvolvido para "Lay All Love Your on Me".[34] Todos esses vídeos foram reeditados e lançados em DVD em vários lançamentos, incluindo ABBA Gold, The Definitive Collecion, ABBA: 16 Hits, e Number Ones.[34]

Recepção críticaEditar

No geral, "Dancing Queen" recebeu boas críticas. Em muitas, foi afirmado que a música era uma das melhores produções do grupo, e uma das melhores músicas disco. Donald A. Guarisco do site Allmusic disse que "é uma canção cuja sinceridade e pureza musical permitiu-lhe sobreviver o fenômeno disco e tornar-se um padrão dance-pop".[13] Em relação com a música disco, a crítica de Arrival feita por Robot A. Hull da revista Creem dizia: "Claro, "Dancing Queen" já se tornou um disco clichê, mas a utilização das cordas nesta gravação o faz ignorar os ritmos que já estão fora de moda."[36]

Para a revista Billboard, a música não parecia boa no início, porque, em sua crítica ao single em 1976, foi publicado que "embora a música do ABBA seja boa, as letras têm um temperamento considerável, tratando da experiência de tentar ser jovem com uma grande beleza aos 17 anos, sob o globo da discoteca".[36] No entanto, três anos depois, em sua crítica à compilação Greatest Hits Vol. 2, afirmaram que "Dancing Queen" "é um dos melhores singles já produzidos na década de 1970."[36]

A revista Rolling Stone a descreveu como "um clássico do ABBA, "[Dancing] Queen" foi uma sobremesa feita a partir de uma melodia sublime e harmoniosa pop-ópera".[2] O crítico inglês Adrian Denning afirmou que "esta é a canção do ABBA onde não é simplesmente boa, mas sim, uma perfeição do pop... "Dancing Queen" é uma canção onde a música e os vocais definem uma perfeita harmonia uns com os outros."[10] George Starostin, um crítico de música russa, apontou "Dancing Queen" como a melhor música do álbum Arrival, e ao mesmo tempo disse que era uma das melhores melodias do grupo.[37]

Desempenho comercialEditar

"Dancing Queen" é um dos singles mais bem sucedidos comercialmente que o grupo já lançou, vendendo mais de três milhões de cópias em todo o mundo durante o seu lançamento original.[38] Também alcançou o número um nas paradas musicais em dezessete países diferentes. No Reino Unido, o single permaneceu 15 semanas dentro da lista UK Singles Chart, seis delas em primeiro lugar;[39] neste país, foi vendido mais um milhão de cópias do single.[40] Na Suécia, a canção ficou 14 semanas em primeiro lugar, estabelecendo um recorde para a época.[41] Também alcançou o topo na Bélgica, Holanda, Alemanha, Irlanda e Noruega.[21]

Nas duas paradas de rádios africanas disponíveis na década de 1970, o single também alcançou a primeira posição, semelhante ao que aconteceu no México, Nova Zelândia e Austrália.[21] Neste último país, "Dancing Queen" ficou oito semanas no número um na lista elaborada pelo ARIA com uma certificação de vendas resultante na premição de um disco de ouro vinte vezes.[42]

Depois de seu lançamento, "Dancing Queen" tornou-se o único single do ABBA a alcançar o número um na Billboard Hot 100 dos Estados Unidos,[5] com vendas de mais de um milhão de cópias, creditando ao grupo um disco de ouro.[43] Foi também a única música do grupo que conquistou a parada musical RPM do Canadá.[44] No Japão, "Dancing Queen" se tornou o segundo single do quarteto a entrar dentro das primeiras vinte posições na lista nacional de singles, vencendo por sua vez, a parada musical internacional, ambas feitas pela Oricon.[45][46]

