Deckdisc

Gravadora e editora musical brasileira
(Redirecionado de Deck Disc)
Deckdisc
Empresa detentora Polysom
Fundação 1998
Fundador(es) João Augusto
Distribuidor(es) Independente
País de origem  Brasil
Localização Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Página oficial http://deckdisc.com.br/

Deckdisc (também conhecida apenas como Deck) é uma gravadora brasileira, conhecida por ser totalmente independente, pois ela faz todo o processo da gravação de um álbum, do estúdio até a distribuição.

HistóriaEditar

A Deckdisc iniciou oficialmente suas atividades como gravadora em 1998, com distribuição da Universal Music. O primeiro sucesso foi a série Som de Barzinho, que atingiu dois milhões de cópias vendidas com seus cinco primeiros volumes.

Foi fundada por João Augusto, que foi diretor artístico da Polygram, da EMI Odeon e da Abril Music.

Formado em Jornalismo pela Universidade Federal Fluminense (UFF), João Augusto iniciou a carreira como colaborador do jornal O Fluminense. Em 1973, ingressou na Rádio Mauá, pertencente ao sistema Radiobrás, nas funções de discotecário e produtor.

No final de 1975, transferiu-se para a Rádio Nacional do Rio de Janeiro, também integrante do Sistema Radiobrás. No ano seguinte, paralelamente a suas atividades normais de produtor e sonoplasta, João Augusto foi o responsável por todas as comemorações de 40 anos da Nacional, orientando uma série de iniciativas relativas à história e às mudanças que vinham sendo operadas na emissora. Também em 1976 integrou o grupo que realizou a implantação da FM Nacional – a primeira emissora a tocar 100% de música brasileira –, produzindo uma série de programas especiais.

De 1977 a 1979, ainda trabalhando na Rádio Nacional, escreveu vários programas para o Mobral-Amazônia e para o Projeto Minerva, até ingressar na gravadora Polygram, atual Universal Music, e produzir o seu primeiro disco, da artista Zizi Possi. A partir daí, João Augusto se dedicou integralmente à produção de discos, tendo trabalhado com Erasmo Carlos, Marcos Sabino, Marina, Angela Ro Ro, Emílio Santiago, Gal Costa, Fafá de Belém e Caetano Veloso, entre outros.

Em 1992, a convite de Roberto Menescal, assumiu a Direção Artística da Polygram, onde permaneceu até 1984, quando voltou à produção independente, através de sua empresa Deck Produções. Nesse período, realizou inúmeros projetos para o Japão, incluindo a co-produção dos primeiros discos da cantora Lisa Ono e a produção de discos de vários artistas e de trilhas de novelas para a TV Globo.

Em 1993, assumiu a Direção Artística da EMI Music, onde viria a se tornar vice-presidente em 1996. Lá, trabalhou com Legião Urbana, Marisa Monte, Paralamas do Sucesso e Fernanda Abreu, e lançou artistas como Mamonas Assassinas, Art Popular, Negritude Junior, Exaltasamba e Soweto, entre outros. Em 1998, saiu da EMI para realizar o antigo sonho do selo independente: assim nascia a Deckdisc.

Os primeiros discos foram lançados com distribuição da Universal Music e o maior sucesso dessa fase foi a série "O Som do Barzinho", que chegou a dois milhões de cópias vendidas com seus cinco discos. Em 1999, assumiu a direção artística da Abril Music, em São Paulo, para onde levou a distribuição da gravadora. Nesse período, a Deckdisc lançou Ultraje a Rigor, Ira!, Falamansa, Rastapé e Maskavo. Para a Abril Music, João Augusto contratou Los Hermanos, Harmonia do Samba, Frank Aguiar, Bruno & Marrone e Edson & Hudson, entre outros, além de dirigir os álbuns de Mauricio Manieri e Capital Inicial.

Em novembro de 2001, João Augusto retornou ao Rio de Janeiro para finalmente lançar, com Rafael Ramos, seu filho, e Monica Ramos, esposa, a gravadora 100% independente que sempre imaginou: a Deckdisc. Através dela, foram lançados artistas como Sorriso Maroto, Pitty, Cachorro Grande, Grupo Revelação, João Donato, Fernanda Takai, Teresa Cristina, Strike, Moyseis Marques, Vander Lee, Arlindo Cruz, Biquini Cavadão e muitos outros artistas que fizeram dela a gravadora independente número 1 do Brasil.

Em abril de 2009, após seis meses de pesquisas e diligências, João Augusto adquiriu a fábrica de vinil Polysom, situada em Belford Roxo, Estado do Rio de Janeiro. Após cerca de 1 ano de reformas e restauração de equipamentos, a Polysom, única em toda a América Latina, produz discos de excelente qualidade nos formatos LP e Compacto. Graças à reativação da Polysom, as vendas do disco de vinil dispararam no Brasil, nos últimos três anos.

Também são de propriedade da Deckdisc o Estúdio Tambor e a Editora Musical Deck, que conta com cerca de 7 mil canções editadas e mais de 3 mil já gravadas. Entre seus autores, encontram-se grandes arrecadadores de direitos autorais do Brasil, como Tato (Falamansa), Pitty, Zé Henrique (da dupla Zé Henrique & Gabriel), Thais Nascimento, Miltinho Edilberto, Eduardo Krieger, Edgard Scandurra (Ira!), Roger Moreira (Ultraje a Rigor), Teresa Cristina, Pedro Miranda e integrantes do Grupo Revelação, do Sorriso Maroto e das bandas Dead Fish, Rancore, Gram, Cachorro Grande e Ludov. Em 2007, a Editora adquiriu mais de 3 mil copyrights da Abril Publishing, ligada ao Grupo Abril de Comunicação.

ArtistasEditar

Artistas brasileirosEditar

Artistas que já lançaram discos pela Deckdisc e respectivos gêneros musicais:

Artistas InternacionaisEditar

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre gravadoras brasileiras é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.