Abrir menu principal
Wiki letter w.svg
Por favor, melhore este artigo, expandindo-o. Mais informações podem ser encontradas no artigo «De Havilland Vampire» na Wikipédia em inglês e também na página de discussão. (julho de 2019)
DH.100
Vampire
Sea Vampire
Caça
Descrição
Tipo / Missão Caça, com motor turbojato, monomotor monoplano
País de origem  Reino Unido
Fabricante de Havilland
English Electric
Quantidade produzida 3268[nota 1][nota 2]
Desenvolvido em De Havilland Venom
Primeiro voo em 20 de setembro de 1943 (76 anos)
Introduzido em 1945
Aposentado em 1979 (Força Aérea da Rodésia)
Variantes 15 variantes
Tripulação 1
Especificações (Modelo: Vampire FB.6)
Dimensões
Comprimento 9,37 m (30,7 ft)
Envergadura 11,58 m (38,0 ft)
Altura 2,69 m (8,83 ft)
Área das asas 24,34  (262 ft²)
Alongamento 5.5
Peso(s)
Peso vazio 3 304 kg (7 280 lb)
Peso máx. de decolagem 5 620 kg (12 400 lb)
Propulsão
Motor(es) 1 x turbojato centrifugo De Havilland Goblin 3
Força de empuxo (por motor) 1 519 kgf (14 900 N)
Performance
Velocidade máxima 882 km/h (476 kn)
Alcance (MTOW) 1 960 km (1 220 mi)
Teto máximo 13 045 m (42 800 ft)
Razão de subida 24,4 m/s
Armamentos
Metralhadoras / Canhões 4 x canhões Hispano Mk.V de 20 mm (0,787 in)
Foguetes 8 x RP-3 de 27,22 kg (60,0 lb) e 76,2 mm (3,00 in)
Bombas 2 x bombas de 225 kg (496 lb) ou 2 x tanque ejetáveis
Notas
Dados de: The Illustrated Encyclopedia of Aircraft[1]

O De Havilland DH.100 Vampire começou a ser planejado durante a Segunda Guerra Mundial, mas só foi concluído no final da guerra.

Em 1948, a versão DH Vampire F.1, bateu o recorde mundial de altitude (18 000m).

Emprego na Força Aérea PortuguesaEditar

Foram adquiridos dois aviões da versão DH-115 em Setembro de 1952, que foram os primeiros aviões de reacção em Portugal. Esses aviões tinham como finalidade a preparação de pilotos para as novas gerações de aviões de reacção que se vislumbrava adquirir.

Foram colocados na Base Aérea da Ota e foram abatidos ao serviço (quase sem utilidade) em 1962.