"Dancing Queen" foi relançada várias vezes, principalmente para promover o lançamento de novas compilações de hits do grupo. No entanto, o relançamento de 1992 foi o mais bem sucedido, conseguindo colocar a música nas paradas em vários países, 16 anos após sua publicação original.[47] Também em 2008, com a estréia do filme Mamma Mia!, musical baseado em canções do grupo, a canção entrou nas paradas da Austrália e Reino Unido, graças aos downloads digitais.[48][39]

FaixasEditar

Single (1976) Faixas escritas por Benny Andersson, Björn Ulvaeus e Stig Anderson.[1]

N.º Título Duração
1. "Dancing Queen"   3:51
2. "That's Me"   3:17

Single de CD (1992) Faixas escritas por Benny Andersson e Björn Ulvaeus, exceto onde indicado.[1]

N.º Título Duração
1. "Dancing Queen" (escrita por Andersson, Ulvaeus e Anderson) 3:51
2. "Lay All Your Love on Me"   4:36
3. "The Day Before You Came"   5:54
4. "Eagle"   5:53

Posições nas paradasEditar

1976

País Parada musical Posição
 África do Sul Top 20 Singles[49] 1
  Alemanha Media Control Charts[50] 1
  Austrália ARIA Singles Chart[42] 1
  Áustria Top 40 Singles[48] 4
  Bélgica Ultratop 40[21]
Ultratop 50[51]
1
1
  Canadá Canadian Hot 100[44] 1
  Costa Rica Costa Rica Top 100[52] 1
  Espanha Top 50 Singles[21] 10
  Estados Unidos Billboard Hot 100[5] 1
 Europa Eurochart Hot 100[53] 1
  Finlândia YLE Top 40[21] 3
  França French Singles Chart[21] 4
  Irlanda Irish Singles Chart[54] 1
  Itália Top 50 Singles[55] 14
  Japão Oricon International Singles[46]
Oricon Top 100 Singles[45]
1
19
  México Top 100 International Singles[21] 1
  Noruega VG-lista[48] 1
  Nova Zelândia RIANZ Top 50[48] 1
  Países Baixos Dutch Top 40[56] 1
  Reino Unido UK Singles Chart[39] 1
 Rodésia Top 100 Singles[21] 1
  Suécia Sverigetopplistan[48] 1
  Suíça Hitparade[48] 3
  União Soviética URSS Singles Airplay[57] 1

1992

País Parada musical Posição
  Alemanha Media Control Charts[58] 22
  Austrália ARIA Singles Chart[48] 37
  Bélgica Ultratop 40[59] 16
  Irlanda Irish Singles Chart[54] 9
  Noruega VG-lista[48] 5
  Nova Zelândia RIANZ Top 50[48] 14
  Países Baixos Dutch Top 40[60] 15
  Reino Unido UK Singles Chart[61] 16
  Suécia Sverigetopplistan[41] 15

2008

País Parada musical Posição
  Austrália ARIA Singles Chart[62] 58
  Reino Unido UK Singles Chart[39] 89
  Coreia do Sul Gaon Chart[63] 95

Certificações e vendasEditar

Organização Certificação Vendas
  ARIA   13× Platina[42] 1.000.000[42]
  RIAA   Platina[43] 1.100.000[64]
  RIAJ   Ouro[65] ?
  RIANZ   Platina[66] 20.000[66]
  BPI   3× Platina[67] 1.100.000[40]

LegadoEditar

 
Diferentes bandas tributo gravaram sua própria versão de "Dancing Queen".

