Abrir menu principal
Danny Ongais
Ongais, Danny (1984).jpg
Danny Ongais em 1984.
Informações pessoais
Nome completo Daniel Ongais
Nacionalidade Estados Unidos Norte-americano
Nascimento 21 de maio de 1942 (77 anos)
Kahului, Havaí
Registros na Fórmula 1
Temporadas 19771978
GPs disputados 6 (4 largadas)
Títulos 0 (26º em 1978)
Vitórias 0 (7º no GP do Canadá de 1977)
Pódios 0
Pontos 0
Pole positions 0
Primeiro GP Estados Unidos GP dos Estados Unidos, 1977
Último GP Países Baixos GP dos Países Baixos, 1978 (não-classificado)
Registros na IndyCar Series
Temporadas 1996–1998
Equipes 3 (Menard, Chitwood e Pelfrey)
Corridas 3 (2 largadas)
Títulos 0 (29º em 1996)
Vitórias 0 (13º no GP da Walt Disney World de 1997)
Pódios 0
Pontos 50
Pole positions 0
Primeira corrida Estados Unidos Indy 500, 1996
Última corrida Estados Unidos Indy 500, 1998 (não-classificado)
Registros na Champ Car
Temporadas 1979–1980, 1983–1987
Equipes 4 (Interscope Racing, Patrick Racing, March e Penske)
Corridas 92 (89 largadas)
Títulos 0 (6º em 1979)
Vitórias 6 (todas pela fase USAC)
Pódios 8 (6 na USAC, 2 na CART)
Pontos 5752
Pole positions 11 (todas pela fase USAC)
Primeira corrida Estados Unidos GP de Phoenix, 1979
Última corrida Estados Unidos GP de Miami, 1987

Daniel "Danny" Ongais (Kahului,[1] 21 de maio de 1942) é um ex-piloto de Fórmula 1 e Fórmula Indy dos Estados Unidos.

Índice

BiografiaEditar

Início de carreiraEditar

Natural de Kahului, no Havaí, tornou-se o primeiro - e até hoje, único havaiano a disputar as 500 Milhas de Indianápolis. Na Fórmula 1, Ongais participou de 6 corridas pela Interscope Racing entre 1977 e 1978, usando carros da Penske, Ensign e Shadow. Porém, não consegue resultados de destaque, terminando apenas o GP do Canadá.

Foi apelidado de Danny On the gas pela sua coragem ao volante dos carros de corrida. Iniciou a carreira com os dragsters americanos, obtendo sucesso. Tenta participar das 500 Milhas de Indianápolis em 1968, mas sua inscrição é negada por falta de experiência. Em seguida, corre na Fórmula 5000, quando conhece Ted Field, que, fascinado pelo seu estilo arrojado, o abriga na sua escuderia.

Na Fórmula IndyEditar

 
Ongais em 1984, já na Fórmula Indy.

Em 1977, aos 35 anos, Ongais participa de sua primeira Indy 500, na época sancionada pela USAC. Um ano antes, fez sua estreia na categoria, pela qual corre até 1982, representando a Interscope Racing, vencendo 6 corridas e conquistando 8 poles, competindo com grandes nomes do automobilismo americano, como Mario Andretti, A. J. Foyt, os irmãos Unser e Tom Sneva. No entanto, devido à fragilidade técnica do seu monoposto que frequentemente o leva a retirar-se das provas, Ongais não conquistou nenhum título.

Em 1981, obtém o terceiro tempo para a edição da Indy 500 naquele ano, mas se envolve em um dos acidentes mais espetaculares e perigosos da história, no qual sai vivo mas com uma perna 5 centímetros mais curta. Recuperado fisicamente, em 1982, participa com um Lola da equipe Interscope na série IMSA. Vence duas corridas com o seu chefe Ted Field, mas abandona as corridas pouco tempo depois, e a aposentadoria dura até 1987, quando, aos 45 anos, inscreve-se para a Indy 500 pela Penske. Sofre um acidente nos treinos, fica em coma e é substituído por Al Unser, que vence a corrida.

Nove anos depois, foi a vez de Ongais substituir um piloto: aos 53 anos de idade, o havaiano foi escalado às pressas para o lugar de Scott Brayton, que falecera no Carburation Day (último treino antes da corrida).

Na temporada 1996-1997 da recém-criada Indy Racing League, disputa 2 corridas: no GP de Orlando, pilotando um carro da Chitwood Motorsports, o experiente piloto cruza a linha de chegada em 13º lugar. Já em Phoenix, sofre um acidente e é detectada uma comoção cerebral, ficando de fora da prova, tendo sua vaga herdada pelo brasileiro Affonso Giaffone. Ongais encerra novamente sua carreira em 1998, quando não conseguiu a vaga para a Indy 500. Na época, pilotava um Dallara-Oldsmobile da equipe Pelfrey.

Sua última aparição ao volante ocorre em 2002, quando guia um Norma no traçado de Daytona, pelo qual venceu em 1979, com uma Porsche, pela Interscope.

Foi o primeiro piloto a "colorir" o volante de um monoposto na história da F-1, e o único até 2007, quando Lewis Hamilton fez o mesmo.

NotasEditar

  • 1: Ongais disputou 2 corridas em 1977, pela Interscope Racing, que utilizou um Penske PC4. Ele ainda tentou a classificação para outros 2 GPs em 1978, agora com um Shadow DN9.

Referências

  1. Jenkins, Richard. «The World Championship drivers - Where are they now?». OldRacingCars.com. Consultado em 29 de julho de 2007 
  Este artigo sobre Automobilismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.