VariantesEditar

Variante Característica Qtd. produzida Notas
DH.100 Protótipos para a especificação E.6/41 3 [2]
Vampire Mk I Caça monoposto para a RAF 244 [2]
J 28A Versão sueca do Vampire Mk I mas com as asas cortadas para o padrão Mk 5, mas sendo 1 cm menor N.D. [3]
Mk II Versão com motores turbojato Rolls-Royce Nene 1 protótipo e 2 conversões [2]
F.3 Caça monoposto para a RAF. Dois protótipos convertidos do Mk I; 202 produzidos nesta configuração, vinte deles exportados para a Noruega 224 [2]
Mk IV Projeto motorizado Rolls-Royce Nene Não produzido
FB.5 Caça-bombardeiro monoposto com motores turbojato Goblin 2; 930 para a RAF e mais 88 para exportação 930+88 [2]
FB.6 Caça-bombardeiro monoposto com motores turbojato Goblin 3; 178, sendo 100 produzidos na Suíça para Força Aérea Suíça 178 [2]
Mk 8 Versão convertida de um Mk I com motor De Havilland Ghost 1 [2]
FB.9 Caça-bombardeiro tropicalizado com a adição de ar condicionado para o padrão Mark 5. Motorizado com o Goblin 3; 323 unidades a maioria produzida pela De Havilland mas também pela Fairey Aviation 323 [2]
Mk 10 ou DH.113 Vampire Dois protótipos com motor Goblin e dois assentos 2 [2]
NF.10 Caça noturno biposto para a RAF, 95 unidades incluindo 29 como NF.54 95 [2]
Sea Vampire Mk 10 Protótipo para testes de convés. Um convertido 1 [2]
Mk 11 ou DH.115 Vampire Trainer Empreendimento privado, para um protótipo biposto de treino a jato 1 [2]
T.11 Treinador biposto motorizado com motor turbojato Goblin 35, construídos pela De Havilland e Fairey Aviation alguns com assento ejetor 731 [2]
Sea Vampire F.20 Versão naval do modelo FB.5, construídos pela English Electric 18 [2]
Sea Vampire F.21 Versão convertida do modelo F.3 com ventre reforçado e guancho de captura para testes de aterrissagem sem trem de pouso em conveses flexíveis 6 [2][nota 3]
Sea Vampire T.22 Treinador turbojato biposto para a Marinha Real construídos pela De Havilland 73 [2]
FB.25 Variantes do FB.5; exportados para a Nova Zelândia 25 [2]
F.30 Caça-bombardeiro monoposto para a RAAF. Motorizados com turbojato Rolls-Royce Nene; 57 construídos na Austrália 57 [2]
FB.31 Motorizado com Rolls-Royce Nene; 23 novos construídos na Austrália e 28 convertidos do F.30 23 novos + 28 conversões [2]
F.32 Um F.30 convertido com ar condicionado 1 [2]
T.33 Versão biposto de treino com motores turbojato Goblin construídos na Austrália 36 [2]
T.34 Versão de treino biposto para a Marinha Real Australiana; construídos na Austrália 5 [2]
T.34A Versão T.34 equipadas com assentos ejetores 5 conversões [2]
T.35 Versão modificada de treino fabricada na Austrália 68 [2]
T.35A Conversões do T.33 para a versão T.35 36 conversões [2]
FB.50 Exportado como J 28B para a Suécia, sendo que 12 unidades foram reconstruídas para a versão T.55 padrão 310 + 12 conversões para T.55 [2]
FB.51 protótipo exportado para a França (a partir de uma conversão) 1 [2]
FB.52 Versão de exportação do Mk 6, sendo 36 unidades exportadas para a Noruega usados de 1949 até 1957 101 [2]
FB.52A Caça-bombardeiro monoposto para a Força Aérea Italiana, construídos na Itália 80 [2]
NF.54 Versão de exportação do Vampire NF.10 para a Força Aérea Italiana 29 [2]
T.55 Versão de exportação do treinador DH.115 com 216 unidades e mais seis conversões do modelo T.11 216 + 6 conversões [2]
S.N.C.A.S.E. 'Vampire' FB.53 Caça-bombardeiro monoposto para a Armée de l'Air, como Sud-Est SE 535 Mistral 4 protótipos + 250 [2]
S.N.C.A.S.E. SE-532 Mistral Versão inicial de produção do Mk.53 para a Armée de l'Air 97 [2]
S.N.C.A.S.E. SE-535 Mistral Desenvolvimento do SE-532 para a Armée de l'Air 150 [2]

OperadoresEditar

GaleriaEditar

Ver tambémEditar

Desenvolvimento relacionado
Aeronave de comparável missão, configuração e era
Outros

Força Aérea Portuguesa

Notas

  1. Gunston 1981, p. 52.
  2. Mason 1965, pp. 10, 12.
  3. Brown 1976, p.130.

BibliografiaEditar

  • Gunston, Bill (1981). Fighters of the Fifties. Cambridge, UK: Patrick Stephens. ISBN 978-0-85059-463-8.
  • Mason, Francis K. (1965). The De Havilland Vampire Mk. 5 & 9. Aircraft in Profile. Leatherhead, UK: Profile Publications. OCLC 45318860.
  • Brown, Eric (1976). "Vampire on a Trampoline". Air Enthusiast Quarterly. Bromley, UK: Fine Scroll (2): 126–136. ISSN 0143-5450.

Referências

  1. Illustrated Encyclopedia of Aircraft, p.1380. (Part Work 1982–1985). London: Orbis Publishing. 1985.
  2. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah "De Havilland DH100 Vampire." BAE Systems, visitado em 18 de julho de 2019.
  3. "de Havilland Vampire in Swedish service". X-Plane.org, visitado em 18 de julho de 2019.
  4. "ADF-Serials Vampire". Adf-serials.com.au. Visitado em 18 de julho de 2019.
  5. "RAAF leased Vampire FB.9 and Meteor T.7". Adf-gallery.com.au. Visitado em 18 de julho de 2019.
  6. "NZDF-Serials DH.100 Vampire". Adf-serials.com.au. Visitado em 18 de julho de 2019.
  Este artigo sobre um avião, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.