Depois de seu lançamento, "Dancing Queen" se tornou um dos singles de maior sucesso do grupo e ao longo do tempo tornou-se sua canção assinatura,[68] além de ser considerada uma das melhores músicas de seu gênero.[11][68] Conseguiu a 171ª posição em uma lista feita pela revista Rolling Stone com as 500 melhores canções de todos os tempos,[2] além de ser uma das canções que foram mais tocadas na rádio do Reino Unido.[69] Por outro lado, em vários sites dedicados ao grupo, é muitas vezes escolhida como a melhor canção do ABBA.[70] Também é considerada representativa da comunidade LGBT.[71][72] Foi utilizada no Glee.[11][73][74]

CréditosEditar

Os créditos de "Dancing Queen" mostram uma equipe igualada referente aos outros trabalhos do grupo.[6]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l «Dancing Queen» (em inglês). ABBA Site.com. Consultado em 25 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 20 de julho de 2017 
  2. a b c d «Dancing Queen» (em inglês). Rolling Stone. 2004. Consultado em 28 de fevereiro de 2011 
  3. Rodolfo Vargas Rubio. «Coronas vikingas: las que más se tambalean "Suecia: monarquía napoleónica"» (em espanhol). Consultado em 25 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 28 de dezembro de 2013 
  4. «ABBA,inolvidable grupo sueco» (em espanhol). HistóriaNews. Consultado em 25 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 15 de setembro de 2010 
  5. a b c «ABBA - Billboard singles» (em inglês). All Music. 2009. Consultado em 28 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 31 de março de 2012 
  6. a b c Carl Magnus Palm (2006). «Liner notes, part 1» (em inglês). Consultado em 4 de março de 2011. Cópia arquivada em 28 de dezembro de 2013 
  7. «The Top 75» (em inglês). PPluk. Consultado em 12 de agosto de 2010. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2010 
  8. «Track Search: Dancing Queen» (em inglês). All Music. 2010. Consultado em 3 de março de 2011 [ligação inativa]
  9. a b c d «Dancing Queen - Abba» (em inglês). Pandora.com. 2006. Consultado em 4 de março de 2011. Cópia arquivada em 30 de novembro de 2010 
  10. a b Adrian Denning (2009). «ABBA - album reviews» (em inglês). Consultado em 28 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 11 de dezembro de 2008 
  11. a b c d «Dancing Queen (song)» (em inglês). Spiritus-Temporis.com. 2005. Consultado em 4 de março de 2011 [ligação inativa]
  12. a b «Stig Anderson - Dancing Queen Sheet Music» (em inglês). Music Notes.com. 2007. Consultado em 25 de fevereiro de 2011 
  13. a b Donald A. Guarisco (2007). «Dancing Queen» (em inglês). Consultado em 28 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 23 de março de 2011 
  14. a b c «Arrival - The Making Of A Classic Pop Album» (em inglês). Universal Music Group. 2006. Consultado em 25 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 5 de janeiro de 2012 
  15. Ian Cole (2009). «Tango» (em inglês). Consultado em 25 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 10 de agosto de 2014 
  16. Ian Cole (2009). «Olle, Olle» (em inglês). Consultado em 25 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 19 de janeiro de 2016 
  17. Ian Cole (2009). «Boogaloo» (em inglês). Consultado em 25 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 3 de março de 2016 
  18. Ian Cole (2009). «Dancing Queen» (em inglês). Consultado em 25 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 27 de fevereiro de 2016 
  19. Ian Cole (2009). «Dancing Queen (early version)» (em inglês). Consultado em 25 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 3 de março de 2016 
  20. Carl Magnus Palm (2010). «Dancing Queen» (em inglês). Consultado em 26 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 23 de setembro de 2015 
  21. a b c d e f g h i j «ABBA Singles - Dancing Queen/That's Me» (em inglês). Universal Music Group. 2010. Consultado em 25 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 23 de abril de 2011 
  22. Sara Russell (2010). «The Best of ABBA (Musikladen Extra)» (em inglês). Consultado em 26 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 31 de julho de 2010 
  23. Sara Russell (2010). «The best of ABBA/ABBA Down Under» (em inglês). Consultado em 26 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 22 de novembro de 2008 
  24. «7" vinyls, record, abba single releases, discography and collection» (em inglês). ABBA 4 The Record.com. 2011. Consultado em 26 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 15 de abril de 2009 
  25. «Rune Söderqvist's Biography» (em inglês). Universal Music Group. Consultado em 17 de agosto de 2011. Cópia arquivada em 27 de maio de 2011 
  26. «ABBA En Español» (em inglês). Universal Music Group. 2011. Consultado em 25 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 20 de janeiro de 2011 
  27. Ian Cole (2009). «Reina Danzante» (em inglês). Consultado em 28 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 3 de março de 2016 
  28. Ian Cole (2009). «La Reina Del Baile» (em inglês). Consultado em 28 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 3 de março de 2016 
  29. Adam White. «Take a chance on them: New life for ABBA catalog» (em inglês). Consultado em 28 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 22 de fevereiro de 2014 
  30. Sara Russell (2010). «1976» (em inglês). Consultado em 26 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 16 de outubro de 2008 
  31. a b «ABBA On Stage» (em inglês). Universal Music Group. 2010. Consultado em 25 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 23 de abril de 2011 
  32. a b Robert Verbeek. «Dancing queen - video description» (em inglês). Consultado em 28 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 5 de março de 2016 
  33. Carl Magnus Palm (2003). «Liner notes, part 1» (em inglês). Consultado em 28 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 22 de fevereiro de 2014 
  34. a b c Sara Russell (2010). «Dancing Queen Promo» (em inglês). Consultado em 26 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 26 de abril de 2015 
  35. Abba - Dancing Queen (Official Music Video Remastered). ABBA. 8 de outubro de 2009. Consultado em 10 de outubro de 2021. Cópia arquivada em 16 de fevereiro de 2021 – via YouTube 
  36. a b c Robot A. Hull (1977). «Review of 'Arrival'» (em inglês). Consultado em 31 de julho de 2011. Arquivado do original em 20 de outubro de 2012 
  37. George Starostin (2005). «Abba Reviews» (em inglês). Consultado em 4 de março de 2011. Cópia arquivada em 14 de maio de 2011 
  38. Oldham, Andrew; Calder, Tony; Irwin, Colin (1995) (em inglês). ABBA: The Name of the Game. Sidgwick & Jackson.
  39. a b c d «ABBA - Dancing Queen» (em inglês). Chart Stats.com. 2008. Consultado em 28 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 19 de março de 2012 
  40. a b «ABBA - Official Top 20» (em inglês). MTV. 2010. Consultado em 2 de março de 2011. Cópia arquivada em 7 de julho de 2011 
  41. a b «ABBA - Dancing Queen» (em inglês). Swedish Charts.com. 2010. Consultado em 28 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 13 de outubro de 2012 
  42. a b c d Charley, Peter (1977) (em inglês). The ABBA Album. Horwitz.
  43. a b «Gold & Platinum» (em inglês). Swedish Charts.com. 2011. Consultado em 2 de março de 2011. Cópia arquivada em 5 de janeiro de 2016 
  44. a b «Introduction RPM» (em inglês). Collections Canada.gc.ca. 2004. Consultado em 28 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 9 de julho de 2013 
  45. a b Trent Nickson (2008). «Japón» (em inglês). Consultado em 1 de março de 2011. Arquivado do original em 26 de abril de 2012 
  46. a b OCN.ne.jp (2007). «Mr. Heartbreaker's Chart Liner_Japan #1 DISKS» (em japonês). Consultado em 1 de março de 2011. Cópia arquivada em 21 de abril de 2015 
  47. «Charts - all» (em inglês). ABBA Singles.net. Consultado em 28 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 3 de setembro de 2011 
  48. a b c d e f g h i «ABBA - Dancing Queen» (em inglês). Norwegian Charts.com. 2011. Consultado em 28 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 3 de novembro de 2017 
  49. John Samson (2000). «SA Charts 1969-1989 Acts (A)» (em inglês). Consultado em 1 de março de 2011. Cópia arquivada em 9 de março de 2021 
  50. Markus Tolksdorf. «German Top 20 - 16.09.76» (em inglês). Consultado em 1 de março de 2011. Cópia arquivada em 19 de maio de 2011 
  51. «Radio 2 - Top 30» (em flamenco). VRT. 2008. Consultado em 1 de março de 2011. Arquivado do original em 9 de abril de 2012 
  52. Trent Nickson (2008). «Costa Rica» (em inglês). Consultado em 1 de março de 2011. Arquivado do original em 13 de outubro de 2009 
  53. Media Tools.nl. «Europarade» (em holandês). Consultado em 1 de março de 2011. Cópia arquivada em 9 de março de 2021 
  54. a b «Search the charts» (em inglês). IRMA. 2006. Consultado em 1 de março de 2011. Cópia arquivada em 3 de junho de 2009 
  55. Salvatori, Dario (1989) (em italiano). Storia dell'Hit parade. Gremese.
  56. Top 40.nl (2010). «Top 40» (em holandês). Consultado em 1 de março de 2011 
  57. Fältskog, Agnetha; Ahman, Brita (1997) (em inglês). As I am: ABBA before & beyond. Virgin.
  58. Trent Nickson (2008). «Germany» (em inglês). Consultado em 1 de março de 2011. Arquivado do original em 7 de julho de 2009 
  59. «Radio 2 - Top 30» (em flamenco). VRT. 2008. Consultado em 1 de março de 2011. Arquivado do original em 9 de abril de 2012 
  60. «Top 40» (em holandês). Top 40.nl. 2010. Consultado em 1 de março de 2011 
  61. «ABBA - Dancing Queen {1992}» (em inglês). Chart Stasts.com. Consultado em 1 de março de 2011. Cópia arquivada em 29 de junho de 2012 
  62. «The ARIA Report» (PDF) (em inglês). Australian Recording Industry Association. 2008. Consultado em 1 de março de 2011. Cópia arquivada (PDF) em 23 de janeiro de 2016 
  63. «<abba> 에 대한 검색결과 입니다.» (em coreano). Gaon. 2011. Consultado em 20 de maio de 2011. Cópia arquivada em 26 de janeiro de 2021 
  64. Trent Nickson (2008). «United States of America - Additional information» (em inglês). Consultado em 1 de março de 2011. Arquivado do original em 13 de outubro de 2009 
  65. «レコ協チャート» (em japonês). RIAJ. 2009. Consultado em 2 de março de 2011. Cópia arquivada em 23 de dezembro de 2010 
  66. a b Trent Nickson (2008). «New Zealand - Additional Information» (em inglês). Consultado em 2 de março de 2011. Arquivado do original em 13 de outubro de 2009 
  67. «Certified Awards Search» (em inglês). BPI. 2010. Consultado em 2 de março de 2011. Cópia arquivada em 17 de novembro de 2017 
  68. a b Carl Magnus Palm (2010). «Liner notes, part 2» (em inglês). Consultado em 26 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 23 de setembro de 2015 
  69. «PPL: The People's Chart» (em inglês). Phonographic Performance Limited. 2009. Consultado em 3 de março de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2010 
  70. Robert Verbeek (2011). «The weakest link» (em inglês). Consultado em 3 de março de 2011. Cópia arquivada em 20 de setembro de 2011 
  71. Javier Pérez (2010). «Dancing Queen.ABBA - Grandes Himnos gay» (em espanhol). Consultado em 3 de março de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2010 
  72. «ABBA's Dancing Queen voted Gayest Song Ever» (em inglês). Thaindian.com. 2008. Consultado em 3 de março de 2011. Cópia arquivada em 19 de março de 2009 
  73. «'Glee' to Take On 'Dancing Queen,' More Adele» (em inglês). Thaindian.com. 2008. Consultado em 6 de maio de 2011. Cópia arquivada em 29 de agosto de 2012 
  74. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome glee

Ligações externasEditar